21 outubro 2019

Resenha: Serotonina


Olá leitor,

Antes de mais nada, segue abaixo uma explicação breve sobre o hormônio que deu origem ao título do livro:

A serotonina é um hormônio que atua regulando o humor, sono, apetite, ritmo cardíaco, temperatura corporal, sensibilidade e funções intelectuais e por isso, quando este hormônio se encontra numa baixa concentração, pode causar mau humor, dificuldade para dormir, ansiedade ou mesmo depressão.

Se você aí anda procurando algum livro mais profundo, que faça uma análise sobre o ser e o existir e não tem medo de um linguajar mais pesado, indico a vocês o Serotonina. Escrito pelo francês Michel Houellebecq, autor que ficou conhecido após escrever o polêmico Submissão, Serotonina nos traz um homem de meia idade que, após descobrir traições devassas por parte de sua atual namorada, resolve sumir e entra em profunda depressão.


Aos quarenta e seis, Florent-Claude Labrouste, vasculhando o notebook de sua namorada japonesa, Yuzu, encontra vários vídeos sexuais amadores. Vídeos um tanto incomuns: gang bang, zoofilia, surubas, muitos deles gravados em seu apartamento luxuoso. O tipo de vídeo não o deixa exatamente surpreso, porém, o cenário o incomoda profundamente: todos provavelmente foram gravados enquanto ele viajava a trabalho. 

O relacionamento já não andava bem, os dois somente se aturavam por motivos que eles provavelmente não saberiam explicar (a maioria dos casais geralmente não sabe explicar, não é mesmo?), e após a descoberta, Florent decide então que irá sumir e não comunicar ninguém. Informa a nós leitores, inclusive, que existe uma porcentagem surpreendente de pessoas no mundo que resolvem sumir de suas vidas atuais para recomeçar em outro lugar. E o mais surpreendente de tudo é que em alguns lugares existe uma lei que proíbe a polícia, a pedido da família, de localizar essas pessoas que por vontade própria decidem sumir e se desvincular das vidas que levavam.

Como primeiro passo, pede demissão do seu cargo no ministério da agricultura, alegando proposta melhor na Argentina, e para Yuzu nada fala, nem mesmo menciona os vídeos encontrados. Os pais já estão mortos, amigos nunca teve muitos, então não é necessário avisar mais ninguém. Do apartamento leva somente uma mala: toda a sua vida dentro de um quadrado pequeno. Nessa fase do livro, já percebemos que Florent não anda muito bem, e sabemos que ele toma um antidepressivo chamado Captorix, responsável pela produção de Serotonina.


Depois decide partir sem rumo, tendo uma herança confortável deixada por seus pais, ele se permite seguir sem preocupações. A partir desse ponto, o personagem nos leva a reviver seus relacionamentos e uma amizade do passado, e conforme o livro avança, a desgraça e a frustração da vida dos demais personagens agrava a tristeza de Florent. 

Temos a impressão de que o personagem busca alguma luz, alguma felicidade junto a conhecidos, mas depois da análise que o autor faz, uma análise detalhada de cada contato e relacionamento do nosso personagem, você percebe que ele já havia desistido há muito tempo, só estava nessa jornada para confirmar a si mesmo que não havia mais nada para ele por aqui. À medida que a leitura avança, a apatia e falta de ação de Florent nos deixam angustiados, a toda hora temos a esperança de que ele irá agir ou reagir, mas nada acontece e a tristeza toma conta das páginas.

Não é um livro fácil de ser ler no sentido feliz da coisa. Em vários momentos respirei fundo, pois a falta de esperança do livro me contagiou. Porém, é uma leitura muito interessante e fluída. O autor trouxe à tona sombras e arrependimentos que o personagem carregava dentro dele. Apesar dessas considerações, é um livro que gostei bastante de ler e que indico a quem se interessar pelo tema.

Abraços.

Título: Serotonina (exemplar cedido pela editora)
Autora: Michel Houellebecq
Editora: Alfaguara
Páginas: 240
Ano: 2019

7 comentários

  1. Já há uma dor na resenha, fiquei aqui imaginando como seria a sensação de ler uma obra tão profunda.
    Realmente não me parece um livro que deva ser lido por qualquer tipo de leitor. Acredito que seja mais aproveitado a quem passa essas "vontades" as vezes. Não propriamente relacionado a depressão(eu tenho e essas vontades de sumir aparecem quase sempre)
    Mas sim, ao vazio na alma, a decepção, ao não ter e muitas vezes, nem saber como falar sobre tal assunto.
    Com certeza se eu puder, é um livro que quero demais conferir!
    Beijo

    Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. Silvana!
    Gosto muito dos livros que abordam os aspectos psicológicos das doenaçs, porém tive a impressão errada, pois achei que pelo título do livro, o mesmo seria alguma coisa mais relacionada com a felicidade e não com a falta dela.
    Deve ser um livro bem angustiante.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  3. Oi
    Não sabia que o autor é polemico, as isso já da um gás na leitura, né?
    Ainda não sabia a premissa desse livro, mas gostei do personagem querer sumir e viver uma vida diferente. Quem é que nunca pensou nisso em algum momento? Só me resta ler para saber se valeu a pena para ele.

    Silviane, blog Memento MoriParticipe do Top Comentarista de Outubro

    ResponderExcluir
  4. Primeiramente preciso ir fazer uma pesquisa para saber o que significa "gang bang".
    Em segundo lugar: achei a escolha do título super criativa.
    Em terceiro, mas não menos importante: nunca li nada do autor, mas já quero mudar isso.
    Gosto de livros que tratem de mudanças, grandes mudanças.

    Obrigada pela indicação!

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Às vezes dá vontade de fazer como o Florent e recomeçar, bem longe.
    Acho que esse livro cairia como uma luva nesse momento para mim. Obrigada pela indicação!

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Eu não fazia a minima ideia sobre esse titulo do livro, adorei saber. Agora falando do livro, gostei bastante dele, vejo que retrata assuntos que muitos não comentam, como depressão, ansiedade e isso achei incrível. Adorei muito e espero ler logo!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  7. Oi, Silvana
    Não conhecia o livro, que título interessante. Faz você pensar que poderia tratar de algo feliz, mas é ao contrário.
    Gostei muito da premissa mas por ser tratar de assunto como depressão, penso que possa ter gatilhos.
    Quero muito ler e saber o que aconteceu com Florent, se recomeçou sua vida.
    Beijos

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.