24 outubro 2019

Resenha: Professor Feelgood


Asha Tate está em busca de um amor pra toda a vida, mas a lista de qualidades que o escolhido precisa ter são inatingíveis, e vemos nisso uma forma de ela se blindar aos julgamentos e expectativas de um namoro, ela está descontente com o próprio corpo e isso se reflete nos momentos curtidos a dois. A vergonha faz com que ela não alcance satisfação sexual, então sempre que o relacionamento fica mais sério ela os descarta com as justificativas mais insignificantes, seja por terem o peito depilado ou uma sobrancelha perfeita demais.

Prestes a receber uma promoção e ver sua carreira deslanchar na editora em que trabalha, Asha é surpreendida ao se ver numa disputa pelo posto que ela já considerava garantido e, pior, seu principal concorrente é sobrinho do chefe. Para ganhar, tudo que ela precisa é encontrar um potencial bestseller para publicar. Como se isso fosse fácil.

A resposta está meio na cara, mas ela demora um pouco a perceber. Faz semanas que ela vem sendo seduzida pelos textos do intrigante Professor Feelgood, um homem misterioso que após perder um grande amor, passou a destrinchar a alma atormentada para milhões de seguidores no Instagram. Entre os poemas profundos sobre perda e solidão, vemos também palavras e promessas sexy concebidas para deixar qualquer mulher enlouquecida. Asha se vê tão presa a cada verso que vê no poeta misterioso sua grande chance, isto é, se ele topar trabalhar com ela no rascunho do livro e revelar para o mundo sua identidade. Mal sabia ela que entrar em contato com o professor iria balançar o mundo de ambos.


Asha e o Professor tem uma longa história, trabalhando juntos eles ficam sem escolha a não ser superar, ou pelo menos ignorar, os erros do passado, isso pode ser bom ou ruim para o relacionamento deles já que vemos cada um achando que estava do lado certo da história.
“Amar alguém é a coisa mais fácil do mundo. Fazê-la te amar de volta é a parte difícil.”
Essa história parecia que seria de um casal gato e rato, mas o que vemos entrega muito mais, Professor Feelgood é cheio de momentos de forte emoção (prepara um lencinho!), as poesias apenas reforçam a carga emocional entregue durante toda a narrativa. Me vi mergulhando de cabeça na história tentando entender como que duas pessoas que já se amaram tanto conseguiram se afastar por desentendimentos bobos, vergonha e falta de coragem. Mas agora que o destino os presenteou com uma oportunidade de cura, eles só precisam deixar de lado a falta de confiança, a insegurança e o medo de expor os sentimentos os atrapalhar.


Um homem sensível que não tem medo de expor a alma atormentada por uma amor perdido, que chora sem medo de julgamentos e que de quebra é gostoso pra caramba, tem tudo para ser crush. E foi. A insegurança de Asha foi um bom contraponto para a história, visto que a plataforma que alçou o Professor à fama é a mesma que hoje leva muitas mulheres lindas a odiar o próprio corpo assim como a personagem. O assunto também foi abordado de forma bastante sensível e transformadora, espero de coração que ele possa alcançar meninas que se veem passando pelo mesmo tipo de sofrimento.

A narrativa me agradou bastante, mas é certo que eu adoraria se tivesse um ou dois capítulos narrados pelo Professor, queria ser uma mosca no momento em que a Asha entrou em contato com ele para falar sobre o livro e quando as editoras começaram a persegui-lo. Para preservar a identidade do Professor, eu evitei citar o nome dele, esse foi um plot interessante demais, então não quis estragar a surpresa de vocês. Espero que me perdoem por isso.

Foi meu primeiro contato com a Leisa Rayven e só tenho elogios, os personagens são inconstantes e uma caixinha de surpresas, exatamente como todo ser humano, eles são falhos, ora são confiantes e super profissionais, ora brigam como se ainda fossem os adolescentes facilmente irritáveis que já foram um dia, tão agarrados às suas verdades que não percebem o melhor no outro, mesmo estando visivelmente apaixonados. Uma leitura recheada de momentos comoventes. Estou apaixonada pelo Professor e não é pouco. Li em poucos dias e me apaixonei demais pela história e aconselho que vocês sigam meu exemplo.


Boa leitura!

Sobre a edição: apresenta uma diagramação diferenciada no início de cada capítulo com destaque para os títulos que é bastante irreverente e as poesias do professor também vem sempre destacadas do texto e centralizadas. A fonte é confortável, a leitura e as folhas são amareladas. Não percebi erros de revisão ou impressão e achei a capa muito bonita, e remete às fotos postadas pelo Professor no Instagram, sempre escondendo o rosto.
Professor Feelgood faz parte da série Masters of love que já conta com o livro Mr. Romance que já foi resenhado aqui pela Cris e o terceiro volume, Doutor Love, chega às livrarias ainda este ano.



Título: Professor Feelgood (exemplar cedido em parceria com a Livraria Nobel Cacoal)
Autora: Leisa Rayven
Editora: Globo Alt
Páginas: 363
Ano: 2018

8 comentários

  1. Ai ai..a romântica aqui fica toda feliz quando lê uma resenha assim!rs
    Mesmo que ainda não tenha lido Mr Romance e este segundo livro, as letras da autora são elogiadas demais da conta e por um simples detalhe que você citou:não é apenas uma história de gato e rato. Há muito além do romance, da entrega. Há marcas que precisam ser quebradas, passado, há a incerteza.
    Espero ler os dois romances já publicados o quanto antes!!!
    Beijo

    Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. Olá, Jéssica.
    Eu já li muitas resenhas positivas dos livros da autora. Mas infelizmente eu não curto muito esse gênero e principalmente esse tipo de premissa. Por isso vou deixar passar a dica.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Jéssica!
    Tenho Mr. Romance aqui da autora, mas ainda não li.
    De minha parte, gosto quando o livro é mais dramática, porém fiquei em dúvida, já que o protagonista se tornou um tanto sombrio...mas ainda assim, como falou que é um tanto poético, deu vontade de conferir a leitura, sem contar que romance sempre é bom.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  4. Essa autora é muito adorada pelos leitores de NA e por isso que eu quero demais ler algo dela, mesmo não gostando das narrativas das quais ela trata. De todo modo amei essa ideia de um personagem secreto que está na internet escrevendo poemas... E realmente fizeram a conta dele? Amoo!

    Silviane, blog Memento MoriParticipe do Top Comentarista de Outubro

    ResponderExcluir
  5. Oi, Jéssica!

    Nunca li nada da autora, raramente romances me chamam a atenção. Os poemas aparecem durante a narrativa? De forma completa?
    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Que legal essa interação com as redes sociais, de poder pesquisar o personagem no Instagram.
    Ai menina, podia ter soltado o spoiler de quem era o professor, agora tô curiosa! kkkkk

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Que livro e trama em. Gostei, tem uma ótima premissa e fiquei bastante curiosa por ela, já tinha visto o livro mais nunca procurei saber da historia. Gostei muito e pretendo ler.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  8. Oi, Jéssica
    Não conheço a escrita da autora e tenho muita vontade de ler seus livros.
    Li várias resenhas sobre esse livro é nenhuma delas citou como Asha se sentia em relação ao seu corpo.
    Não vejo a hora de poder ler para saber de tudo inclusive o nome desse tão sonhado professor.
    Beijos

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.