12 setembro 2018

Resenha: Em pedaços


Em pedaços foi meu segundo contato com a autora e a experiência foi tão boa quanto a primeira.

Nessa história, temos Olivia que está largando o último ano da faculdade para se mudar de NY para o Maine a fim de fazer uma “boa ação”. Ela aceita uma proposta de trabalho onde será cuidadora de um veterano de guerra cheio de marcas que vive recluso em sua própria casa.

Ela é contratada pelo seu pai, um milionário que está disposto a fazer tudo para salvar seu filho.

Olivia não pesquisou nada sobre Paul Langdon, nem sabe o que a espera, por medo de não conseguir enfrentar. Mas quando chega à mansão, ela esperava encontrar qualquer coisa, menos um homem de 24 anos extremamente bonito e com cicatrizes no rosto e principalmente, na alma.

Paul se recusou a assumir os negócios da família e se tornou um fuzileiro naval contra a vontade do pai. Ele viveu seu maior pesadelo no Afeganistão e foi o único sobrevivente do seu grupo. O que para Paul é uma ironia, pois por mais que ainda estivesse respirando, ele estava morto por dentro.

Paul afastou todas as últimas “babás” que seu pai mandou, e essa aceitou por ser a última. Se ele a aguentasse por três meses, ele o deixaria livre. Mas o que nosso amigo não esperava era dar de cara com uma loira maravilhosa de 22 anos que mexeria com toda sua cabeça, e principalmente, seu coração.


Nessa obra, a autora traz uma releitura de A bela e a fera, onde nossa mocinha tenta resgatar o lado humano desse monstro. Paul vive amargurado, não sai de casa, não se importa com ninguém e tenta a todo custo fazer com que Olivia vá embora.

Porém, nem ele estava preparado para o que aquela moça irritante poderia trazer para sua vida. Trouxe sorrisos, confiança e principalmente esperança.

Paul não consegue ainda lidar com seus sentimentos e não é capaz de oferecer a Olivia o que ela merece. Entretanto, ambos estão envolvidos demais com o outro para simplesmente virar essa página.

O tempo é curto, chegam os três meses e Paul já cumpriu seu trato com seu pai, porém será mesmo que ele é capaz de deixar ela ir embora? Será capaz de superar todos os seus medos para se entregar a esse amor?

Aqui temos dois jovens com segredos do passado e medo de se entregar ao presente, porém a forte atração entre os dois é inegável. Paul é um estúpido, mas mesmo assim Olivia não desiste dele, pois sabe que atrás daquele rosto marcado tem uma alma, um ser humano, um homem bom.

Eu, particularmente, amo releituras de A bela e a fera, pois confesso que tenho uma quedinha pelas feras dos livros. Esses homens grossos, irritantes e estúpidos sempre conquistam meu coração, pois sei que sempre é uma casca. No fundo eles têm um coração enorme e são capazes de amar incondicionalmente, só precisam descobrir como.

Confesso que comecei essa leitura com um pé atrás e quase pedi a Naty que não me enviasse o livro, pois vi uma série de críticas negativas sobre ele. Dizendo que Paul é agressivo, manipulador e que eles viviam um relacionamento abusivo.

Mas pera aí, gente! Vamos com calma. Paul tem a alma muito machucada e não consegue confiar nas pessoas, só ele sabe o que passou naquela guerra, e em momento algum ele agrediu a Olivia. No início ele a empurrou algumas vezes (duas, se não me engano) por ela tentar se aproximar demais quando ele ainda não aceitava. Mas em momento algum ela se machucou. E relacionamento abusivo? Onde? Quando? Ela o procurou porque quis, porque aprendeu a gostar dele do jeito que ele é, porque viu nele algo que ninguém viu e, quando ela percebeu que ele não podia oferecer o que ela queria, ela se afastou. Penso que em um relacionamento abusivo a pessoa fica presa àquela relação que a faz mal, não consegue sair e ainda acredita que faz bem a ela. Olivia em momento algum ficou presa a Paul e ele nunca fez nada que ela não quisesse.


Teve algumas atitudes de Paul que eu recriminei, pois considerei bastante infantis e magoaram Olivia. Mas ele mesmo percebeu que vacilou feio e tentou consertar. E vamos lá, quem espera muita maturidade de um cara de 24 anos que sempre teve tudo nas mãos? Só por essa questão que não dei 5 estrelas.

Mas a história em si é linda, a química entre os dois é forte e as cenas hot (ainda que poucas) são bem intensas. Eu torci muito por esses dois e por um final feliz, pois ambos precisavam disso.

Acho que estamos em uma geração cheia de mimimi, onde qualquer relacionamento imperfeito é considerado ilegal, abusivo ou agressivo. Tem livros que retratam realmente essa realidade (posso indicar alguns) e eu nem gosto de ler sobre isso porque fico mal em saber que aquilo realmente acontece, mas não é o caso de Em pedaços. Leiam com a mente aberta e não vão se arrepender, muito pelo contrário, vão se apaixonar!


Sobre a edição: A capa é linda e a diagramação está impecável. Páginas amarelas que são minhas favoritas e tamanho e disposição da fonte perfeitos. Paralela tem feito livros simples, porém impecáveis.


Título: Em pedaços (exemplar cedido pela editora)
Autor: Lauren Layne
Editora: Paralela
Páginas: 248
Ano: 2018

12 comentários

  1. Oi Fernanda!
    Nunca li nd da autora e tenho vontade de ler este livro, está na minha lista!
    Ultimamente tem muito mimimi gratuito por aí XD
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol,

      Sim, acho que as pessoas estão exagerando demais.
      Leia sim! A escrita dela é uma delícia.

      Abraço!

      Excluir
  2. Oiii Fernanda

    Prefiro nem comentar sobre a geração mimimi senão vou ficar até amanhã...rsrs, mas realmente há vários lados pra se entender e refletir antes de tecer uma opinião à respeito de atitudes e caráter, como a alma quebrada do personagem e o quanto ele precisa trilhar pra voltar à sua essência. É um retrato da realidade, ainda assim, as opiniões sempre vão divergir.
    Eu não tenho vontade de ler esse livro no momento porque ando numa fase bem zero pra romances, nada me prende e nem me empolga no gênero, mas quem sabe um dia eu confira, acho as capas dos livros da autora um charme e a trama tem boa pegada.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ivy,

      Exatamente, as pessoas estão exagerando demais. O leitor precisa enxergar a situação do personagem para entender suas atitudes e absorver a mensagem do autor.
      Quando puder, dê uma oportunidade sim, vale muito a pena!
      Obrigada por ter entendido meu ponto de vista.

      Um abraço!

      Excluir
  3. Ahh, eu amei esse premissa! Adoro histórias do tipo A Bela e a Fera, e amo mocinhos militares. Fiquei interessada e, se eu tiver a chance, lerei com certeza! ♥

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Suelen,
      Leia sim! Vale muito a pena, é uma leitura muito gostosa!

      Abraço!

      Excluir
  4. Olá Fernanda.

    Quando você falou no Maine eu lembrei logo do King. Já imaginei mil coisas do mal acontecendo nesse estado. kkkk. Só que ai nesse livro é totalmente o oposto. Traumas de guerra não são nada fáceis de lidar. Uma boa companhia é sempre um diferencial.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fabio,

      Eu também pensei a mesma coisa quando comecei a leitura rsrsrs. Impossível não lembrar, ne? Vai que foi o Pennywise que deixou o cara com a perna manca kkkkkkk.
      Verdade, só os veteranos sabem o que de fato passaram e não cabe a nós julgar de forma alguma.

      Um abraço!

      Excluir
  5. Eu devo confessar que me apaixonei pela historia do livro. Foi uma leitura bem rápida de fato e fiquei apaixonada pelo Paul desde o começo do livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol,
      Pois é... E teve muita gente criticando o coitado, eu também me apaixonei por ele!

      Excluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.