19 dezembro 2017

Resenha: Entre quatro paredes


O que você faria se tivesse medo?

Entre quatro paredes é uma obra que vai te deixar afoito do início ao fim. Se você, querido leitor, tem algum problema do coração, esse é um alerta todo especial para ti. Prepare-o e vá digerindo as informações com calma, pois, a cada página, o risco só aumenta.

Além da agilidade contida na narrativa, a forma como a autora escolheu abordar o assunto é de deixar o leitor curioso da primeira até a última página. E, não se engane, a gente se desespera querendo saber a resposta para tantas perguntas. Principalmente, queremos saber o motivo de tantas atrocidades.

A qualidade da autora fica por conta da escolha do gênero, no entanto, o desenvolver da história não favorece-a por alguns motivos. E isso, pelo que tenho percebido, tem sido ponto de crítica dos blogueiros em geral.


Nossos protagonistas são Grace e Jack. Um casal aparentemente normal, considerados perfeitos pela sociedade. Ela é uma jovem dedicada, cuidadora tanto da casa quanto do esposo; cozinha com grande prazer, mas há controvérsias. Não possui e-mail pessoal, nem tampouco faz questão de ter um aparelho celular, o que também é bem controverso, haja vista que a história se passa num ano bem moderno. Ele, por sua vez, é o advogado dos sonhos de qualquer mulher, mas isso também é uma opinião um tanto duvidosa e há quem negue essa informação, é possível tirarmos nossas dúvidas com Grace e saber se esse fato procede. O advogado renomado é considerado inteligente, gentil e muito amoroso, tanto com sua esposa quanto com seus clientes e amigos. Preciso dizer, novamente, que há controvérsias? Há muitas. Aliás, o que mais temos nesse livro são elas. Daquelas de deixar o leitor preocupado e pensativo.

Você realmente conhece a pessoa que vive ao seu lado?

Enquanto Jack trabalha, Grace dedica seus dias a cuidar de sua irmã com síndrome de down. Quando ele decide fazer uma reunião com os amigos, a comida fica toda por conta de Grace. Precisa fazer os alimentos no mesmo dia, pois, para Jack, elas precisam ser feitas na hora para agradar aos amigos e mostrar que eles são a família que todos gostariam de ter.

Como algo pode ser tão perfeito assim? Como uma família pode, aparentemente, não ter problemas no relacionamento, no lado profissional, na vida em si? É nesse mundo de fantasias que algo está prestes a acontecer. O advogadozinho famoso e bem sucedido, que nunca perdeu uma causa, pode estar prestes a sentir esse gostinho amargo em seu próximo caso. O lado profissional perfeito pode ter o seu fim. Mas e quanto ao casal? O que há de errado com eles?


O maior desejo de Grace era ter o casamento dos sonhos, a casa perfeita, um lar para chamar de paraíso. Porém, como nem tudo são flores, ela passa a morar com alguém que ela não conheceu no altar. Jack se revela um homem diferente daquele cavalheiro, daquele bonzinho e amável. Agora não há alternativa, nossa protagonista está presa ao caos, ao inferno permitido por ela mesma quando disse “sim”.

É nessa teia de dúvidas, enganos, mentiras e muitas coisas que os personagens são construídos. As situações apresentadas pela autora são revoltantes e angustiantes. Não queremos que aconteça, mas sabemos, no final das contas, que é esse o destino reservado para todos os inocentes. Todavia, vale apontar que é aqui que a B. A. Paris peca e, diga-se de massagem, mete a mão bem errada na massa e, o que era para ser uma massa de bolo fofa e agradável, acaba virando uma massa de pão pesada e pastosa.

O medo é o melhor freio de todos?

Quando o leitor embarca num livro, um dos pontos importantes é o início, isso é óbvio. Afinal, é através dele que temos o incentivo para prosseguir a leitura. Até aí estamos indo muito bem, o caminho percorrido é positivo e nossa curiosidade até deixa passar batido alguns pontos mal elaborados. Quando chegamos na metade da história não estamos cansados nem tampouco querendo matar a protagonista, pelo contrário. Sentimos tanta pena dela que dá vontade de entrar na história e auxiliar tanto Grace quanto sua pequena e frágil irmãzinha. Porém, quando chegamos no final da obra é que sentimos a coisa desandar e isso acontece de vez, sem preparar nosso coração para o baque. A autora parece que escreve o desfecho apressadamente, sem se preocupar em nos convencer daquele suposto motivo.


Por que o advogado é assim? Por que ele faz o que faz? E não estou apenas querendo respostas para todas as minhas dúvidas, que nem sequer posso dizê-las aqui. Mas existem fatores que, para um leitor assíduo de suspense, não se convence com qualquer balela. E acredito que essa tenha sido a intenção da autora: colocar qualquer ínfimo motivo e achar que vamos engoli-lo. Não é bem assim, querida B. A. Paris.

O livro é muito bom em suas sacadas, em suas ideias e ouso dizer que umas foram magistrais. Porém, na mesma profundidade que a autora cria essas partes geniais, ela peca com o desfecho meia-boca. Não estou dizendo que o livro é ruim e que não merece ser lido. Por incrível que pareça, mesmo esse ponto tendo me incomodado, eu gostei da história e não vejo a hora de vê-lo nas telonas. Ah, e fiquei sabendo que os direitos foram vendidos para o livro virar filme. Então, leiam a obra e vamos aguardar o lançamento nos cinemas.

Obs: O vermelho na imagem tem uma relação fortíssima com a história. 



Título: Entre quatro paredes (exemplar cedido pela editora)
Autora: B. A. Paris
Editora: Record
Páginas: 266
Ano: 2017

11 comentários

  1. Natalia, não conhecia esse livro, mas parece incrível! Fiquei super curiosa!
    Adorei as fotos!

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  2. Oi, Natalia!
    Eu vi muita gente elogiando a história, mas acho que você é a primeira a comentar do final corrido. Esse detalhe sempre me desanima nas histórias... parece que o autor só percebeu naquela hora que tinha que terminar o livro e escreve tudo de uma vez hahahah
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do Natal Literário e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
  3. Oi Natália, tudo bem?
    Não conhecia o livro e nem a autora.
    Mas amei a sua resenha, descreveu bem e mostrou os pontos positivos e negativos que você achou no livro, a história parece ser bem interessante!
    Te espero em meu blog!
    Beijinhos
    Blog | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
  4. Olá, Natalia.
    Eu amei esse livro, li em algumas horas. E diferente de você eu não achei o final corrido e achei que o motivo dado foi coerente. Mas vai ver é porque você presta mais atenção do que eu nessas coisas hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Parece bastante interessante a trama. Eu gosto de suspense.
    Charme-se

    ResponderExcluir
  6. Oi Natalia, uma amiga/colaboradora leu e curtiu o livro por conta dessas sacadas que vc citou. Que pena que vc não curtiu tanto o desfecho, mas de qualquer forma parece ter personagens interessantes. Eu adorei suas fotos!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  7. Eu gosto muito de livros nesse estilo e é legal quando deixa a gente cheia de perguntas e louca pra tentar entender as coisas. Gosto da fantasia de algo perfeito sendo quebrada, de atrocidades e coisas que me deixam surpresa. Pode ter bastante disso na trama e o ritmo dele parece bom. Só o final que me deixou meio receosa porque é meio chato né, a gente esperar o livro todo e não ter aquele final genial pra fechar com chave de ouro. Mas por todo o resto acho que vale a pena. E se for mesmo para os cinemas vou querer ver.

    ResponderExcluir
  8. Natália!
    O livro retrata a vida de muitas pessoas ao nosso redor que vivem apenas de aparência ou observam apenas o que é 'mostrado' em uma família, não sabemos o que realmente há por trás da vida das pessoas, infelizmente!
    Deve mesmo ser um livro que mexe com nossas crenças e muda nossa perspectiva, além de fazer com que repensemos sobre muitas coisas e atitudes.
    Gostei!
    Uma semaninha abençoada na paz do Senhor e FELIZ NATAL!
    “Celebrar o Natal é crer na força do amor, é isto que transforma o homem e o mundo. Feliz Natal!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA dezembro 3 livros + 2 Kits papelaria, 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  9. A resenha desse livro me deixou bem confusa, fiquei com muita vontade de ler pq gosto muito do gênero mas ao mesmo tempo já fiquei meio puta com o desfecho mal escrito. Eu até leria mas estou com tanta leitura atrasada que acho que não vai rolar hahaha

    ResponderExcluir
  10. Comecei eu sou curiosa, eu já sei o final da história, vi um spoiler... Agora, me arrependo de ter visto! Mas, mesmo assim, é um livro que quero ler, justamente por se tratar de um casamento e suas mentiras por trás!

    ResponderExcluir
  11. Bem interessante esse livro a leitura parece que prende o leitor e ele deve sofrer junto com a personagem, mostra também como as aparências enganam., mostra muito nossa realidade também, onde muitas mulheres sofrem com os parceiros, pena o final deixar a desejar, mas gostaria de ler mesmo assim.

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.