16 maio 2018

Resenha: Quando as estrelas caem


Olá leitores, andei sumidinha mas estou de volta. Sentiram minha falta? Podem fingir que sentiram, eu deixo <3 

Quando as estrelas caem de Amie Kaufman e Meagan Spooner, duas autoras que estão bombando no cenário jovem adulto estrangeiro, traz a alucinante história de Lilac e Tarver, dois jovens que não poderiam ser mais opostos e que se veem sozinhos em um planeta estranho e hostil após um incidente que derrubou a nave em que estavam viajando pelo hiperespaço. 

Ambos são adorados pela mídia, ele por ter sido um herói de guerra e ela por ser a única filha do senhor Laroux, o homem mais rico e poderoso da galáxia. Quando a nave em que viajam demonstra estar entrando em colapso, os tripulantes são orientados a partir em cápsulas de escape e, para a sorte ou azar de Tarver, ele escapa junto da princesinha da galáxia. Os instintos de soldado de Tarver não demoram a alertá-lo de que algo não está certo com o planeta onde aterrissaram e logo se dá conta de que precisam buscar abrigo e garantir os meios de sobrevivência até que o resgate chegue. Já Lilac, por ser filha de quem é, acredita que todos os sobreviventes serão resgatados em poucas horas e não aceita quando o jovem soldado a “força” a abandonar o local da queda em busca de um local menos exposto e mais seguro. 
"A floresta está cheia de sons e movimentos que não consigo rastrear, coisas que passam tremeluzindo pelos cantos dos meus olhos, desaparecendo antes que eu possa me concentrar nelas. O major não parece notar essas coisas, e, se ele as nota, não se incomoda com elas, mas é como se toda a floresta sussurrasse a nossa volta, dizendo coisas incompreensíveis nos meus ouvidos."
Tarver sabe que para saírem dali vivos eles precisam fazer com que essa aliança inesperada dê certo, para isso eles precisam esquecer as diferenças e trabalhar na busca por itens de sobrevivência que possam ser recuperados dos destroços da nave, enquanto enfrentam os perigos do planeta desconhecido e se esforçam para combater a atração que sentem um pelo outro, quando não sabem se os sentimentos que surgiram são reais ou frutos da crescente solidão e do desespero pela situação que enfrentam.


Além de nos apresentar uma fantasia repleta de ficção científica, as autoras nos dão um romance digno de Tristão e Isolda onde o simples fato de estar junto de Lilac pode colocar a vida de Tarver em perigo e essa convivência improvável mostra a eles que ela não é apenas uma princesinha mimada, assim como ele não é apenas um soldado condecorado. Quando as estrelas caem brinca com a fé do ser humano em si próprio e em seus instintos e que com confiança quase tudo se supera. 

A narração intercalada entre as personagens Lilac e Tarver nos faz compreender melhor cada situação e como as atitudes de um para o outro são recebidas e interpretadas, o que nos ajuda a entender a reação dos sobreviventes a cada adversidade. Antes de cada capítulo somos presenteados com trechos de um interrogatório feito no futuro pós resgate que, ao mesmo tempo que nos deixam em agonia – por não termos ideia do que os levou até ali e de onde está Lilac, que não participa dos diálogos –, nos dão um pingo de esperança de que nosso shipp ficará a salvo. 

E falando em shipp, o relacionamento não foi foco nessa história até que realmente se tornasse impossível não rolar uma aproximação entre Lilac e Tarver. Diante de uma situação de importância maior – a sobrevivência de ambos – eles deixaram a atração que sentiram antes da queda em segundo plano, o que me agradou bastante por achar fora de contexto tentar enfiar romance em qualquer lugar não importando a circunstância. E, no fim, quando se tornou inevitável, eles se amaram pelo que eram não pelo que aparentavam ser.


Quando as estrelas caem é viciante, não por menos, o li em poucos dias. As trocas de narração entre as personagens e as “espiadas” no futuro deram um ritmo rápido e instigante que nos deixam a todo momento verdadeiramente loucos pela leitura de mais um capítulo e mais outro após esse. Ironicamente não foi uma leitura que me deixou desesperada por ser muito boa, isso se deve ao talento óbvio das autoras em conduzir a história de forma a cativar o leitor e atrair sua curiosidade. Senti falta de um antagonista físico e ativo que colocasse a história para girar além de Lilac e Tarver mas com personagens bem construídos e um cenário de tirar o fôlego, recomendo que leiam e tirem suas próprias conclusões sobre esta obra que deixou brechas e algumas indicações de que terá uma continuação.
“Como se vive de novo quando se sabe o que o espera no fim?”
Sobre a edição: apesar de apresentar uma capa muito bela e que traduz o sentimento presente na obra, a edição apresenta uma diagramação interna bastante comum; fonte e espaçamento que propiciaram uma leitura confortável, parabéns, no entanto, para Ana Death Duarte que conseguiu traduzir a beleza e a selvageria do planeta desconhecido de forma exuberante.



Título: Quando as estrelas caem (exemplar cedido pela editora)
Autoras: Amie Kaufman e Meagan Spooner
Editora: Novo Conceito 
Páginas: 415 
Ano: 2018

21 comentários

  1. Oi, Jéssica.

    Às vezes, é preciso passar sobre tudo, sobre até mesmo sentimentos controversos.

    Afinal, eles estavam completamente sozinhos, não é mesmo? Um acabou se tornando válvula de escape um do outro.

    ResponderExcluir
  2. Verdade Daiane, mas nesse livro as autoras conseguiram driblar esse sentimento de "somos só nós, então bora", ela realmente construiu o sentimento dos dois baseando primeiro em respeito, depois amizade, atração e só aí o coração entrou pro jogo. Muito gostoso de ver eles se apaixonando.

    ResponderExcluir
  3. Confesso que ficção científica com viagens espaciais não são bem o foco do meu gênero literário. Mas depois de ler essa resenha vou até colocar na minha lista de leituras desejadas lá no Skoob.

    ResponderExcluir
  4. Ando vendo muito esse livro por aí e já tinha colocado na minha lista de leitura. Adoro essa pegada de ficção com fantasia. Conhecendo com mais detalhes o enredo e a forma como as autoras fizeram a composição dos capítulos fiquei ainda mais curioso. Adorei esse interrogatório antes de cada capítulo e imagino a ansiedade para conhecer o desfecho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Evandro, exatamente haha a sintonia é muito boa. Boa leitura pra vc.

      Excluir
  5. Ahhh, eu fiquei de olho nesse livro desde que vi o lançamento dele. Essa é a primeira resenha dele que leio e confesso que gostei bastante. Fiquei mais curiosa ainda pra ler. Dica anotadíssima!

    OBS: Suas fotos ficaram lindaaas, parabéns!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Suelen, coisa boa ler isso, viu?! Espero que seja uma boa leitura pra voce tambem, abracos!

      Excluir
  6. Olá, Jéssica!

    Achei interessante essa trama que lembra Tristão e Isolda, mas dá um certo medo, já que na tradicional história, o fim é trágico. O que estranho é o que você falou de não ter um antagonista que empurre a história longe de Lilac e Tarver em alguns momentos, mesmo que a sua resenha mostre uma brecha para isso acontecer. Pense bem, a Lilac achava que seria salva rapidamente por ser a filha do homem mais rico da galáxia. Então, e se alguém que fosse inimigo do pai da garota tivesse armado o colapso da nave com a exata intensão de matar Lilac para se vingar do pai? Os depoimentos nos capitulos fariam sentido porque seriam a investigação de quem sabotou a nave, e se (bate na madeira) a Lilac não tivesse sobrevivido, o Tarver se tornaria na hora um suspeito só por não ter conseguido manter ela viva.
    Essa tese toda eu montei com base na resenha, sem ter lido o livro, mas mostra que poderia sim ter um vilão no livro, ligado ou contra a família Laroux.
    Mesmo assim, você acaba torcendo pelo casal, pois se apega a sua luta pela sobrevivência e ao romance que nasce dessa luta. E quer que tudo dê certo (mas sem a necessidade de um segundo livro para revelar o que aconteceu a Lilac).

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leti, sua imaginação foi longe agora hein rss falei algo mais sobre o antagonista que você não notou... sempre cuido para não dar spoiler mas com um pouco mais de atenção a cada palavra você poderia ter construído uma teoria mais louca, porém, mais próxima da realidade do livro.

      Seus comentários são os melhores, abraços!

      Excluir
  7. Oiii Jéssica

    eu gosto da ambientação do livro, parece ser interessante. Comprei fa zum tempinho a trilogia completa em espanhol, mas ainda nem pude ler, espero gostar apesar de que com certeza deve ter suas falhinhas.

    Beijokas

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alice, ah que bom! Acho que as falhas nessas narrativas voltadas para o público jovem sempre existem, o que vai definir se iremos gostar ou não é quão exigentes estaremos no momento. As vezes tudo que queremos é viajar na leitura sem ligar muito pra lógica.

      Abraços!

      Excluir
  8. Jéssica!
    Saudades de você menina!
    Nossa!
    Em êxtase porque trazer um releitura de Orgulho e Preconceito misturado a uma ficção científica, é algo sui generis e fiquei muito curiosa para acompanhar toda a aventura do livro.
    Maravilhoso final de semana!
    “Eu gosto de escutar. Eu aprendi muito escutando cuidadosamente. A maioria das pessoas nunca escuta. “(Ernest Hemingway)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MAIO BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudy, e eu estava com saudade de vocês! Não li Orgulho e Preconceito então não sei se há relação ou algo próximo de uma releitura.

      Até a próxima.

      Excluir
  9. Oi Jéssica,
    Fiquei interessada nesse livro quando vi o lançamento no post que você trouxe, achei a trama muito intrigante. Então, fico animada em saber que a leitura vale a pena. É uma história mais voltada para o publico juvenil mas nem por isso deixa de chamar a atenção dos demais leitores, ainda mais para quem gosta de ficção científica com um toque de romance como eu kkk.
    Essa aliança inesperada entre os dois personagens para garantirem a sobrevivência irá proporcionar uma leitura cativante, sem falar nesses trechos das cenas do futuro pós resgate, é pra deixar o leitor ainda mais curioso para saber o desfecho dessa aventura improvável.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Micheli, as vezes tudo que queremos é viajar na leitura sem ligar muito pra lógica não é mesmo. Confesso que isso é o que mais me atrai nos infanto-juvenis, yas.

      Obrigada pela visita, abraços!

      Abraços!

      Excluir
  10. O livro parece ser impressionante!! Uma trama cheia de riqueza de detalhes, dá para se notar que são vários personagens, mas que os principais são muito bem construídos!! Enfim, uma estória de tirar o fôlego, de ficar na expectativa do que vai acontecer!!

    ResponderExcluir
  11. Não conhecia o livro, mas adorei toda premissa haha
    Gosto bastante quando a trama faz com que duas pessoas que são completamente diferentes e sejam obrigadas a conviver, rende bastante acontecimentos.
    Anotada a dica!

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Nicole, a premissa é mesmo muito atrativa, espero que goste. Beijinhos!

      Excluir
  12. Oi Jéssica,
    Fazia tempo que não via a Novo Conceito com um lançamento tão desejado.
    A história foi bem criada, envolver dois personagens completamente diferentes e criar uma relação que é bem trabalhada entre eles é algo que conquista os leitores, eu me sinto mais interessada pelo romance do que pela ficção científica, mas gostei da mistura dos dois.
    Beijos

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.