14 setembro 2018

Resenha: Presa invisível


🚨Pode conter o que os chatinhos chamam de spoiler (mas de outro livro famoso)🚨

Lucas é um investigador de polícia que se vê à frente de um caso que pode chacoalhar as estruturas políticas dos Estados Unidos. Em um ano na iminência de eleições presidenciais, um senador é acusado de prática de pedofilia com uma adolescente de 15 anos cuja mãe é de caráter duvidoso. Jurando inocência, o político espera pacientemente que a justiça seja feita e Lucas terá que averiguar a verdade por trás desse caso.

Porém, um assalto milionário começa a mexer fortemente com os ânimos da polícia local e dá brechas para abertura de outros casos, atrapalhando, assim, o desenvolvimento de Lucas no caso do político. Indicado pelo próprio governador, ele entrará numa corrida contra o tempo para finalizar os dois casos.

Os problemas são: por mais que a índole de mãe e filha seja duvidosa, a do político também não é lá essas coisas.

E Lucas percebe que está lidando com ladrões bem inteligentes.

Eu comecei achando esse livro meio parado e sem graça, mas acabei gostando muito dele. A estrutura da história, o modo como se dá o contexto narrativo, me lembrou muito "Mr. Mercedes", do mestre King. O autor não nos narra uma história e deixa para divulgar o assassino no final. O assassino é apresentado pelo próprio autor e o desenvolvimento do enredo se dá mesmo a partir do momento em que o assassino começa a brincar com o policial e dificultar as investigações, fazendo com que ele foque em outras coisas ou pense que determinado outro assassinato tem conexão com o caso. 


Os capítulos do livro não são extensos e Sandford tem uma linguagem que se desenvolve numa tranquilidade tão foda, que você nem percebe a rapidez com a qual passam as páginas. Apesar de pouco movimentado, porém, não nos faltam itens para aguçar a curiosidade.

Gostei muito da criação dos personagens, principalmente do protagonista. Eles são retratados como seres humanos comuns, com os nervos à flor da pele, mas que se não soubessem contornar as situações com algumas piadas de vez em quando, ficariam loucos. Eles são sempre lineares, sendo mostrada aos poucos a evolução de cada um.

Não é uma história cheia de reviravoltas, as tensões e perseguições ficam mesmo para o final, quando as emoções já estão extremamente exaltadas.

Com uma história cheia de referências, um elenco inédito e diálogos densos, o final do livro ainda tem uma parte bem legal que me fez gritar: "Tapohaaa! É assim que eu gosto!! Headshot!!"

 
Título: Presa invisível (invisible prey)
Autor: John Sandford
Editora: Record
Páginas: 385
Ano: 2011

3 comentários

  1. Oi, Marcos!

    Meu problema com livros investigativos/suspense é justamente o ritmo parado e com poucas reviravoltas além do momento das revelações, mas a premissa desse em questão parece muito boa. Adorei a resenha!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Olá, Carol! Obrigado.
    Eu tbm tenho sérios problemas com livros policiais com ritmo lento. Tenho por mim que não se escrevem mais livros como antigamente. Acabei de terminar outro que é bem assim também.

    ResponderExcluir
  3. Autor desconhecido tem dessas coisas, ou você vai amar ou vai se decepcionar. Tenho tido até muita sorte com autores desconhecidos, mas não muita com esse. O livro é bem razoável, mas não chega a empolgar muito. Durante todo o processo de leitura eu cogitei a ideia de abandonar a historia. Realmente a leitura n foi para mim

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.