18 novembro 2019

Resenha: Especial


Comum

São 6h da manhã, você abre os olhos e precisa urgentemente pegar o celular para ver as horas, mas na verdade isso é uma mera desculpa para checar se há notificação no Whatsapp, se recebeu alguma curtida e/ou algum comentário, durante a noite, no seu Instagram. Afinal, tem um relógio bem ao lado, em sua cabeceira, ou até mesmo em frente à cama, no aparelho da TV por assinatura, não seria necessário pegar o celular para ver hora alguma.

Então você faz, pega e olha que tem uma mensagem no Whatsapp. Oba! Daí você responde feliz, já que é aquele(a) crush que você tanto deseja. Ao lado ainda tem algumas curtidas na sua foto no Instagram que você postou horas antes de ir dormir. O dia não poderia começar melhor, não é mesmo? Porém, não houve comentários dessa vez… Por que será? Será que seu olho saiu grande? O pneuzinho na barriga apareceu na foto? Será que não gostaram da cor da sua blusa? E aí você já fica cabisbaixo e pensando que o problema é com você…

Mas agora você precisa levantar, tem de ir à escola ou ir trabalhar. Poxa! Estava tão feliz com o “bom dia”, com a curtida, mas ninguém sequer comentou. E então isso reflete na sua manhã… A aula não é a mesma coisa, o trabalho está um porre e toda hora você dá aquela checada para ver se alguém comenta mais alguma coisa ou pelo menos se chega a uma quantidade de curtidas que considere razoável. Pelo menos isso. Porém, não acontece e outra frustração surge.

Parece exagero? É, parece… Se fosse há alguns anos eu diria que o que acabei de dizer é a coisa mais exagerada, que estou inventando histórias para boi dormir. Contudo, antes fosse… As redes sociais, cada vez mais, estão bitolando as ideias das pessoas, os sentimentos estão acentuados. Se você não é curtido, seguido ou se recebe poucos comentários já fica com a autoestima baixíssima e pode entrar num quadro depressivo. É triste, mas acontece. Contudo, não podemos julgar essas pessoas que estão assim, não podemos dizer que depressão é frescura. Não se pode deixá-las de escanteio. É necessário mostrar que tudo aquilo é supérfluo.


Especial

É com essa reflexão que trago a história de um personagem do livro Especial. Ryan O’Connell está perto de completar suas três décadas de vida, tem paralisia cerebral e ainda é gay. Entendam o meu “ainda” como uma forma de ele enfrentar uma dificuldade dos personagens do livro, o fato de tanto sofrer bullying por ter a paralisia e ainda sofrer por ser homossexual. O preconceito reina no livro, assim como em vários lugares que vamos, sempre tem alguém que vira os olhos pela orientação sexual de alguém, como se isso fosse uma doença. Doença de verdade é essa pessoa achar que está certa só porque é o pensamento dela, então todos os outros estão equivocados. Mas continuando…

Ryan passou a segunda década de sua vida estagiando para divas delirantes, engolindo todos os remédios que conseguia encontrar pelo caminho e tentando achar o amor verdadeiro no Grindr. Mas depois de tanta tentativa e erro, Ryan pode dizer, com propriedade, que mancou elegantemente todo o caminho para a vida adulta. 

Especial conta um relato autobiográfico, que tinha tudo para deixar o leitor feliz e satisfeito com a escrita, mas acredito que ele pesou um pouco a mão e o sarcasmo se tornou exagerado, algumas coisas foram desnecessárias e algumas descrições não faziam sentido de existir. O fato é que o livro busca trazer uma reflexão sobre a forma cruel que os jovens vivem hoje.

Existem poucos diálogos na narrativa, esse fator também deixa a leitura um pouco cansativa e monótona. O autor não tem papas na língua e isso limita seu público alvo, já que não é indicado para crianças. Há quem goste de coisas mais pesadas, há outros que preferem mais leve… Eu sou adepta a ambos, mas nesse caso acho que não se enquadra umas frases pesadas, penso que o autor poderia ter limitado os termos de forma que até uma criança pudesse ler. Não apenas isso, mas como disse no parágrafo anterior, algumas coisas soam forçadas. 

É um livro que deve ser indicado para quem curte o gênero e para quem não se preocupa com a falta de policiamento nas palavras. Infelizmente o livro não funcionou para mim, mas sem dúvidas ele nos faz refletir sobre como as pessoas estão tão preocupadas com curtidas, com ser famosas e mostrar à sociedade o quanto são fodonas no que fazem. Talvez seja uma forma de ocultar a carência em algo ou alguém. Pode ser que o livro funcione para você, mas tenho certeza que você refletirá sobre esses mesmos assuntos que iniciei esse desabafo, que nem chamaria de resenha.

O livro deu origem à série Special, da Netflix. Confiram o trailer:




Título: Especial (exemplar cedido pela editora)
Autor: Ryan O'Connell
Editora: Galera Record
Páginas: 224
Ano: 2019

14 comentários

  1. Olá! Realmente é um livro que aborda muitos temas delicados, o preconceito e nossa exposição e dependência com as redes sociais precisam ser discutidos, uma pena que o autor possa ter errado um pouco na dose de sarcasmo e isso possa tornar a leitura um pouco menos prazerosa, ainda assim estou curiosa para conferir o livro, e animadíssima para assistir a série.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Eli
      Pode ser que você curta. Eu não vi a série, não posso opinar hahaha

      Excluir
  2. Ah...que pena que o livro não funcionou para você!É um dos livros que mais espero ler. Eu vi a série e me apaixonei por Ryan. Mas oh, já li algumas resenhas antes e há sim, diferenças gritantes entre livro e adaptação(sempre há)
    Contudo, a abordagem da resenha foi ímpar e só por isso, já valeu demais. Jogar o leitor na vida, literalmente e nos fazer questionar.
    Amei!!!
    E quero o livro.rs
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por isso você comentou aquilo no IG, né, Angela?
      Infelizmente não funcionou comigo. Mas pode ser que você adore, já que curtiu a série. Eu não assisti.

      Beijos

      Excluir
  3. Nat!
    Não me importo com termos sem filtros usados em livros, desde que não sejam excessivos e sejam bem aplicados...
    Acho interessante o autor se expor e contar sobre suas dificuldades, mas sinto que ficou um tanto pejorativo de acordo com sua resenha.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não me importo, Rudy
      Mas acredito que poderia ter sido mais suave, nada excessivo

      Excluir
  4. Oi Nat, lembro desse livro sendo distribuído na bienal e acho a capa dele muito linda. Talvez, não é o tipo de leitura que eu gostaria de ler por se tratar de alguns assuntos que eu acho meio fúteis, como as redes sociais comandam nossas vidas. Acho bem chato ficar lendo sobre isso, como se a gente não tivesse controle sobre nada do que vemos, postamos ou internalizamos. Sei lá. Fico feliz pelo livro ser autobiográfico e tratar de assuntos tão pertinentes como o bullying e homofobia. Acho maravilhoso nesse ponto. Em contrapartida esse palavriado não me agrada nenhum pouco. Enfim, acho que é isso.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é assim o tempo todo, Livia.
      Eu iniciei a resenha falando sobre isso justamente pra poder alertar as pessoas que consideram a depressão como uma frescura. Coisa que nem chega perto

      Excluir
  5. Olá!
    Já ouvi fala bastante desse livro, li algumas resenhas e achei comentários bons e positivos. Não li ainda e pretendo muito em algum momento. O livro traz uma ótima premissa e com uma historia complicado, onde há um preconceito e bullying. Espero ler e também assistir a serie na netflix.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Lily
      Eu li comentários positivos e negativos. Mas vai da pessoa, né?
      Então vamos ver o que você acha.
      Leia e assista a série, sim. Depois me conte. Ainda não tive a oportunidade de conferir a adaptação.

      Excluir
  6. Oi, Naty
    Ainda não assisti a série porque quero ler o livro primeiro, gostei muito do trailer parece ser uma série legal.
    Uma pena que o autor foi exagerado com o sarcasmo, mas trata de temas importantes que presenciamos durante a vida vomo outras pessoas ou até conosco.
    Espero ler em breve, beijos.

    ResponderExcluir
  7. O livro talvez eu não leia, mas a série com certeza vou assisti, pois acho importante o assunto abordado e saber como o personagem enfrentou tudo.

    ResponderExcluir
  8. Olá! ♡ Esse é um livro que já está na minha lista de leituras há algum tempinho, já era para mim ter feito sua leitura, mas ainda tenho dúvidas se realmente vou gostar do que vou encontrar no mesmo. Pois apesar de eu achar interessante o livro delatar a maneira cruel com os jovens vivem hoje em dia e acreditar que o autor de fato abordou temas muito importantes, que precisam ser mais trabalhados e discutidos, me incomoda essa falta de papas na língua do autor.
    Enfim, acho que vou deixar essa leitura para um outro momento, mas espero um dia poder fazer essa leitura e tirar minhas próprias conclusões da história.
    Beijos! ♡

    ResponderExcluir
  9. Oiii ❤ A história de Ryan parece tão inspiradora, do tipo que traz reflexões que nos fazem pensar em nossa própria vida.
    É realmente muito triste que as pessoas não consigam aceitar que cada um tem sua própria orientação sexual e que não respeitem o que vai de encontro ao que elas pensam, que nem ao menos saibam respeitar as escolhas do outro.
    Acho importante o livro falar sobre essa geração das redes sociais, likes, aparências em que vivemos. Muitas pessoas realmente estão mais preocupadas com tudo isso do que com a vida real fora das telas.
    Quero muito fazer essa leitura.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.