19 fevereiro 2018

Resenha: A Morte de Sarai



Sarai tem uma vida infeliz há nove anos. Ao ser abandonada aos quatorze anos de idade por sua mãe, no México, e viver sob o domínio de Javier, um obsessivo e ciumento traficante de drogas, ela finalmente encontra uma brecha para se libertar de todo o sofrimento que sente dentro do cativeiro em que é obrigada a morar junto com outras garotas que sofrem violências e abusos diariamente.

Victor é a chave para a sua fuga, entretanto, o homem não é nada mais, nada menos que um assassino de aluguel. Além disso, o misterioso e enigmático também negocia com Javier, o que definitivamente não é um bom sinal. Apesar dos fatos, não há outra saída e a garota não ousaria deixar esta oportunidade passar, principalmente ao descobrir que ele é americano e que, na mais improvável das possibilidades, pode ajudá-la a voltar para o seu lar. Victor não é bobo ou piedoso, muito pelo contrário, a rotina do homem é sanguinária e arrependimentos não constam no seu vocabulário.

Distante de se livrar de toda a vida do crime, Sarai se vê ainda mais envolvida entre nós e armadilhas que o destino impõe em seu cotidiano, agora ao lado de Victor e fugitiva de Javier. E, ao contrário de anos atrás, ela está cada dia mais convicta de que ter uma vida normal é algo completamente distante da sua realidade.


A construção da personalidade das personagens nesta obra é maravilhosa. Contrariando todas as minhas expectativas, Sarai não é uma garota frágil que é fraca por ter uma vida sofrida, não. É uma das personagens mais fortes, corajosas e destemidas que eu já conheci.

A morte de Sarai me fez questionar sobre a realidade e pautar sobre fatos que parecem esquecidos pela mídia e pela sociedade. Infelizmente, há milhares de Sarai’s por aí, centenas de milhares de pessoas traficadas e que têm suas vidas arrancadas. Há um mundo obscuro, sem controle e que está muito mais próximo do que queremos enxergar. 

O que mais atrai na leitura é a quantidade de detalhes e a verdade em cada um deles. As cenas de ação e violência são de tirar o fôlego porque são constituídas por verdades, portanto, se você está em busca de romance, esse não é o livro ideal.

Já tive experiências com obras anteriores da autora e posso dizer que a sua escrita evoluiu muito.


J. A. Redmerski não poderia ter iniciado melhor a série Na Companhia de assassinos. O livro é surpreendente, envolvente e instigante.

Na Companhia de Assassinos possui seis livros publicados. No Brasil, a série conta com apenas três livros.

Título: A morte de Sarai
Autor: J. A Redmerski
Editora: Suma de Letras
Páginas: 255
Ano: 2015
Fotos por: @dicasdasissi

29 comentários

  1. Mariana, não conhecia esse livro, mas olha, adorei a resenha! Colocarei na lista!

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, obrigada! Pode colocar, não vai se arrepender.

      Excluir
  2. Oi Mariana,
    Não conhecia a série. Que pena não terem traduzido os outros três livros ainda. Séries grandes são difíceis de serem traduzidas na íntegra no Brasil. :/
    Achei super interessante a ideia do livro e um absurdo ela ter sido abandonada pela mãe aos 14!! Gosto quando personagens que sofrem ficam mais fortes ao invés de ter mentalidade de vítima. Com certeza vou procurar ler.
    Beijos!
    Nerd Fox

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, nem fala! Super triste essa realidade, principalmente com uma série com tanto potencial. Sarai é mesmo uma protagonista muito forte.

      Excluir
  3. Bom dia, bastante interessante, não conhecia. Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Sua resenha foi tão positiva que é impossível não querer ler, amei sua dica!

    www.kailagacia.com

    ResponderExcluir
  5. Já tinha visto as outras capas dessa autora mas não sabia que faziam parte de uma serie.
    Apesar de ser um genero que eu costumo gostar a resenha não me interessou muito, gosto de livros mais "realistas" mas não gostei da história desse. Fiquei curiosa para saber a sinopse dos outros e já vou dar uma pesquisada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, entendo. A série é pouco divulgada mesmo. Pesquisa as sinopses dos outros títulos, são bastante instigantes.

      Excluir
  6. Depois de ter lido a duologia da mesma autora Entre o agora e nunca, fiquei interessada em outras obras escrita por elas. Foi nessa ocasião que descobri o lançamento dessa série, que pela sua descrição a história e instigante, e surpreendente, com personagens bem construído, com uma mocinha que apesar de ter passado por momentos ruins ainda sim e forte e destemida capaz de lutar para ter uma vida melhor. Inclusive imaginava que haveria um romance como pano de fundo, porém ainda sim estou ansiosa por essa leitura.

    Venha participar do Top Comentarista e concorra o livro "O Maravilhoso Bistrô Francês": http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Li também Entre o Agora e o Nunca e aqui você pode esperar um enredo completamente diferente, mas igualmente (ou até mais) contagiante.

      Excluir
  7. Oi, Mariana!
    Eu amo essa série! Sarai me conquistou no primeiro livro, me levou a loucura no segundo e o terceiro... Ah, o terceiro! Se eu fosse você, lia o mais rápido possível para chegar em O Cisne e o Chacal! hahaha É uma indicação que faço sempre e não me canso disso! Espero que você goste do restante.
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. J. A arrasa. Sou dessas que indica a série sempre que posso também, hehe. E sobre o terceiro... Fredrick tem muuuito o que revelar.

      Excluir
  8. Oie,

    Não conhecia a série, mas curto muito esse estilo de livro.

    Abraços...

    https://submundosliterarios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Uau, parece mesmo ser uma história super envolvente :)

    http://www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  10. Mariana!
    Tenso, me pareceu bem tenso e também sem muito futuro, porque um romance com um assassino profissional não poderá ir muito longe, assim penso eu.
    Gosto de trhillers psicológicos e depois de tudo que Sarai passou, esperava que ela tivesse uma vida melhor após tanto sofrimento.
    Acho que ela não morreu, né? Então, porque a morte de Sarai?
    Uma semana abençoada!
    “Acredite na justiça, mas não a que emana dos demais e sim na tua própria.” (Código Samurai)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  11. Nossa! Que resenha SENSACIONAL foi essa? Eu já queria o livro, depois dessa resenha necessito. A vontade de ler aumentou 200%, adoro histórias nessa vibe e tenho certeza que vou amar essa série. Parabéns pela excelente resenha, amei! 😱😱😱❤😍❤👏👏👏👏👌

    ResponderExcluir
  12. Olá,
    Minha prima leu um livro da autora e não curtiu muito. Mas, essa série me deixa curiosa, ainda mais por esse tom mais pesado e sobre a exploração do tráfico de pessoas. Fiquei curiosa sobre como termina!

    bjs
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  13. Nunca li, mas vou tomar nota!


    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderExcluir
  14. Parabéns pela resenha Mari! Já li A Morte de Sarai, O Retorno de Izabel e O Cisne e o Chacal e curti bastante. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  15. Também não conhecia esses livros, mas parecem bem bacanas!
    Gostei da resenha e fiquei curiosa pra ler :)

    https://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oi Mariana,

    esse livro está na minha lista de leitura faz um tempinho, ainda estou procurando um momento certo para ler ele.
    Parece ser bem intrigante.
    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Quero ler, o tema é importante, a leitura deve dar uma angustia, saber o que a personagem e as outras garotas passam nesse cativeiro, só de imaginar fico com uma sensação angustiante. Ainda bem que a Sarai é uma personagem de dar inveja mesmo passando por tudo isso é forte e corajosa.

    ResponderExcluir
  18. Já li vários comentários positivos sobre essa trilogia de livros, mas ainda não li nenhum deles. Fico muito interessada no fato de uma realidade tão atual ser o assunto central da obra, acho que esse tema é de extrema importância e precisa ser discutido e abordado em todos os meios possíveis. Tu disse que a protagonista não é nem de longe uma mulher frágil e eu fico muito contente em saber disso, visto que aquele estereótipo de figura feminina insegura e indefesa já me cansa há algum tempo. Adoro as capas desses livros, e espero um dia poder lê-los.

    ResponderExcluir
  19. Oi, Mari!

    Obrigada pelo alerta quanto a não esperar muito por romance. Sempre achei a história legal, mas sei que lá no fundo vou me arrepender quando não encontrar uma carga maior de romance unido à violência e ação hahaha. Ainda assim, tenho muita curiosidade com essa série. Ótima resenha!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  20. Olá, Mariana!

    Já tinha ouvido falar dessa serie de livros uns anos atrás. A Sarai é uma personagem que sofreu muito ao ser traficada pelo Javier, e ao encontrar o Victor, se agarra a essa chance de fugir do Javier e se transforma dentro desse mundo de assassinos como a única forma de sobreviver.
    A única pena é que ao mudar de foco editorial, passando para a fantasia e a ficção científica, a Suma deixou definitivamente de lado essa série. Pode ser possível que a Paralela (também pertencente a Companhia das letras) passe a publicar a série, mas nada foi dito e feito nesses anos sobre isso. A única esperança de ler a serie inteira é saber ler em inglês.

    Um abraço!

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.