Resenha: Umami


Apesar de apoiar muito, até porque eu também pretendo ser um, eu ainda fico muito com o pé atrás em se tratando da moderna literatura brasileira. Todo mundo sabe que eu adoro a Literatura Brasileira clássica e isso me influencia muito na hora de fazer uma avaliação nas histórias de hoje. 

Em Umami - a receita da vingança temos uma história que já vimos em algum lugar por aí. Durante o curso de culinária, o feinho sofre bullying e quando ele cresce quer se vingar daqueles que mais fizeram mal. 

Alan Santiago traz uma escrita moderna, como deve ser, porém, tanto modernismo acaba deixando o conteúdo meio artificial. Eu não sou muito fã de histórias em que se fala de Facebook e Whatsapp, e infelizmente nosso autor utiliza muito essa saída, transcrevendo, inclusive, alguns diálogos. Sabemos que hoje as redes sociais são verdadeiras portas para se descobrir tudo a respeito de uma pessoa, mas, para o livro, penso que ofusca um pouco a luz daquele ar de mistério e detetive. 

Outro ponto que foi falho ao meu ver é que não há nenhum suspense; o personagem (narrador) deixa claro logo de cara que ele matou pessoas por vingança. O livro é uma carta do Haroldo, nosso narrador, para sua filha, explicando porque e como agiu. Ele descreve o planejamento, como fez pra chegar a tal lugar, o que vai fazer depois e pimba! vai lá e faz o serviço. 

O livro não é grande, até por isso, acredito eu, ele tenha apenas um momento de "agora fodeu"! Mas, como Haroldo já está com a mão na massa, ele faz o que vem fazendo e se livra do empecilho, sem remorso. 

Por fim, também não temos nenhuma surpresa no final. Ele consegue terminar a sua vingança e depois descreve o que aconteceu com cada personagem que apareceu no livro. O título do livro ainda é outro ponto a se analisar. Eu esperei que ao final da história o título fosse explicado, mas a única coisa que se fala a respeito de "Umami" é que é a receita preferida de Haroldo. Acredito que um título com apenas "A receita da vingança" soaria mais forte e intenso. "Umami" fica flutuando, desnecessário. Além disso, uma receita envenenada também poderia ser usada para matar alguém. O que não houve. 

Apesar da fragilidade de conteúdo, esse livro é um daqueles que eu coloco na prateleira para incentivar a quem está iniciando. A sua linguagem é simples e direta, apesar de alguns vocábulos mais elaborados, mas nada compromete o entendimento do conteúdo. Apesar das mortes, acredito que o público-alvo deste livro está na faixa etária de 13-17. 


Título: Umami - A receita da vingança (exemplar cedido pelo autor)
Autor: Alan Santiago
Editora: Pendragon
Páginas: 176
Ano: 2017

10 Revelaram sentimentos:

  1. Oi Marcos, tudo bem?
    Nossa que pena que o livro não foi tão legal para você. Fiquei me questionando o título do livro, e achei meio tosca a explicação do porque desse nome. Não sei se leria no momento.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. E uma pena, pois a capa remete que séria um livro de suspense, e o que vemos ai e uma pessoa relatando um assassinato, como se algo fosse super natural, fiz mesmo, e a justificativa, foi porque eles me travam mal, quer dizer né vingança. Admito que adoro linguagem mais atual, principalmente quando faz menção as redes sociais, mas acho que está questão e mais gosto, então vai de cada leitor. De modo geral fiquei curiosa a respeito da estória, e leria, sem esperar muitas revira voltas.


    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Quando vi o título já pensei naqueles filmes de terror japonês (não sei o motivo haha). É uma pena que o desenvolvimento do livro não seja tão bom assim. E sou que nem você, não consigo me acostumar com leituras que usam muitos artifícios dos tempos modernos para construir a história.

    ResponderExcluir
  4. Marcos!
    Já não gostei do tema vingança, porque não me atrai muito na literatura.
    E ainda com todas suas observações sobre os vomentários transcritos para o livro das redes sociais, a previsibilidade, enfim, apesar de gostar da possibilidade de conhecer novos autores nacionais, não fiquei muito interessada no livro não.
    Desejo um final de semana mais que tranquilo e abençoado!
    “Deus com Sua infinita Sabedoria, escondeu o Inferno no meio do Paraíso para que nós sempre estivéssemos atentos.” (Paulo Coelho)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  5. Que pena que não tem mistério que é o que mais adoro deixa a leitura mais envolvente e ágil, também não gosto muito quando envolve as redes sociais já temos muito disso na realidade, prefiro outras coisas nas historias. E adoro ser surpreendida pelo autor o que não tem também, então essa leitura não é pra mim, embora gosto de conhecer mais livros nacionais.

    ResponderExcluir
  6. Olá, Marcos!

    Umami para mim não é uma receita. Posso até discordar do autor se ele definiu isso como uma receita, mas não é. O Umami é o chamado "sexto sabor", que na verdade realça os sabores dos outros alimentos e os torna mais deliciosos. Ele está presente em alguns alimentos e é também produzido de forma isolada, sendo chamado quimicamente de glutamato monossódico, que é o famoso realçador Ajinomoto que é vendido por aí. Mas alguns estudos dizem que o uso exagerado do glutamato monossódico leva a maior ocorrência de cânceres (isso me fez parar de comer miojo por um tempo, exatamente pelo glutamato estar presente no tempero que misturamos ao miojo). E isso dá um novo sentido ao titulo, já que o glutamato dá um sabor delicioso aos alimentos, mas em excesso, mata, sendo um belo paralelo com a vingança, que é deliciosa no inicio, mas acaba sendo venenosa para quem a faz depois.
    Eu até compreendo que as redes sociais trazem uma linguagem moderna que pode atrapalhar uma boa e classica investigação, mas devemos nos adaptar aos novos tempos e em romances que se passam nos dias de hoje, devem estar presentes, mas sendo bem trabalhados. Afinal, tem gente que posta que possui uma vida boa, mas fora da rede também esconde seus segredos mais terríveis, sendo um prato cheio para um bom suspense também.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  7. Quando eu li a sinopse achei que seria um livro cheio de suspenses e reviravoltas, mas que pena que isso não acontece. Ao ler a resenha não me interessei por esta leitura, uma pena porque a sinopse tinha despertado o meu interesse. Mas quem sabe um dia eu não possa lê-lo, não é mesmo? Até lá, vida que segue...
    Gostei de sua resenha bem sincera, me agradou muito.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Kkkkk o autor deixou a desejar e muito, ou melhor, viajou. Infelismente não hà vingança e sim uma explicação dos fatos apenas. Espero que nos próximos livros o autor explore melhor e use mais a criatividade que sei que ele tem. Mas por enquanto não vou ler esse livro.

    ResponderExcluir
  9. Oi! Que triste ver que o autor deixou a desejar com a história. É estranho ver o livro, que pela capa parece ser de suspense (ou até terror), mas não encontrar nada disso no decorrer das páginas. E acrescentar diálogos do wpp deve ter deixado a leitura ainda mais pobre. Um pena. Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi, Marcos!!
    Achei bem interessante mas realmente foi uma pena que o autor não soube desenvolver muito bem essa estória!! Mesmo assim fica a indicação!!
    Bjoss

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.