Resenha: Ecos do espaço


Recebi Ecos do espaço num kit lindo da editora, foi uma surpresa a sua chegada e, automaticamente, a ansiedade em ler foi aumentando assim que soube se tratar de ficção científica.

Nele temos a história de Skylar que, até os 5 anos, quando seu irmão fugiu de casa, ela era considerada uma menina “normal”. A partir disso, a garota se culpa e tenta entender o que possivelmente fez de errado para ver seu irmão partir. Depois desse ocorrido, ela não é mais a mesma pessoa. Vive perseguida por sensações de que algo está terrivelmente errado. Mas, apesar dos ataques de pânico que a atormentam, nada nunca acontece, e Sky já está começando a acreditar simplesmente que ela não é normal.

Os pais dela tentam ajudá-la com tratamento, a menina percebe que isso não tem mais jeito: ela não vai mudar, então passa a fingir aos seus pais que está tudo bem. No fundo, ela sabe que não.


A vida de Sky sofre uma reviravolta quando cai na realidade e percebe: somos todos cobaias. Há milhares de anos, a Terra é usada como laboratório de teste de alienígenas, eles não se importam com os seus habitantes e utilizam-nos em seus experimentos de manipulação do tempo.

Win é membro de uma facção rebelde que tenta colocar um fim nisso e ele precisa da ajuda de Skylar. No entanto, esses experimentos causam diversos efeitos colaterais. A cada alteração do passado, o próprio tecido do espaço-tempo se fraciona um pouco mais e logo poderá não restar mais nenhum planeta Terra para se salvar.

O livro não é a ficção científica que promete, o que acabou me desgostando nesse aspecto. Além do mais, o desfecho é tão previsível que chega a parecer aqueles romances estilo Nicholas Sparks: você sabe o que vai acontecer, custe o que custar. Isso me incomoda (e muito), já que gosto da imprevisibilidade e das ideias fora do comum.


Esse elemento incomodou justamente porque temos um casal, são jovens, considerados de espécies distintas, e algo vai acontecer entre eles. É claro. E vocês já imaginam o quê. Não é pelo fato de existir isso que desagradou, mas um conjunto de fatores. Afinal, podia-se muito bem desenvolver melhor e mudar, já que muitos livros são compostos com esse término que, convenhamos, nem sempre é agradável (e aceitável).

Tenho para mim que Megan quis fazer uma mistura de ficção científica, um pouco frustrada, com um romance de adolescentes. Em certos momentos, imaginei que estava lendo Brilho ou Centelha. No entanto, esses dois livros me agradaram bastante, ainda que os elementos fossem parecidos.

Não é só de pontos negativos que a história é composta. Devo ressaltar que a narrativa da autora é envolvente e nos deixa estagnados à obra, sua escrita é fluida e torna a leitura frenética. Infelizmente não considero uma excelente obra, mas para quem curte algo mais leve, certamente vai gostar dessa pedida.


A capa é incrível e nenhuma foto é capaz de demonstrar o quanto. A diagramação é bem simples, mas proporciona uma leitura confortável.

Vamos combinar que essa é a minha opinião, nada mais justo do que cada um ter a sua. Então, se gostei pouco (ou se não gostei da obra) é algo que não deve impedir a sua leitura. É bom cada um conhecer para ter uma crítica pessoal sobre a história. Aguardo os comentários de vocês, após realizarem a leitura.



Título: Ecos do espaço (exemplar cedido pela editora)
Autora: Megan Crewe
Editora: Jangada
Páginas:
320
Ano: 2015

21 Revelaram sentimentos:

  1. Como você mesma disse a sua opinião não pode de maneira alguma impedir que outras pessoas leiam a estória, até porque alguns elementos agrada mais a uns do que para outros. Por exemplo gosto muito de livros de ficção cientifica, porém quando e algo muito bem elaborado, me deixa confusa pelo fato de não ter costume de ler nada dessa obra, por isso prefiro leituras mais leves como essa, que por mais que tenha uma trama previsível, a premissa me deixou bastante curiosa. Claro, que prefiro livros dos quais possuí trama surpreendente como você mesma disse, que nos deixa anestesiado, porém de vez em quando e bom ler livros nesse estilo. Realmente está edição esta no capricho, a capa e linda e chamativa.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Natalia!
    Pena que a leitura não foi tudo o que você esperava.
    Quando comecei a sua resenha estava empolgadíssima com o enredo, mas aí os pontos negativos me deram uma desanimada. Mas não vou deixar de ler, porque eu não ligo para clichês Nicholas Sparks e romances adolescentes, haha.
    E eu realmente achei a capa lindaaaaaaaaa (e suas fotos também!).

    Beijooos

    www.casosacasoselivros.com
    www.livrosdateca.com

    ResponderExcluir
  3. Esse livro junta tudo que não gosto numa leitura, ficção cientifica e romance obvio hahahah pra mim esses elementos nunca funcionam então é uma leitura que não farei.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Naty
    Alguns livros, mesmo que previsíveis, conseguem nos agradar, pois um ou outro sempre tem algo de especial. Porém, acho que esperava me surpreender se estivesse lendo uma ficção científica ou algo parecido com a premissa desse livro.
    Não sei se leria, mas gostei de ver sua opinião.

    Blog Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
  5. Gostei da ideia do livro e a escrita dele não parece ruim. Mas é um tanto chatinho quando o livro não é exatamente o que prometeram. E quando acaba sendo previsível. É legal mesmo se surpreender, ver algo um tanto incomum ou ao menos não saber ao certo o que esperar. Mas me parece um bom livro de qualquer forma, leria facilmente. É só bom saber do que ele fala pra não acabar querendo uma história de tal jeito e ler outra né!

    ResponderExcluir
  6. Natália!
    Confesso que acreditei que o livro teria um lado científico da ficção, mais bem elaborado e que fizesse um sentido maior.
    Claro que um romance adolescente entre povos distintos é até interessante de acompanhar, mas em uma obra no estilo, sempre espero mais, algo mais surpreendente e que choque...
    “A sabedoria dos homens é proporcional não à sua experiência mas à sua capacidade de adquirir experiência.” (George Bernard Shaw)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Natalia,
    Faz tanto tempo que não leio uma ficção cientifica que me agrada, na verdade nem lembro qual foi minha ultima leitura desse gênero. Achei interessante esse enredo, com humanos rebeldes lutando pra salvar a Terras dos alienígenas, mas essa questão de previsibilidade me incomoda também, e já tenho minhas desconfianças do que acontece, esse romance de adolescentes ai podia ter ficado mais em segundo plano, ou melhor, nem ter sido desenvolvido. Não descarto a leitura, mas não pretendo ler tão logo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi Mariana, tudo bacana?

    Eu achei muito linda a diagramação da capa! Brilho e centelha está na minha lista faz tempo :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui é Natalia e não Mariana.
      Sim, Brilho e Centelha são ótimos. A capa de Ecos do espaço é linda.

      Excluir
  9. Olá!
    Quando você começou a resenha, esperava ser surpreendida com um enredo bem mais elaborado, mas esses pontos negativos já não me animaram para fazer a leitura. Gosto de ficção, mas não é toda a história/ personagens, que conquistam. Talvez, um dia, venha a ler por curiosidade, mas não agora.
    Obrigada. Ótima resenha, como sempre.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Oi.
    Uma pena que a autora se perdeu um pouco né Eu confesso que gosto da premissa entretanto não costumo ler livros que tenha ficção científica qualquer coisa do tipo porque raramente o livro consegue me prender Enfim no geral eu gostei mas não acho que seria um livro para mim.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  11. Oi! Eu sou simplesmente apaixonada por livros sobre esse tema alienígena, mas é uma pena que a autora se perdeu. Eu li Brilho e quase morri de tédio hahaha Mas pretendo ler o livro pois já li diversas resenhas diferentes e algumas foram bem positivas, então quero tirar minhas próprias conclusões. Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Oi Nati, tudo bem?
    Não sou muito fã de ficção científica, e não sei explicar porque, acho que é tudo muito complexo para mim hahaha
    É uma pena quando o final da história é tão previsível quanto o deste livro foi, a sensação que dá é de estar assistindo aqueles filmes de adolescentes da Sessão da Tarde. Não sei se me interessei pela leitura, mas a capa com certeza me ganhou por este tom lindo de azul (que é minha cor preferida).
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Nossa estava parecendo que seria uma historia e tanto, gosto quando envolvem alienígenas e por ter uma facção rebelde esperava muita ação e reviravoltas. Pena que deixou a desejar, não sei se leria só se ganhasse porque comprar pra ler não compraria rs. Que bom que você gostou de Brilho e Centelha pretendo comprá-los.

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Olá, Natalia.
    Acho que eu ia gostar mais desse livro do que você, porque geralmente prefiro finais previsíveis, a não ser em livros de suspense hehe. O enredo é um que gosto, essa ideia de sermos cobaias é bem legal, apesar de já ter visto ela em outros livros. Pode ser que eu leia ele.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  16. Esse esta a um tempo na minha lista de desejados,mas ainda não tive a oportunidade de adquiri-lo. Achei bem interessante a ideia de fazer da terra como se fosse um laboratória de alienigenas. Concordo com voce sobre a capa, eu adorei. Apesar dos pontos negativos, ainda pretendo ler.

    ResponderExcluir
  17. A capa da editora Jangada ficou bem melhor que a original, ficou mais bonita!
    Fiquei curiosa sobre o livro, apesar de me lembrar bastante do Guia do Mochileiro das Galáxias e seus ratos ( quem leu entenderá).
    Mas deve ter bastante livros sobre essa ideia de criadores da terra alienigenas e talvez seja bastante agradável a leitura deste.

    ResponderExcluir
  18. Olá, Natália!

    Eu acho que a história do irmão da Skylar lembra e muito o arco do Rory Willams na 5ª temporada de Doctor Who, as fraturas no tempo e modificações nas história são bem parecidas ao olhar a sua descrição do livro.
    E ai vem a parte do romance no livro e quando você citou Nicholas Sparks pensei "Alguém vai morrer no fim!". Parece doideira, mas quase sempre nos livros dele alguém morre e em muitos casos, é um dos protagonistas (Me lembro até hoje quando soube que Uma Carta de Amor, filme em que o personagem do Kevin Costner morre no fim, era baseado num livro do Nick.).
    O que prende a curiosidade é essa invasão silenciosa dos aliens, usando os humanos sem nenhuma noção de ética, agindo como se fossem o Dr. Menguele e outros médicos nazistas. O que é um prato cheio para atiçar a curiosidade de quem adora uma teoria da conspiração. Mas é uma pena que a mistura entre ficção científica e romance não deu muito certo para você.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  19. Um dos meus gêneros de leitura preferido é ficção científica, então isso já contribuiu muito para que eu me interessasse em ler este livro, e por também ser uma história com relação a alienígenas, mas uma pena que a autora meio que juntou uma ficção científica com romance, acho que isso não fica muito legal, mas ainda assim pretendo ler o livro, pois fiquei bem curiosa.

    ResponderExcluir
  20. Oi, Naty!
    Em relação ao gênero ficção científica prefiro assistir algo sobre o gênero em vez de ler, e sinceramente, a história de Skylar não despertou o meu interesse... por isso eu dificilmente leria Ecos do espaço.

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.