17 julho 2018

Resenha: Uma dobra no tempo


A obra foi publicada em 1962, após ser recusada por diversas editoras. Atualmente, poderiam julgá-lo como um livro ultrapassado, porém, a essência nele continua e a narrativa permanece tocando qualquer leitor, principalmente as crianças e os adolescentes.

Meg tem apenas doze anos, porém, são vários problemas que enfrenta. Seu pai simplesmente desapareceu, seus irmãos são completamente diferentes dela e isso a deixa incomodada em grande parte do tempo. Bom, e sua mãe… Quer passar a ideia de que está tudo bem, porém, no fundo ela sabe a falta que seu esposo faz dentro daquele lar. Como se já não bastasse os problemas dentro de casa e dentro de si, os colegas da escola são bem complicados e birrentos. 

Esse livro é diferente, trata-se de um HQ, com traços bem feitos e com frases impactantes. O leitor sente dó da personagem Meg, mas já vi muitos comentando que parece ser mimada, dengosa e biriri bororó. Não acho isso, pelo contrário. Consegui sentir afeição pela garota e me coloquei no lugar dela em muitos momentos. Não é fácil lidar com tantas coisas acontecendo ao redor, principalmente quando seu pai, a sua estrutura, simplesmente desaparece sem deixar vestígios. É ou não é para ficarmos de cabelo em pé?


A aventura do livro se inicia quando, numa noite de tempestade, Meg e Charles recebem a visita de uma senhora bem misteriosa e, ela, juntamente com outras senhoras possuem segredos que podem levar os garotos ao encontro do pai. Decididos, eles partem pelo universo em busca de qualquer indício do paradeiro do físico, o Dr. Murry. Mas o que eles descobrem vai muito além disso: todo o universo está sendo atacado pela Escuridão (com letra maiúscula mesmo), uma força perigosa que traga a luz das estrelas e dos planetas, em uma luta contra o mal que parece nunca acabar. Não dá para explicar muito como tudo isso funciona, até daria, mas poderia perder a essência, a graça da coisa. 

Eu queria ter lido essa ficção científica na minha infância. Tenho certeza que contarei aos meus filhos, quando um dia eu tiver, rs. É uma leitura bem simples, mas que nos transmite uma sensação gostosa, como se fosse um filme engraçado, triste e, ao mesmo tempo, leve. 

Uma dobra no tempo é uma grafic novel que nos proporciona lições para se carregar para a vida. Refletimos logo na primeira página do livro, pode parecer mentira, mas quando Meg começa a dizer “Não é o mundo lá fora que me assusta. É o tempo e tudo mais. Tudo que está acima de mim” já percebemos que algo triste está por vir. Não dá para finalizarmos a leitura e não refletirmos sobre nossas escolhas, nossos caminhos e as consequências delas.


E o que você faria se soubesse que as nossas atitudes são responsáveis por uma escuridão que toma a Terra? Como seria possível revertermos nossas ações? E o que faríamos com a escuridão ao nosso redor? É uma leitura, a princípio, para crianças, mas que todos os adultos deveriam ler. Ler para si, ler para os idosos, para os jovens, para as crianças. Simplesmente ler e absorver o que ele tem de bom. Enxergar apenas o que realmente nos importa, nos faz bem e proporciona o bem.

Sobre a edição: DarkSide rouba a cena quando o assunto é estética. A edição é lindíssima em capa dura, com um preto fosco como pano de fundo e gotas brancas e pratas, simbolizando pontos de estrelas, sem contar que existem estrelas douradas por toda a parte. O nome, ao centro, é algo bem discreto, assim como o nome da autora e de quem fez a adaptação. O destaque fica por conta das cores, das imagens das crianças e das criaturas, com efeito silhueta. A lombada possui um discreto relevo no nome da editora e no nome dos responsáveis pela obra. A caveira, ainda na lombada, segue o modelo dos marcadores enviados por eles - que são lindos, por sinal. Na contracapa, o círculo segue com muitos brilhos prateados e uma ramificação espetacular. As páginas nas laterais são coloridas, mesclam-se o lilás e o teal e, no meio do livro, as duas cores se encontram. Por dentro, várias páginas simulam o céu escuro coberto de estrelas e, a cada página virada, é uma estética diferente de deixar o leitor satisfeito com o que encontra. Parece puxa-saquismo, mas não… A edição é uma das mais lindas que tenho na estante. Enquanto lia a obra, saí para vários lugares com o livro e todos pediam para ver, ficavam curiosos e queriam folhear página por página. Vale a pena ter o seu.

Outras fotos:





Título: Uma dobra no tempo (exemplar cedido pela editora)
Autora: Madeleine L'Engle
Editora: DarkSide
Páginas: 420
Ano: 2018

16 comentários

  1. Naty!
    Bom ver que a cada nova página virada, foi um descoberta e emoção.
    Amo ficção científica e ver um livro bem escrito, com detalhes e envolvente é fascinante.
    Adoro tema como viagem no tempo, parece que viajo junto.
    E amo também livros infanto juvenis, carregados de aventuras e descobertas.
    Adorei a resenha.
    “É o coração que sente Deus e não a razão.” (Blaise Pascal)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JULHO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Rudy.
      Espero que leia e goste bastante quanto eu.

      Excluir
  2. Faz tanto tempo que não leio um livro HQ, sou louca pra ler esse livro ♥

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir
  3. Gostei da resenha Naty. Confesso que não sou lá muito fã de ficção científica, mas fico feliz que tenha curtido o livro. E sim, os livros da Darkside são verdadeiras obras de arte. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E como são, Vanessa!
      Edições sempre belíssimas.

      Excluir
  4. Que amor a capa desse livro, ele foge muito do que costumo ler, mas por você ter gostado me animei para ler também!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Kaila.
      Espero que leia então rs. E goste haha

      Excluir
  5. Mesmo sendo um pouco mais infantil, essa obra me chamou bastante atenção!
    Vou procurá-la! Achei a edição linda!

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Procure, sim. A edição é de fazer inveja.

      rs

      Excluir
  6. Não conhecia esse livro, mas achei a capa belíssima e a proposta muito interessante. Adoraria conferir!
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com/2018/07/resenha-do-livro-amor-gelato-jenna.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI, Gaby.
      Espero que leia. É realmente bem interessante mesmo.

      Excluir
  7. Oi! Eu tenho muita vontade de conhecer a história, parece sem diferente e muito interessante. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  8. Oi Nat,
    Leio pouca ficção científica e são poucos livros do gênero que me prende ... A resenha está ótima, mas infelizmente não é um enredo que me prende.
    Achei que a história não condiz com a idade dos personagens e já havia reparado isso em uma outra resenha..
    Já viu o trailer da adaptação? Pareceu bem legal, quero assistir, quem sabe não fico com vontade de ler o livro depois.
    Sobre a edição, sem dúvidas é maravilhosa!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  9. Oi! Quando eu li sobre o lançamento deste livro, fiquei muito empolgada, pois além da edição estar maravilhosa, uma obra de arte na minha opinião, a ideia de uma hq, misturando ficção científica com fantasia me deixou muito curiosa. Mas com o passar do tempo, e leituras de algumas resenhas, fui perdendo o interesse, fui achando sem graça e uma grande amiga minha leu as sequencias e odiou, o que me deixou desanimada. Agradeço a resenha.

    Bjoxx

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.