Resenha: A casa das rosas


Olá pessoas. Recentemente tive o prazer de receber um livro lindo da Editora Tinta Negra, escrito pela autora Andréa Zamorano.

A Andréa é brasileira, mas vive atualmente e viveu grande parte da vida dela em Portugal, onde ela tem vários restaurantes. A autora gosta muito de livros e comida, então nem preciso dizer que já simpatizei com a sua pessoa, né?!


A casa das rosas conta a história da menina Eulália, que está para completar 18 anos e percebe um comportamento estranho por parte do seu pai. Na verdade, esse comportamento sempre esteve presente, mas parece que com a chegada da maioridade, tudo se agravou. Um exemplo é que ela nunca pode ir para a faculdade sozinha, mesmo morando a apenas quatro ou cinco quadras desta.

Então, ela sempre foi com o motorista da casa, nunca a pé, e muito menos de ônibus, pois isso é coisa de ratos! (Para o pai de Eulália, ratos são as pessoas pobres, que, assim como eu, dependem às vezes do meio de transporte público). Outro exemplo é que ela jamais comeu carne de frango, pois este também é um alimento de ratos. Nem preciso dizer que já não fui com a cara dele, né?!


O pai dela possui um cargo alto na política, sendo assim ele, têm muito dinheiro. Eles vivem em uma casa cheia de rosas: rosas brancas, lindas, perfumadas e bem cuidadas. Essas rosas são podadas pelo jardineiro, que sempre gostou muito da Eulália, e que tem uma participação especial na história.

Eulália possui um amigo, mas confesso que não ficou claro se este é verdadeiro ou imaginário, mas teoricamente, este tal amigo lhe dá uns livros, livros que eram proibidos na época, e com isso ela se mete em confusão.

Eulália cresceu sem a mãe, esta deu no pé, sumiu, e ninguém sabe como, por que ou para onde ela foi. Inclusive no início do livro, a narrativa é feita pela mãe da Eulália e, se você ficar um pouco atento nas coisas que ela diz, vai perceber que algo não está certo. Mas não vai saber o quê.

Quando Eulália descobre o problema do pai dela em relação a ela, resolve dar no pé. Não espera para ver o que vai acontecer. E, com isso, existe um acontecimento na casa, e ela acaba procurada pela polícia e acusada de algo.


Pra se proteger, ela assume uma identidade falsa, e começa a trabalhar em um restaurante como lavadora de pratos. No início Eulália dorme nas ruas, depois, aos poucos se ajeita. Mas ela sempre tem em mente que quer encontrar sua mãe: saber se as coisas estão bem, saber porque ela foi embora. E com isso, Eulália assume uma nova identidade (novamente), e finalmente sai a procura de sua mãe.
Quando a encontra, a coisa toda fica muito séria, e você é pego de surpresa com o rumo da história, que eu não posso falar o que é, pois explica tudo. O livro se passa no Brasil, em São Paulo, em um calor de derreter, com muitas enchentes e ratos (pessoas) boiando.

Eu gostei muito do livro, ele é curto, direto, com a diagramação incrivelmente confortável. A editora Tinta Negra não economizou em folhas, tinta e capricho.

A escrita da autora é bonita, poética, um tanto romantizada talvez. E foi algo que eu gostei muito, pois não estou acostumada com leituras assim. Livro mais que recomendado.

Outras fotos:



Resenha em vídeo:



Título: A casa das rosas (exemplar recebido a empresa Oasys)
Autor: Andréa Zamorano
Editora: Tinta Negra
Páginas: 176
Ano: 2017

14 Revelaram sentimentos:

  1. Oi, Silvana. Eu já li outra resenha do livro mas até hoje não entendi a história, é tudo meio confuso sabe? Parece-me que ela não tem muita coisa a abordar, ao menos ela tem esses segredos que fazem com que o leitor queira terminar a leitura.
    Beijos
    http://www.leitoraencantada.com

    ResponderExcluir
  2. Olá, Silvana.
    Eu não conhecia nem a editora nem o livro. Achei a história bem interessante. Fiquei aqui na curiosidade para saber o porque da mãe dela ter sumido e o que o pai dela tem com relação a ela. Mas não sei se é um livro que eu leria.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Silvana!
    O livro parece carregado de segredos a serem descendados e até um tanto confuso, porém carregado de aventuras e reviravoltas.
    Acredito que apenas lendo saberei como eses mistérios serão resolvidos e o que realmente acontece na vida de Eulália.
    “O primeiro passo para a cura é saber qual é a doença.” (Provérbio Latino)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  4. Oi Silvana,
    Parece ser um drama bem tenso, já odiei esse pai embuste dela.
    Fiquei curiosa, espero ler em breve. Adorei a dica!

    tenha um ótimo final de semana =D
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  5. Gostei da resenha Silvana. Achei o mote do livro extremamente atrativo e o enredo bem promissor. Se tiver oportunidade, pretendo lê-lo. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, Silvana!

    A Meise, outra dona do Viciadas em Livros, leu esse livro e adorou! Ela também disse que a escrita da autora é bem poética... Ela me contou um pouco do livro e realmente é bem diferente, mas de um jeito bom.

    Beijos,
    Isa
    Viciadas em Livros
    Participe do Amigo Secreto Literário do Viciadas em Livros

    ResponderExcluir
  7. Sério, no início da resenha, eu achei que não iria gostar da história, mas aí fui me envolvendo na sua resenha e agora estou me perguntando: o que o pai dela tem em relação a ela? Por que a mãe dela foi embora?
    Sério, você me deixou muito curiosa.
    Eu não conhecia nem a autora e nem a editora, mas fiquei muito curiosa.
    Adorei a dica e sua resenha é maravilhosa!
    Magia é Sonhar

    ResponderExcluir
  8. Não sei se seria um livro que leria de cara, mas achei interessante a história. Esse pai da garota é um nojo heim. Credo...Tá mais do que certa em fugir e só posso me perguntar qual era o problema dele.
    Deve ser legal acompanhar a jornada da garota e todas as dificuldades que passa até encontrar a mãe. E deve dar uma boa curiosidade pra seguir com a leitura e descobrir o porque da mãe ter fugido e tal. Se surpreende é ainda melhor.
    Parece ter umas críticas bem interessantes também na história, pela forma como o pai dela vê as pessoas já me fez pensar em umas coisas...
    Pode ser uma boa leitura.

    ResponderExcluir
  9. Gostei do fato de a história claramente ter um mistério que ronda suas páginas, mas confesso que o pai dela me desanimou total de ler :( não ia ter paciência pra ele não hahahah mas graças a escrita da autora o livro merece uma chance!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br
    Leia a resenha do meu livro O Poder da Vingança lá no blog e aproveite para adquirir o seu exemplar!

    ResponderExcluir
  10. Logo de cara esse é um livro que eu ignoraria numa livraria mas eu gostei muito da resenha, parece ser uma leitura rápida e não consigo lembrar de qdo foi a última vez que li um livro ambientado em SP, já vou colocar na minha lista.

    ResponderExcluir
  11. Achei intrigante o livro e cheio de misterio em relaçao a mãe da personagem e esse pai dela. Parece ser uma leitura que envolve e deixa o leitor avido pelas descobertas.

    ResponderExcluir
  12. Oi! Adoro ver livros nacionais ganhando espaço e reconhecimento. Achei a proposta do livro bem diferente e curiosa. Fiquei bem curiosa para saber a explicação do comportamento do pai e o pq da mãe ter ido embora. Até fiquei na esperança de encontrar a explicação na resenha hahah parece que vou ter que ler o livro. Beijos

    ResponderExcluir
  13. Olá, Silvana!

    Pelo que sinto da história, parece que ela se passa na época da ditadura militar, onde ocorreram muitos desaparecimentos políticos e mortes sem explicação. Um exemplo claro é Valdmir Herzorg, cuja morte até hoje é envolta em mistério devido ao modo intenso em que foi disfarçada e encoberta pela ditadura.
    A mãe da Eulália deve ter sumido por causa disso, e sinto que o pai tem culpa no cartório só para manter seu status e ficar longe dos "ratos". Mas ele mesmo, pelo seu comportamento e modo de isolar a Eulália da realidade é um rato e sua ficha não vai cair até algo ruim acontecer e tirar tudo dele.
    Curiosamente em São Paulo, na região da Avenida Paulista, há uma Casa das Rosas, que era moradia de um poeta, mas que passou a ser um patrimônio publico. Quem sabe foi daí que a Andréa Zamorano tirou a inspiração para o livro?

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  14. Oi, Silvana!
    Acho que essa é a primeira vez que leio algo sobre essa estória. É para falar bem a verdade não fiquei muito empolgada com esse livro não.
    Bjoss

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.