07 outubro 2019

Resenha: Anne de Green Gables


Sinopse: 
Quando os irmãos Marilla e Matthew Cuthbert, de Green Gables, na Prince Edward Island, no Canadá, decidem adotar um órfão para ajudá-los nos trabalhos da fazenda, não estão preparados para o “erro” que mudará suas vidas: Anne Shirley, uma menina ruiva de 11 anos, acaba sendo enviada, por engano, pelo orfanato. Apesar do acontecimento inesperado, a natureza expansiva, sempre de bem com a vida, a curiosidade, a imaginação peculiar e a tagarelice da menina conquistam rapidamente os relutantes pais adotivos. O espírito combativo e questionador de Anne logo atrai o interesse das pessoas do lugar – e muitos problemas também. No entanto, Anne era uma espécie de Pollyanna, e sua capacidade de ver sempre o lado bonito e positivo de tudo, seu amor pela vida, pela natureza, pelos livros conquista a todos, e ela acaba sendo “adotada” também pela comunidade.

Publicada pela primeira vez em 1908, esta história deliciosa, que ilustra valores fundamentais como a ética, a solidariedade, a honestidade e a importância do trabalho e da amizade, teve numerosas edições, já tendo vendido mais de 50 milhões de cópias em todo o mundo. Foi traduzida para mais de 20 idiomas e adaptada para o teatro e o cinema. 

Eu raramente leio as sinopses dos livros, pois não gosto de saber nada sobre a história. Porém, ao pegar esse livro a curiosidade foi maior e quando vi que a personagem tinha resquícios da Pollyana (outro livro infantil que eu amo), eu pirei!!! Infelizmente, isso foi um erro pois comecei a leitura com altas expectativas, esse foi o motivo de eu não ter favoritado. Apesar da história ser fofa e aquecer o coração, as semelhanças são mínimas.


O livro inicia com a chegada de Anne de Green Gables e acompanhamos a história de uma menina órfã, que já foi muito mal tratada, dona de uma personalidade forte e opinião própria. Desde o primeiro capítulo até o fim do livro, Anne se mete em inúmeras confusões, eu adorei acompanhar o crescimento da protagonista no decorrer da história.
"Existem tantas Annes diferentes dentro de mim. Às vezes acho que é por isso que sou uma pessoa tão problemática. Se houvesse apenas uma Anne, seria tão mais confortável, mas aí eu não seria tão interessante."
Os irmãos Marilla e Matthew também tiveram um papel importante na história, se não fosse por eles, com certeza o futuro de Anne seria incerto. O contraste da personalidade desses irmãos foi o ponto alto para a criação da nossa órfã. Marilla é uma senhora séria, rígida, que se faz de durona, porém, lá no fundo é uma manteiga derretida. Mas é crucial ela ser assim com a Anne, caso contrário a menina iria pintar e bordar. Matthew é reservado e muito tímido, dono de um coração gigante, ele mima muito a Anne. Se eu pudesse descrever em uma palavra os dois irmãos seria: Marilla (razão) e Matthew (emoção).

Como toda criança, Anne é matriculada na escola de Anvolea e lá se destaca como uma das melhores alunas. Apesar de não ter tido uma boa educação até os 11 anos, nossa órfã é extremamente inteligente. E é nesse ciclo escolar que conhecemos mais dois personagens que também foram muito importantes na vida de Anne, Dianna, a sua melhor amiga, e Gilbert, na linguagem antiga, o que chamamos de seu "primeiro paquera".


Um outro aspecto na personalidade de Anne é que ela passa a maior parte do tempo imaginando coisas, momentos, pessoas e histórias diferentes da sua realidade. É evidente que ela faz isso em consequência do seu passado, afinal, o que mais ela poderia fazer além de imaginar uma vida melhor? Ela era uma criança órfã maltratada, humilhada e abandonada durante a maior parte de sua infância. Porém, eu percebi que a imaginação dela foi diminuindo conforme a vida dela ia melhorando. Mas não se iluda, nesse livro o que mais você vai encontrar é Anne saindo e entrando em confusões por ser avoada e viver no mundo da sua imaginação.
"- Você é muito imprudente e impulsiva, criança, oh se é. Você nunca para para pensar: você diz ou faz o que lhe dá na telha dizer ou fazer, sem um momento de reflexão.
- Oh mas essa é a melhor parte - Protestou Anne. - Quando nos ocorre alguma coisa simplesmente estimulante, é preciso externá-la. Se pararmos para pensar demais, acabaremos estragando tudo."
A Netflix lançou a série "Anne wiht An E" inspirada no livro, após terminar a leitura eu corri para assistir e pasmem: é a primeira vez que eu gosto mais da adaptação do que do livro!

Anne de Green Gables é uma história carregada de ensinamentos e de reflexões. Depois desse livro, eu com certeza vou enxergar o mundo com outros olhos, até porque estou em uma constante evolução e aprendo a ser uma pessoa melhor em cada livro, filme, experiência e pessoa que cruza o meu caminho.

Sobre a edição: 
Eu vi as outras edições desse livro e, na minha opinião, essa capa é a mais linda de todas. Adorei a diagramação e as ilustrações dentro do livro


Título: Anne de Green Gables (exemplar cedido pela editora)
Autora: L. M. Montgomery
Editora: Autêntica 
Páginas: 320
Ano: 2019

8 comentários

  1. Ah meu Deus!!!Esta série!!! rs
    Eu estou aqui na espera da terceira temporada. É de uma delicadeza, de uma beleza a fotografia que aquece o coração só de imaginar.
    E pelo que li acima, a leitura da obra também é muito lindinha, mas sei lá, não vi muita comparação com Pollyana não. Só por ser uma menina doce. Mas Anne é além disso, é astuta, é inteligente demais, bocuda..rs e isso ao menos no seriado, traz momentos de risos, alegrias, mas também de tristezinhas.
    Agora quero muito ler o livro e torcer para que a terceira temporada da série chegue logo!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá :)

      Essa história é muito linda né? Realmente, Anne e Pollyanna não tem nada em comum, mas ambas conquistam nosso coração! Espero que goste do livro.

      Beijos

      Excluir
  2. Beatriz Gomes08/10/2019 21:50

    Oi, Cris!

    Assisti a série há pouco tempo, e só depois que finalizei que descobri que era baseado em um livro. Confesso que no primeiro episódio não gostei da Anne, por ela falar bastante e muitas vezes inventar histórias, pois pensava que ela poderia ficar triste ao voltar à realidade.
    Porém, conforme fui assistindo me emocionei bastante pela vida e história dela, e compreendi que usava sua imaginação para fugir das coisas horríveis que faziam com ela. Gosto bastante pela época que se passa, e os personagens me encantam, principalmente seus pais e amigos.
    Estou ansiosa para ler o livro e me apaixonar ainda mais pela Anne.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá :)

      Eu demorei para entender a Anne também, mas depois de conhecer sua história compreendi muitas coisas da sua personalidade. Realmente, a imaginação fértil a salvou. Os personagens me cativaram muito também.
      Espero que faça uma ótima leitura!


      Beijos

      Excluir
  3. Cristina!
    Não gosto também de ler as sinopses, nem as orelhas do livro, embora algumas vezes, seja uma tarefa difícil, porque temos de ler as resenhas para comentar, concorda?
    Livro que fala sobre gratidão e amor é sempre tão importante fazermos a leitura, pelo menos eu acho.
    Acredito que apreciar as histórias de Anne, mesmo que com sofrimento, pode trazer grande aprendizado para nossa vida. Carecemos de maios amor e gratidão!
    cheirinhos
    rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá :)

      Eu também não gosto e se for de livro que quero muito ler, fujo hahaaha.
      Acredito que o amor e a gratidão são os sentimentos mais lindos que existem!

      Beijos

      Excluir
  4. Olá!
    Acredita que já ouvi fala bastante da serie mas não parei para ver e nem sabia que era uma adaptação de um livro. Agora, fiquei bem curiosa por essa aventura e confusões que a garota ira se meter.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  5. Oie! Eu conhecia por cima a história de Anne pois tinha uma edição antiga na escola, que eu nunca peguei para ler. Com todo o hype da série eu acabei ficando curiosa a respeito do livro e comprei, mas ainda não consegui ler. É muito difícil a adaptação agradar mais do que o livro, mas acho que este é um que acaba sendo fácil fazer por conta da diferença de tempo entre o livro e a adaptação. Ainda quero ler, mas acho que vou achar a literatura muito infantil, o que de certo aspecto faz sentido.

    Silviane, blog Memento Mori • Participe do Top Comentarista de Outubro

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.