08 abril 2018

Resenha: Rio Vermelho


Ao finalizar essa leitura, fechei meus olhos e pensei: “O que estou fazendo da minha vida?” Chegar ao final era uma das minhas metas primordiais, no momento, afinal, seria como concluir um dever de casa que não estamos muito solidários a fazê-lo. 

Dennis Danson é o protagonista, ele está preso há mais de 20 anos pelo assassinato brutal de uma jovem em Red River. Famosinho, o prisioneiro passa a ser o assunto principal num documentário a respeito de crimes reais, com o fito de descobrir a verdade e libertar um possível inocente. Sim, eu disse possível porque alguns acham que ele realmente não cometeu o crime. Em contrapartida, Samantha acredita nas alegações de inocência e resolve fazer uma campanha para tirá-lo da prisão. E é aí que as coisas começam a desnivelar e meus olhos querem ser fechados. 

Sam passa a escrever cartas ao jovem rapaz. Ah! Detalhe importante é que ele é considerado um cara bonitão, ainda que tenha envelhecido, mas a aparência continua invejável e as mulheres ficam loucas por ele. Não sabemos nada sobre os traços físicos de Sam, a autora apenas foca em dizer que ela tinha complexo com gordura, com o rosto e acaba por aí. O que ela tem de encantador eu não sei, mas Dennis viu algo nas cartas dela; os dois acabaram se apaixonando e ficando juntos. 

Rio Vermelho é o típico livro que vai te deixar indeciso, logo no início. Aliás, para ser sincera, ele me proporcionou sentimentos indescritíveis. E não entendam isso como algo mil maravilha. Acredito que esse fator ocorreu por causa dos protagonistas. Em momento algum senti afeto por eles, em parte alguma consegui dar credibilidade à ideia veemente de Sam, nem tampouco ao Dennis – que, cá entre nós, estava enfadonho. 


Não vou dar continuidade ao que acontece, mas se vocês derem uma lida na sinopse ela contará, do início ao fim, o destino de ambos – o que, para mim, tirou todo suspense da história. Não é nada difícil descobrir quem é o culpado de tudo. Logo no primeiro capítulo as coisas ficam claras e o mistério não existe. Já iniciei a leitura sabendo o que aconteceria, principalmente quando temos uma sinopse tão de mão beijada. Esse foi um dos pecados mortais, no meu simplório ponto de vista. Não vou adentrar à história tanto quanto a sinopse fez, não vou dizer que eles se casaram, que ele saiu da prisão e nem que... Não, pera! 

Vamos analisar de modo profissional o motivo de esse livro fazer tanto sucesso por aí, porém, de não ter me agradado – é melhor do que soltar spoilers. Já aviso de antemão que os pontos que me incomodaram podem ser considerados pontos positivos para vocês, o que não tira o fato de cada um ter o seu exemplar e tirar as próprias conclusões. Ok? Natalia não gostou. A crítica do gênero, a que já leu muitos livros desse estilo e já está um pouco saturada de elementos neutros, bem como a ausência de mistério. Combinado assim? 

O incômodo começou logo na narrativa. A autora resolve mesclar a história, em tempo real, com cenas do documentário. Primeiro ponto que deixou a escrita como passos de cágado. O segundo obstáculo enfrentado durante a leitura foi a personalidade de Sam. Ok, eu sei... Já sei isso também. Entendo todo o psicológico que a autora tentou utilizar para criar uma personalidade mais humana, do nosso dia a dia. Ponto para a criatividade dela. No entanto, não acredito que tenha sido tão bem desempenhada. 

Quando era estudante de Direito, fiz muitas pesquisas a respeito da mente humana e analisávamos aquelas consideradas doentias, perversas e tantas outras mais – pude perceber que essas coisas realmente existem e são lamentáveis. O fato de existir (friso) não quer dizer que tenha desenvolvido com sucesso. Afinal, a história me pareceu um tanto quanto superficial, no momento em que ela resolveu enviar as cartas. Não consegui captar um elemento envolvente, de início; nem tampouco fui convencida pelas ideias rasas de Sam. A autora teve a ideia de mostrar como uma mente pode se fechar para as coisas do nosso dia a dia, para sentimentos amorosos e não sei mais o quê. Entendo isso. Juro por Deus que entendo. Todavia, não aceito a superficialidade imposta. 


O terceiro ponto que considero essencial para abordar é sobre a falha na construção. Dennis ficou 21 anos preso, sem prova concreta sobre si, supostamente havia DNA dele nos dedos da garota (que foram arrancados antes de ser encontrada morta) – o que não fala mais nada, posteriormente. Simplesmente foi preso e, depois de um novo julgamento, com muito protesto, foi absolvido. Esse fato eu nem vou adentrar, pois sei que há falhas no sistema judiciário, tanto para culpá-lo quanto para inocentá-lo. 

O quarto e último detalhe que precisa ser falado impreterivelmente: o desfecho. Durante todo o livro tivemos uma narrativa lenta, compassada e até mesmo exagerada em alguns pontos. E quanto ao final? Mais veloz do que Usain Bolt. As palavras foram atropeladas, a revelação foi contada apressadamente. Se vocês acharem que é exagero, na página 253, em apenas um parágrafo, somos apresentados ao (não tão) grande final. 

O livro tinha tudo para ser o melhor dos melhores lidos este ano. E podem apostar que muitos vão considerá-lo assim, ele foi até premiado. Porém, quem está acostumado com esse gênero vai encontrar muitas falhas na construção. Para quem gosta de um romance e não é muito leitor de thrillers como esse, certamente vai se sentir mais à vontade para apreciar e degustar uma boa história. 

Ainda que você seja fã como eu, não vire a cara ao livro apenas porque eu disse coisas ruins a respeito dele. O que é bom para um não é tanto assim para o outro – e vice-versa. Muitos têm medo de fazer uma resenha crítica por medo de perder parceria com a editora, com os autores ou até mesmo por perder leitores. Mas acredito que seria bem pior se eu viesse contar inverdades e vocês corressem com sede ao pote achando uma coisa e, no final, não ser o que pensou. 


Acontece de um livro não ser bom para mim, mas ser para você. Acontece de recebermos um livro, em parceria, que não agrada. Mas temos de ser profissionais e pontuarmos fazendo jus ao que somos. Não sou perfeita, ninguém o é. Porém, eu não fui a única a ter esse ponto de vista. 

Aproveitem o exemplar que estamos sorteando, em parceria com a Faro Editorial, e tenha o seu em mãos para ter a sua própria opinião. E desejo que seja uma ótima experiência! 

Sobre a edição:
Difícil não gostar dos trabalhos estéticos da Faro. Sempre muito bem impecáveis. A capa é bem bonita, com relevo no título e as páginas dentro, como puderam ver nas fotos, são trabalhadas. A diagramação é excelente. Achei apenas três erros de revisão. No mais, o trabalho ficou show.

 
Título: Rio Vermelho (exemplar cedido pela editora) 
Autora: Amy Lloyd
Editora: Faro Editorial
Páginas: 276 
Ano: 2018

28 comentários

  1. Oi, Natalia.

    É difícil entender a mente da Sam, mas acho que ela encontrou no Dennis, uma forma de ter um vínculo com alguém, desenvolveu um amor platônico, mesmo esse alguém tendo um histórico marcado por muito sangue e com evidências... Tudo isso, talvez por causa da carência.

    E realmente, eu acho que um bom livro de suspense tem que nos surpreender, ser algo inesperado. Quando ele nos deixa saber logo o que vai acontecer, acaba sendo monótono.

    Um dos meus livros super desejados! 😍

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez seja, Dai. Mas talvez não.
      Isso aí só cada um pode interpretar do seu jeito rs.

      Espero que goste da obra rs.

      Excluir
  2. Oi Natalia, tudo bem?
    Thriller é um dos meus gêneros favoritos, então adorei ler sua resenha honesta e cheia de argumentos pra falar sobre esse livro - cuja sinopse até tinha me chamado a atenção. Não vou colocá-lo na lista de leituras no momento. :)
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas pode ser que você goste, Priscilla.
      Nunca se sabe rs.

      Excluir
  3. Perfeita sua resenha. Você sabe o quanto eu fiquei incomodada com esse livro....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é... Sabemos o quanto a leitura nos incomodou.
      Infelizmente. Queria muito ter gostado.

      Excluir
  4. O tema central do enredo é muito interessante. Já li um livro assim, onde tudo era revelado nas primeiras páginas, e se perde uma grande chance de criar um suspense para segurar o leitor. Sinopse que entrega tudo sobre a trama é terrível e destroem o prazer que poderíamos ter com a leitura. Mesmo diante de todos os pontos analisados por vc, que parecem ter todo sentido, eu me arriscaria na leitura do livro. Gostei da capa e do título.

    *☆* Atraentemente *☆*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que ótimo que se arriscaria, Evandro.
      Espero que para você a história seja diferente.

      Excluir
  5. Naty!
    Entendo perfeitamente todas suas observações e são mesmo bem pontuadas, mas a curiosidade é tão maior... tenho tanta vontade de ler esse livro que assim que tiver oportunidade, farei.
    Pena a autora ter trazido uma leitura arrastada e depois ter corriso no final, além de trazer ponto de vista contraditório.
    Desejo uma ótima semaninha!
    "De vez em quando eu não sei o que fazer comigo mesmo e com o meu gênio. É um saco estar sorrindo e dois minutos depois chorando." (Augusto Cury)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA ABRIL – ANIVERSÁRIO DO BLOG: 5 livros + vários kits, 7 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que ainda tem vontade, Rudy.
      É sempre bom não desmotivarmos ao lermos uma resenha.
      Dependendo de quem faz, dependendo do gênero e até mesmo dos argumentos, eu fico balançada.
      Mas é bom sempre seguir com a vontade de ler e diminuir as expectativas. A chance de dar certo são boas.

      Excluir
  6. Olá, Natália. Tudo bem?
    Leio coisas ótimas sobre o livro, sua resenha foi a mais negativa que li e adorei.
    Isso porque sempre tive receio de ler, pois nem a sinopse do livro me atraiu tanto.


    - Bjux,
    Diego || Blog Vida & Letras ♥
    www.vidaeletras.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A sinopse não me atraiu tanto por causa dos spoilers. Mas tinha ficado curiosa sim.

      Excluir
  7. Oii Natalia

    Não é um livro que me chama muito a atenção, apesar das boas resenhas que tenho lido sobre ele, é que tem alguma coisa que ainda não me convence sabe? Sua resenha foi perfeita, porque coloca a gente com os pés no chão, sabendo mais ou menos o que esperar e já prevenindo para o que pode vir a nos decepcionar, gostei muito.
    Obrigada pela sinceridade

    Beijoks

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Alice.
      É isso que me assustou nesse livro, pois muitos estavam elogiando. Quando li fiquei imaginando o que essas pessoas gostaram tanto.
      Acho que foi exatamente o fato de não lerem o gênero tão assiduamente. Não sei, sinceramente não sei rs.

      Excluir
  8. Nossa, essa é a primeira vez que leio uma resenha negativa desse livro. E eu tava super animada pra ele. Os pontos que você citou que te fizeram não gostar, me fizeram ficar com um pé atrás. Vou aguardar mais um tempo e procurar por outras opiniões. Quem sabe funciona pra mim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Eduarda.
      Pode ser que funcione pra você.
      Participe do sorteio para concorrer :D

      Excluir
  9. Ai Jesus, só ouvi elogios desse livro, que é intenso, nervoso e blablabla mas pra ti não funcionou ne? Uma coisa é certa, cada livro é particular para cada pessoa, uns gostam e outros não, simples assim. Eu adorei a resenha e o tema do livro num geral, mas tu ter dado 2 estrelinhas e meia mostra que a coisa não vai ser facil, o autor se perde pelo caminho pelo que deu pra notar ahahahah, mesmo assim corro o risco e quero ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é... Muitos elogios e eu fui bem chatinha com a história.
      O fato é que vi muitos pontos negativos, mas que podem ser bons pra você.

      Excluir
  10. Oi Nat.
    Entendo seu ponto de vista, e também não consigo entender muito bem a parte de como foi fácil colocá-lo na cadeia, tanto quanto foi para tirá-lo, mas fora isso eu gostei do enredo montado e pretendo ler. Sou uma das leitoras que pouco se aventuram com thrillers, então talvez me surpreenda... Uma pena ter sido uma leitura tão maçante para você!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Vitória.
      É bem estranho esse amontoado de coisa.
      Mas paciência hahaha.

      Excluir
  11. Quero muito ler esse livro, adoro thrillers, de desvendar os possíveis assassinos!! Embora os pontos apontados nessa resenha tenham me deixado um pouco intrigada, pretendo ler o livro e conhecer essa história de perto, visto que está sendo bem comentado!!

    ResponderExcluir
  12. Gosto muito da tua sinceridade na opinião acerca dos livros, acho que isso só te dá mais credibilidade frente aos leitores, apesar de poder ser mau interpretado por alguns. Com relação ao livro, confesso que tinha altas expectativas sobre ele. Sou uma leitora do gênero, assim como tu, e não lembro de ter visto enredos iguais a esse, portanto achei que o livro tinha tudo pra ser legal. Mas os pontos que tu destacou realmente pesam contra a narrativa, e acho, depois de ler tua resenha, que a autora não soube aproveitar tão bem assim o potencial que a história oferecia. Mesmo assim ainda pretendo ler o livro e tirar minhas próprias conclusões.

    ResponderExcluir
  13. Oi Natalia!
    Adoro livros do gênero e achei uma pena esse não ter encaixado tão bem.
    Também não gosto de narrativas lentas e muito menos finais rápidos, então esses já são meus principais motivos pra me decepcionar um pouco com esse livro. Além disso percebi que apresenta algumas falhas na história, o que me decepciona bastante com livros desse gênero. Assim não sei se estou tão empolgada, tem tantos livros bons que estou louca pra ler que vou deixar esse passar.
    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Nossa, o livro é lindo mesmo (fisicamente) mas sim, sua resenha me deixou com o pé atrás.E olha que nunca tinha ouvido falar nesse livro (não que eu me lembre).
    Estou necessitada de um bom romance policial, há tempos não leio um, mas esse já nem entrou pra listinha no momento.
    Bjss

    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
  15. Oi Natalia! Gostei muito da tua resenha, é bom quando encontramos sinceridade nas palavras sobre um livro tão bem comentado por aí.
    Eu realmente quero ler e tirar as minhas próprias conclusões, mas depois da tua resenha irei com menores expectativas.

    Beijinhos ;)

    patybookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Olá, Natália!

    Acabei não escolhendo o livro para o comentarista premiado, mas ele cometeu muitos erros, mesmo tendo uma premissa interessante. É óbvio que com uma sinopse como aquela, todo mundo iria pensar que o Dennis seria o tipo charmoso manipulador, que não seria o inocente que todos pensam. Se tivesse trabalhado melhor a ambiguidade disso, iria ser um livro melhor e muito mais tenso.

    Um abraço!

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.