Resenha: Cujo


Fala galera, como estão? Espero que tudo bem. Mais uma leitura do mestre King finalizada seguindo a minha tentativa de lê-los em ordem, e o livro da vez trata-se de Cujo.

Dessa vez não vou começar falando do conteúdo mas sim da capa desse livro. Caramba, que capa linda! Se duvidar uma das mais bonitas que já vi. Até quem não gosta do gênero tem que admitir que essa capa é surpreendente. A Suma de Letras está lançando a Biblioteca King, que consiste em alguns livros raros do mestre do suspense e terror em capa dura, nova tradução e revisão, além de conteúdos extras. O primeiro foi justamente Cujo, que conta com essa capa linda da imagem, e a pata do cachorro em baixo relevo pra completar o pacote. Quem tiver a oportunidade de ver ao vivo vai saber o que estou falando.

Mas, enfim, vamos à parte mais importante da resenha que é a história. Bom, infelizmente devo dizer que ela não é tão linda como a capa, não chega a ser ruim, porém, fica no meio termo.


Cujo é um São Bernardo enorme que vive na casa dos Camber, família composta de mãe, pai e filho (Charity, Joe e Brett respectivamente). Não existe cachorro mais manso na face da terra e que não consiga “amansar” (desculpe a piadinha infame) até mesmo o sujeito mais ranzinza do mundo. Cujo como a maioria dos cachorros gosta de explorar as coisas, caçar um bicho ou outro de vez em quando e, infelizmente, é em uma dessas caçadas que algo dá errado.

Ao tentar caçar um coelho, Cujo acaba com o rosto preso em um buraco na região da propriedade dos Camber e acaba sendo mordido por um morcego, o problema é que o morcego estava com raiva e acaba transmitindo a doença para o pobre cachorro.

Em paralelo a isso temos as duas famílias principais do livro, uma que é justamente a dos Camber, como já disse, e a outra é a família Trenton composta também por pai, mãe e filho (Vic, Donna e Tad respectivamente). Cada uma delas têm seus problemas, sendo a dos Camber uma família rural, com um pai que tem uma oficina mecânica, bebe, machista e que manda na mulher e no filho. Enquanto do outro lado temos um Vic publicitário onde sua firma passa por um aperto no momento e, para completar, sua mulher o está traindo com um jogador de tênis.


Além disso a cidade no qual ocorre os eventos é Castle Rock, cidade muito famosa nas obras de King, onde um acontecimento em um livro pode ter repercussão no outro (que ocorra na mesma cidade, claro). E um exemplo disso é que, aqui, para quem já leu A Zona Morta (veja a resenha do livro aqui) irá notar a presença de dois personagens conhecidos, sendo um o xerife e o outro o serial killer que atormentou a cidade durante A Zona Morta (não irei citar o nome para quem não leu ainda não pegar spoilers).

Bom, aos poucos vamos notando a evolução da doença em Cujo e como ele vai se sentindo. Existem passagens exclusivas para os pensamentos dele, o que são bem interessantes, pois ver os acontecimentos do ponto de vista do cachorro é bem legal. E quando a doença se espalha por completo é que a coisa desanda e Cujo fica realmente perigoso.

Mas Fábio, porque você achou mediano? Simples, o problema desse livro é que ele demora no mínimo umas 100 páginas para começar a ação (digamos assim) de verdade, e até lá é um processo bem lento. O que salva é que a escrita de King é algo fantástico e faz passar de uma forma rápida. Talvez seja meio contraditório, mas é verdade, se fosse outro autor qualquer eu acredito que ficaria beeemm cansativo. Mas é só isso que deixa o livro mais ou menos? Não. Ao meu ver o que prejudica mais é o fato de que as partes de Cujo são as únicas que realmente importam para o livro, que realmente são interessantes. O resto é descartável, mas, claro, isso eu ressalto que é na minha opinião, então, por favor, não se deixem influenciar sem ler antes.


Mas, no fim das contas, Cujo é um livro apenas bom. A transformação do cachorro pelo seu ponto de vista e o que ele apronta são os pontos fortes do livro. Sem contar o fato que o livro deixa subentendido que ali talvez tenha um pouco mais do que só raiva, mas uma presença talvez deixada pelo famoso assassino da cidade. As outras partes são dispensáveis, mas o final parece um caminhão sem freio em uma ladeira. Sai de baixo porque você não quer parar não, além de ter umas duas reviravoltas que acrescentam um ponto a mais.

Concluindo, eu dou 3,5 estrelas. No fim do livro tem uma entrevista com o mestre King, vale a pena. O próximo livro da Biblioteca King é A Hora do Lobisomem, que conta com ilustrações e em breve estará na mão desse que vos escreve e saindo uma resenha novinha em folha para vocês, até mais.

Beijos, abraços e lembrem sempre de levar seu carro para revisão (sim, leia para entender a referência) =*

ADOTE UM FILHOTE: Deixo pra vocês o trailer da adaptação de Cujo lançado em 1976 com o mesmo nome.

  

 
Título: Cujo
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas:376
Ano: 2017

20 Revelaram sentimentos:

  1. O que me chama a atenção nesta estória, e que poderia ser real, um cachorro bonzinho, legal, manso como você mesmo citou, acaba pegando raiva pela mordida do morcego e começa a atacar as pessoas. Uma pena que as 100 primeiras páginas sejam arrastadas, por causa das explicações, e só após isto começa enfim a ação. Realmente está edição está linda, mas não sei se leria está obra, ainda estou com certo receio.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lana

      Sim, na minha opinião demorou um pouco para emplacar, mas no geral é um livro bom. Vale a compra pela capa kkkk e também para quando quiser ler aquele livro mais descompromissado.

      Excluir
  2. Oi Fábio,
    Me divirto lendo suas resenhas, você tem um jeito único de falar dos livros e gosto disso. Adoro a escrita do King, mesmo tendo lido poucos livros dele, mas, por incrível que pareça, não tenho vontade de ler Cujo, acho que a ideia de um cachorro cometer atrocidades me tira do sério.
    É uma pena que o livro tenha sido mediano e demorado tanto tempo para acontecer. Vou ter que passar mesmo a dica.
    Adorei a resenha e as fotos, mas acho que você abusou dos cãezinhos :p
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bruna

      kkkk Obrigado, muito bom saber disso. Continuarei me esforçando para continuar trazendo resenhas legais =D.
      É, quando é algo com cachorro (e animais no geral) eu fico meio assim, mas até que Cujo foi "tranquilo" nesse sentido comparado a outras passagens com cachorros como em A Zona Morta e em It.
      Como disse no comentário anterior, vale pela capa kkkk e por uma leitura descompromissada.
      kkkk Aproveitei que elas estavam dormindo se não eu não iria conseguir tirar nenhuma.
      Beijos.

      Excluir
  3. Oi Fabio, tudo bem?
    Ja tinha ouvido falar deste livro, e sempre fiquei muito curiosa para saber porque o Cujo tinha ficado doidão. Por nunca ter lido a sinopse senti como se essa informação fosse um spoiler hahahaha mas sem problemas. Eu quero muito ler os livros do King, mas queria seguir a ordem também. Se puder, faça um post pra gente.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lara.
      Te entendo sobre a questão do spoiler, mas acredite que não é kkkk.
      Pode deixar, sugestão anotada. Farei um post sim falando sobre a ordem.
      Beijos.

      Excluir
  4. Fábio!
    É mais um thriller psicológico do mestre do terror.
    Deve ser um thriller fantástico, ficar preso dentro do carro com um cachorro que tem raiva e não permite que saiam do carro. Tremendo medo e suspense.
    O que será que acontecerá com a protagonista e seu filho? Ansiosa por ler para saber as respostas.
    “Deus com Sua infinita Sabedoria, escondeu o Inferno no meio do Paraíso para que nós sempre estivéssemos atentos.” (Paulo Coelho)
    Cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rudynalva. =D

      Pois, são as melhores partes do livro inteiro. É o que fazem o livro ser bom. Vale a pena a leitura por isso.
      Bjs =*

      Excluir
  5. Eu to apaixonada pela capa e mais uma vez não fazia ideia da história do livro, King sempre me surpreende.
    Eu fiquei com muita vontade de ler, achei muito diferente mostrar a história do ponto de vista de um cachorro e mesmo sabendo que talvez fique com dó do dog acho que vale a pena a leitura, uma pena que tenha páginas tão descartáveis mas isso faz parte de qualquer livro.
    Acho que vai entrar pra minha lista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maíra
      Fico feliz que tenha gostado. Sim, as partes com Cujo são bem interessantes. E coloque na lista mesmo. Vale a leitura, mesmo com elas. Fico feliz que tenha entrado pra lista.
      Abraço

      Excluir
  6. Olá, Fábio!

    Fiquei pasma em saber que o nome do livro é o mesmo lá fora. Eu achava que "Cujo" era só uma palavra em português e que usaram para chamar o cão por aqui, mas fiquei surpresa ao ver os sotaques dos atores dizendo Cujo no trailer do filme.
    Só King consegue criar empatia com os personagens em 100 páginas para matar a maioria deles nas 200 paginas (ou mais) seguintes. Se for outro autor, seria difícil disso acontecer!

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  7. Kkkkkk George Martin sabe fazer isso legal. Kkkkkkk. Quem quiser que se apegue a um personagem em livros dele.
    Sim, Cujo é o nome do cachorro mesmo, sem traduções nem nada kkkk

    Abraços.

    ResponderExcluir
  8. Pena o começo ser lento e não ser só isso que deu essas estrelas. Mas confesso que por ser do autor quero ler e tambem por essas duas reviravoltas que gosto muito, mais esse final que me deixou curiosa rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria.
      Apesar dos motivos que não deixaram a obra ter nota máxima, eu recomendo ela. Vale a pena a leitura, mesmo assim.

      Excluir
  9. Eu dei nota máxima rsrsrs acho que o livro é muito mais do que um sobre um cachorro assassino. King explora a temática da família, problemas de alcoolismo e violência, homens que preferem amigos à própria família, o amor que a mãe tem pelo filho a ponto de se sacrificar por ele...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com a temática da família. Principalmente no caso das mães. Mas eu achei que de alguma forma a coisa ficou deslocada (no caso de Charity e não na dos Trenton). Acho que ele escreveu muito bem e são temas bons, mas achei que ficaria melhor em outra obra, não sei kkkk. Mas no geral gostei.

      Excluir
  10. Aquele momento que eu começo ler que o personagem levou uma mordida do morcego, pegou raiva e transmitiu pro coitado do cachorro, antes que eu fiquei preocupada com o cara, não, fico preocupada com o cachorro, me perguntando se ele vai sobreviver kkkkk.
    Mas vida que segue né?
    Estou apaixonada por essa edição de capa dura e querendo muito ler. Como não poderia ler mais um livro do meu querido King?
    Não sabia que este livro faz parte do mesmo universo de Zona Morta, li esse livro alguns anos atrás e adorei a leitura. E que pena que achou esse livro mediano, achei que seria uma bela leitura, mas vou lê-lo e tirar minhas próprias conclusões.
    Adorei, beijos.

    ResponderExcluir
  11. Olá Franciele.
    Fica o mistério para saber se ele viverá ou não. Kkkk. Leia mesmo, o livro vale a pena apesar de eu não ter gostado tanto. Ou seja, gostei, mas não tanto kkkkk. Mas possa ser que vc adore. Beijos

    ResponderExcluir
  12. Stephen King é meu autor preferido e tudo o que ele escreve eu acho fantástico. Reconheço seu ponto de vista, e sei que as vezes seus livros não prende a nossa atenção. Mas fã é fã, vou ler esse livro assim mesmo. Kkkk obrigada por não deixar spoilers, ainda não li Zona morta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ana
      Sim, verdade, fã é fã e eu tambem sou e admito que se me mandassem reler esse livro eu iria reler mesmo assim kkkkkkkk.
      Leia mesmo, no fim das contas o livro ainda é bom, vale a pena.
      De nada. Nunca dou spoilers, nem em resenhas de continuações.
      Ps: Aqui tem resenha da Zona Morta.

      Excluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.