20 setembro 2019

Resenha: Conectadas

Sinopse Ser uma garota gamer não é fácil. Principalmente quando um romance está em jogo.
Raíssa e Ayla se conheceram jogando Feéricos, um dos games mais populares do momento, e não se desgrudaram mais ― pelo menos virtualmente. Ayla sente que, com Raíssa, finalmente pode ser ela mesma. Raíssa, por sua vez, encontra em Ayla uma conexão que nunca teve com ninguém. Só tem um “pequeno” problema: Raíssa joga com um avatar masculino, então Ayla não sabe que está conversando com outra menina.Quanto mais as duas se envolvem, mais culpa Raíssa sente. Só que ela não está pronta para se assumir ― muito menos para perder a garota que ama. Então só vai levando a mentira adiante… Afinal, qual é a chance de as duas se conhecerem pessoalmente, morando em cidades diferentes? Bem alta, já que foi anunciada a primeira feira de Feéricos em São Paulo, o evento perfeito para esse encontro acontecer.Em um fim de semana repleto de cosplays, confidências e corações partidos, será que esse romance on-line conseguirá sobreviver à vida real?
Quote: "Não importa se as pessoas vão se decepcionar. Se você não for verdadeira consigo mesma, a vida perde o sentido!”
Neste ano, estou tentando ler novos gêneros e conhecer novos mundos, foi a primeira vez que li um livro LGBT+ e adorei a experiência. 

Em Conectadas, conhecemos a história de amor entre Ayla e Raíssa. As duas se conheceram através de um jogo chamado Féericos e, ao longo do tempo, foram criando uma relação de paquera x amizade. 


Raissa é uma garota apaixonada por jogos, paixão esta herdada do seu pai, uma pessoa super bem-humorada e que vê a filha também como uma amiga. Já a relação de Raissa com a mãe não é assim tão fácil; a mãe tem a cabeça mais fechada e é difícil para Raissa se aceitar como é. 

Ayla vive um drama familiar que muitos de nós já passamos, passaremos ou vencemos em algum momento da vida. Seu crescimento pessoal é muito válido para quem está tentando encontrar sua voz e a forma que ela usa para se refugiar é dentro do Jogo Feéricos,

A questão é que a Raissa criou um perfil masculino, dessa forma, os outros jogadores a respeitam como igual. 

Pausa: Quando é o machismo vai ter fim? 


Então você está dizendo que a Ayla se comunica com a Raissa, achando que ela é um garoto? Sim, é exatamente isso. Para Ayla, o amigo virtual com quem ela joga, conversa, desabafa e conta sua rotina do dia a dia é o Léo. IMAGINEM SÓ A CONFUSÃO QUE ISSO VAI DAR!
Quote: "Estar feliz mesmo sabendo que a Ayla estava triste fazia de mim uma pessoa horrível?"
Entre muitas reviravoltas, acompanhamos duas adolescentes passando pela fase do descobrimento e no decorrer da história podemos ver o quanto elas crescem, amadurecem e se tornam donas de si e das vontades de seu coração. Acredito que esse livro vai ajudar muitos adolescentes que ainda estão se descobrindo.

Apesar de não ter conseguido me conectar tanto com as personagens, adorei a mensagem transmitida no livro. A autora soube trazer o assunto LGBT+ de uma forma sutil introduzindo o assunto sobre a sexualidade. Confesso que alguns termos como: Assexual (se apaixona, mas não sente atração sexual pelo outro) e panromântico (não se importa com o sexo da pessoa com a qual se relaciona) foram uma descoberta para mim.

Sobre a edição: 
A capa é muito fofa e as ilustrações dentro do livro são lindas. Eu amei!


Título: Conectadas (exemplar cedido pela editora)
Autora: Clara Alves
Editora: Seguinte
Páginas: 320
Ano: 2019

18 comentários

  1. Cristina!
    Pelo jeito o livro é bem informativo em relação aos termos sobre sexualidade e embora não ache que a forma de contato que a protagonista encontrou para se comunicar com a 'amiga' seja a melhor forma, acredito que seja um livro de amadurecimento.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Olá,

      Sim, esse livro é repleto de informações e amadurecimento. Acredito que as pessoas que vivem essa realidade, têm muito o que aprender com ele!

      Beijos

      Excluir
  2. Tenho lido mais livros LGBT+ , percebo que também estão sendo publicados mais livros nesse estilo para os jovens (antes tarde do que nunca).
    Geralmente não curto livros com personagens mais jovens, mas tenho lido alguns que me fizeram repensar isso.
    Indico: Não Conte Nosso Segredo e Todo Dia.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      Eu até gosto de livros com personagens mais jovens, mas nunca tinha lido nada nesse estilo e aprendi muito. Obrigada pelas indicaçoes.

      Beijos

      Excluir
  3. Este é um gênero que até leio com frequência e agradeço demais quando novos autores vão aparecendo e trazendo trabalhos assim.
    Estava lendo sobre este livro estes dias, não só pela capa que realmente é uma gracinha,mas um enredo assim, trazendo este universo sim, masculino(machismo até quando?) dos games, mas também isso do precisar se esconder para conseguir algum respeito(não sei se foi esta a intenção do "mudar")
    Mas traz também a paixão, o sentimento, os dramas familiares e claro, a mentira que aham, sempre tem perna curta!
    Já quero demais saber como tudo terminou!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      Sim, esse livro aborda muitas coisas importantes, eu aprendi muito com ele. Espero que goste da leitura, assim como eu.

      Beijos

      Excluir
  4. Oii Cris.
    Esses dias estava mesmo procurando indicações de livros LGBTs, ainda não conhecia esse então ele já vai pra lista haha.

    Beijo
    Imersão Literária

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      Fico muito feliz em saber, que tenha encontrado através da resenha. Espero que goste assim como eu, boa leitura.

      Beijos

      Excluir
  5. Nossa, até mesmo em um livro com a temática LGBT a gente acaba encontrando o machismo.
    Eu ainda não tinha ouvido falar nada sobre esse livro. Parece um livro bem gostoso de ser lido. Acho que mais ainda para a turma mais jovem, onde se começam as descobertas da vida. A capa é bem simplezinha mas acho que tem bem a ver com o enredo.
    Não é um livro que tenha me feito sair correndo para ler mas é possível que eu faça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      Eu também me surpreendi ao dar de cara com o machismo em um livro desse gênero. Na verdade, ele aborda muitos temas importantes, vai além de um romance jovem LGBT +.
      Espero que tenha a oportunidade ler um dia.

      Beijos

      Excluir
  6. Olá! ♡ Não leio muito livro adolescente, pois já não consigo me conectar tanto quanto gostaria com os mesmos, mas acho que esse vale muito a pena! Quero muito conhecer a escrita da Clara Alves.
    Que bom que você está se aventurando por outros gêneros, tenho que seguir seu exemplo, é bom sair da zona de conforto e nos desafiar a a ler gêneros desconhecidos por nós. Fico muito feliz que sua experiência foi ótima com esse livro, é incrível quando a gente explora um novo gênero e se vê encantada pelo mesmo! ♡
    Já quero conhecer a Raíssa, em parte porque temos o mesmo nome! Tá, sei que o nome da personagem é com "i" e o meu com "y", mas para mim é praticamente a mesma coisa kkkk. Nunca li um livro em que tivesse um personagem com o meu nome.
    Quero muito acompanhar o amadurecimento das adolescentes, vê-las se tornando donas de si, acho que esse é um dia pontos chave do livro ♡
    Também gostei da capa, é bem fofinha!
    Obrigada pela indicação, com certeza quero ler, gostei muito da mensagem que o livro passa! Beijos! ♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      Eu fico muito feliz em saber que despertei em você a vontade de ler. Sobre os livros adolescentes, eu até gosto, não leio tanto, mas eles me encantam. Você já leu Eleanor & Park ou Para Todos Os Garotos Que Já Amei? São histórias bem diferentes, mas ambas tem um espaço especial no meu coração. Desde Junho, eu tenho colocado um livro que não é do meu gênero na minha Wishlist.

      Beijos

      Excluir
  7. Oiii ❤ Ainda não li esse livro, mas achei muito bom que a Clara Alves tenha abordado a sexualidade com sutileza e falado sobre as descobertas que acompanham a adolescência.
    Já estou pensando na confusão que vai ser quando Ayla descobrir que Raíssa mentiu ao se passar por um garoto. Acho que Ayla vai ficar chateada pelo fato de Raíssa ter mentido e não com o fato dela ser uma garota.
    Eu adorei essa capa, é tão colorida e chama bastante atenção.
    É muito chato que machistas achem que só homens devem jogar e que não respeitem as mulheres que jogam.
    Eu não tenho mais tanto o costume de ler young adults, essa minha fase já passou, mas esse parece ótimo.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Eu gosto muito de livros LGBT+, são historia criadas que uma maneira super fofa e que mostra o amor entre jovens. Gostei da premissa, fiquei bastante curiosa por ele. Pena que até em livros o machismo permanece né..Espero muito ler esse livro e conhecer a trajetória das garotas.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  9. Oi, Cristina
    Li poucos livros com o tema LGBT+ e quero ler muitos outros que estão na lista que só aumenta.
    A capa é colorida e bem fofa.
    Complicado que em pleno século XXI as mulheres são mau vistas por jogar vídeo game ou fazer qualquer coisa que seja relacionado ao universo masculino, temos livre arbítrio podemos ser/fazer o que queremos.
    Estou muito curiosa para saber se Ayla aceitou essa mentira de Raissa.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi, Cris!
    Que livro legal! Estou muito curiosa quanto ao desfecho da história.
    Tem muita gente que se passa por outras pessoas no ambiente virtual, já vi histórias reais parecidas com essa. Isso me desperta mais ainda a vontade de ler esse livro.

    ResponderExcluir
  11. Confesso que não leio muito livros com essa temática, é difícil encontrar um livro legal. Esse livro Conectadas parece ser ais adolescente, o que não curti muito.

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.