Resenha: A insustentável leveza do ser


Recebi este livro de surpresa, sempre tinha ouvido falar nessa obra, mas nunca tinha ficado tão curiosa para ler quanto fiquei quando o tive em mãos. Porém, essa curiosidade não foi fruto de muito sucesso, já que não foi nada do que eu estava imaginando. 

Este é considerado um dos romances mais importantes do século XX e, acreditem, é um dos pouquíssimos livros que não consegui finalizar tendo-o na estante como abandonado. Sei que isso assusta um pouco e começar a resenha já jogando um balde d'água desses não é bem do meu feitio, mas julgo ser necessário, e espero que vocês não queiram me matar com esse comentário. 


Nessa história conhecemos quatro adultos, Tomas, Tereza, Sabina e Franz, que são capazes de quase tudo para vivenciar o erotismo que desejam para si. Nesse livro temos diversos temas, infidelidade, amor, compaixão, eterno retorno, acaso e arbítrio. Para conhecermos essa história, nada melhor do que desvendarmos cada um de seus personagens, já que é isso que temos aqui. 

Iniciando por Tomas, um cirurgião tcheco que acredita que a nudez feminina é algo singular e, com essa curiosidade ferrenha, ele se envolve com mulheres, mesmo sendo casado, a fim desvendar tantos mistérios no mundo feminino. maneira com que elas olham, sua expressão facial ao sentir prazer, o modo como se despem e o que dizem no momento do ato sexual.  


Tereza é esposa de Tomas e vale dizer que é o seu oposto, fácil de lidar, carinhosa e gosta de encontrar nos livros a sua paz interior. Desde cedo sempre foi muito humilhada, até mesmo pelo tratamento áspero da sua própria mãe. Na esperança de encontrar algo novoela se casa. Porém, com as infidelidades do marido, ela percebe que nem tudo é como imaginava. 

Sabina é uma das amantes de Tomas e a recíproca também é verdadeira, já que ele é um de seus muitos amantes. E não estamos falando aqui apenas de traição no sentido homem e mulher, corpos entrelaçados. Sabina também trai a ideologia comunista do regime tcheco, as convenções artísticas sempre impostas pelo governo e tantos outros. 

Franz é amante de Sabina e um professor universitário. Casado com Marie Claude, leva uma vida infeliz, sem esperança de melhoras. A única solução encontrada por ele é mergulhar nos braços da amante para ter a paixão intensa e avassaladora não vivenciada em seu relacionamento conjugal.  


Já perceberam que é uma traição atrás da outra, não é mesmo? Esse tema em livros é o que mais detesto. Não suporto pessoas que criam traições para prender o leitor, como se fôssemos nos deixar levar por um mero triângulo amoroso. Não estou falando que não deve haver nos livros, mas, convenhamos, é tudo com moderação e de uma forma lógica.  

Enquanto lia a história mais parecia um novelo de lã em que A fica com B que fica com C que é casado com D, mas se envolve com E e este fica com A. Não consegui gostar do livro e sequer me envolvi com a história e com os personagens. Sei que muitos gostaram e o livro é praticamente um fenômeno, mas, infelizmente, não encheu os meus olhos. Não me matem, por favor. 

A edição da Companhia das Letras está incrível. Capa dura, folhas amareladas e uma diagramação que proporciona uma leitura confortável. Uma pena que o conteúdo não tenha me agradado. Quem sabe vocês se agradem. Deem uma chance! 

Título: A insustentável leveza do ser (exemplar cedido pela editora)
Autor: Milan Kundera 
Editora: Companhia das Letras 
Páginas: 344 
Ano: 2017

8 Revelaram sentimentos:

  1. Já tinha visto esse livro, mas não sabia do que se tratava, mas já sei que não vou gostar, também odeio traição nas historias ainda mais nesse que são muitas uma atrás da outra não tenho paciência pra isso e nem com triângulos amorosos, acho que deveriam colocar algo mais interessante no lugar só acho rs.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Nathália!

    Jogar um balde de água fria no leitor não é um incomodo, mas prova que cada leitor tem um gosto diferente. Sempre ouço falar muito do Milan Kundera e até mesmo esse livro é muito referenciado em programas, filmes, séries e outros livros.
    Os quatro protagonistas, com suas traições mostram como o ser humano pode acabar vagando por sua existência em busca do prazer, mas ao mesmo tempo se perder, pois não entendem uns aos outros. Sinto isso principalmente no casal Tomas e Tereza, onde ela não consegue ver que deveria se amar e se descobrir para poder se capaz de amar e descobrir o Tomas e seu prazer pelas mulheres, afinal ela é uma, mas oprimida pela sua criação e passado a ponto de não se revelar.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. E a primeira resenha que leio a respeito deste livro, e a verdade e que ao meu ver está também não e uma estória que enche meus olhos, ao ponto de eu querer ler a obra, até porque me pareceu mais um jogo de novela, onde fulano se envolve com sicrana, e assim por diante, criando uma teima de infidelidade sem sentido, apenas por uma questão carnal. Enfim, para mim não funciona este tipo de trama.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Natália, tudo bem?
    Não li o livro, mas pela sinopse e pela sua resenha já sei que vou odiar. Não gosto de ler sobre traição, aliás eu fico muito irritada quando fico sabendo sobre alguma, então ler um livro sobre isso não me agradaria nem um pouco.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Já tinha ouvido falar do livro mas sempre imaginei outra história. Eu não ligo de ter traição na história, inclusive as vezes é importante para o desfecho, mas nesse livro parece ser algo mal explorado, virou aquele poema Quadrilha hahaha, não me interessei por ele não, é uma pena quando livros tão famosos nos decepcionam desse jeito.

    ResponderExcluir
  6. Natália!
    Na minha opinião é um dos melhores livros de todos os tempos, porque amo o tema filosófico e a análise da alma humana empreendida pelo autor que nos faz refletir e repensar vários aspectos da vida.
    Uma pena o livro não ter dado certo para você.
    Já assistiu o filme? Quem sabe goste mais...
    “Deus com Sua infinita Sabedoria, escondeu o Inferno no meio do Paraíso para que nós sempre estivéssemos atentos.” (Paulo Coelho)
    Cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. Nossa, um livro cheio de traições e reviravoltas. Gostei muito da premissa do livro e que pena que você tenha gostado tanto assim e abandonou o livro. Mas gostei muito desta historia e pretendo ler o mais breve possível.
    Gostei de sua resenha sincera, vejo poucos blogs assim.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Amo o tìtulo desse livro ue ja conheço, mas tem uma temàtica forte, somente traições. Puxa, achava que eu estava sendo antiquada em achar isso e que tudo se resolveria ou não a base das traições. Para mim não é um bom livro.

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.