Entrevista: Danilo Morales

Por Fabio Pedreira •
24 junho 2020

1 - Olá, Danilo, poderia nos contar um pouco mais sobre você?
R - Tenho 38 anos, nasci no dia 26 de Março de 1982. Sou Jornalista, Cineasta com 14 filmes produzidos, que rodaram festivais nacionais e internacionais e Autor de livros, como Abecedário de Contos Recônditos e de Morte, Suprema, Trilogia do Terror hq, e Espécie de Vanguarda Androide. Sou também o criador do Festival POE de Cinema Fantástico de São Jose dos Campos-SP. Tenho um flerte próximo com o terror e o fantástico.

2 - Recentemente, fiz uma entrevista com o Marcos DeBrito, que além de escritor também é diretor, e agora coincidentemente você também faz as duas funções. Poderia nos falar então qual Danilo veio primeiro? O Danilo escritor ou o Danilo cineasta?
R - Creio que o cinema veio primeiro, mas é uma pergunta difícil, pois cinema e literatura sempre estiveram intrinsecamente ligados a minha pessoa. Sou o que se chama de autor multimídia, e sou um contador de histórias. Com três anos de idade já era um viciado em filmes, chorava a exaustão até que minha mãe cedia e me deixava assistir os filmes. Na época a censura não era tão eficiente, acabei tendo acesso a filmes como Papillon, Um Lobisomem Americano em Londres e O Exorcista, antes dos meus sete anos de idade. Minha mãe preocupada, chegou a vender um vídeo cassete duas cabeças, mas não foi o suficiente para barrar minha paixão pela sétima arte, mais especificamente o terror e o fantástico. Instintivamente fui na veia, nos clássicos, mesmo sem ter referencia alguma deles na época. Muito pequeno fazia histórias em quadrinhos, a maioria de vampiros, e aos 12 anos de idade escrevi o livro “Adega de Sangue”, na época no caderno, depois transcrevi para uma maquina de escrever, assim como vários outros livros que vieram na sequência. E como imagino minhas histórias¿ Inicialmente como um trailer de cinema, com aquela voz em off. Ou seja, sempre estiveram ligados, cinema e literatura. Tão difícil discernir, como entender o que veio antes, o ovo ou a galinha?

3 - Uma certeza é que, seja em filmes ou na literatura, o gênero predominante é o terror. Você sempre foi fã desse gênero do entretenimento? Quais são seus livros e filmes preferidos nesta categoria?
R - Sempre fui fã absoluto desse gênero. Meus livros favoritos de terror são:
1- Hellraiser- Clive Barker
2- O Retrato de Dorian Gray- Oscar Wilde
3- O Exorcista – William Peter Blatty
4- Histórias Extraordinárias – Edgar Allan Poe
5- As Ruínas – Scott Smith

Filmes (Um universo vasto, mas vamos lá)
1- Coração Satânico – Alan Parker
2- O Exorcista- William Friedklin
3- O Bebê de Rosemary- Roman Polanski
4- A Bruxa- Robert Eggers
5- Evil Dead- Sam Raimi
6- A Mosca – David Cronemberg
7- O Enigma de Outro Mundo – John Carpenter
8- Halloween – John Carpenter
9- Sexta Feira XIII (Série)
10- Suspiria – Dario Argento

4 - Recentemente, tive o prazer de ler Suprema, um livro que conta sobre bruxaria e algumas outras religiões. No fim mostra que muita pesquisa foi feita para que o livro fosse escrito. Quão importante foi essa pesquisa para a construção do seu livro?
R - A minha maior preocupação em fazer uma pesquisa para escrever Suprema, uma obra que envolve ocultismo, bruxaria, necrofagia, é fazer um terror de qualidade, mas com total respeito a todos os credos e religiões, por esse motivo deixo bem explícito na obra que independente de seus credos, é você quem define ser uma pessoa boa ou má, e que tudo nesse universo tem volta, seja para o bem, seja para o mal.

5 - Como surgiu a ideia de criar Suprema? Teve algum filme como inspiração?
R - A ideia de criar Suprema, veio da vontade de escrever uma obra minha, com a temática principal da bruxaria e que tivesse a vingança como norte da trama. Sabemos desde a obra “Conde de Monte Cristo” o poder de uma trama com vingança, e combinado a meu estilo literário que é muito imagético e fluído, estilo thriller, afinal, sou ligado no 440 volts, e com forte influencia no cinema, fez de Suprema o sucesso que está sendo, de cada 10 pessoas que leem, ao menos 9 gostam. A única critica que venho recebendo da obra é referente a velocidade das ações, prometo pisar um pouco mais no freio nas próximas, mas com o mesmo estilo, que lembra uma série de TV, com ganchos que te prendem de um capítulo a outro, uma coisa é certa, está longe de ser maçante.

6 - Aliás, Suprema termina de uma forma que deixa aberta a possibilidade de uma continuação. Poderemos ver mais da Nina no futuro?
R - 2021 promete trazer algo a mais desse universo, caso isso ocorra, será com centros de ação independentes, ou seja, não precisa ler um livro para ler o outro, mas sempre com referências e uma linha de continuidade, pode até fechar em uma trilogia.

7 - Corrija-me se eu estiver errado, mas seu estilo de escrita (pelo menos nesse livro) parece muito o estilo Pulp, focado mais na ação e em uma trama rápida. Você prefere uma leitura assim, mais rápida, ou foi o livro mesmo que pedia algo mais dinâmico?
R - Esse é meu estilo literário, são tramas rápidas, com muita ação sim, mas nem por isso pouco descritivos. Gosto de desenvolver os personagens, deixa-los redondos e mostrar suas camadas de cebola, aquilo que está no seu interior, no seu lado mais intimo e que ninguém conhece. Meus personagens não são previsíveis, não são 100 por cento bons ou maus, são falhos, são humanos. Gosto mais de descrever seus sentimentos e conflitos que a exterioridade do ambiente que vivem. São leituras rápidas, para se ler em dois ou três dias, uma proposta diferente do que seria um “Dom Quixote”, ou “Duna”, mas assim como um Escultor, cada linha é uma obra de arte, e procuro entregar o melhor. Minha literatura é forte, cruel quando preciso, as vezes te dá um soco na boca do estômago, e outras vezes te faz descer de uma montanha russa descarrilhada, tudo isso é intencional.

8 - Mas não é só terror que você escreve. Temos também E.V.A, uma ficção científica distópica, com buracos de minhocas e robôs usados para a guerra. Imagino que essa também seja uma escrita que demande bastante pesquisa. Na sua opinião, esse é um tipo de literatura mais difícil de se escrever do que o terror? Por quê?
R - Achei muito mais difícil, realmente um desafio. Imaginar o futuro, assim como foi feito em “Admirável Mundo Novo” e “1984” e “Neuromancer” e “Blade Runner”, que originalmente não tem esse título, não é uma tarefa fácil. Pesquisei muito a cidade de Brasília, que local seria mais propício para uma distopia¿ E pesquisei também sobre androides (Obvio), inteligência artificial, e usei uma linguagem mais robótica, mais fria, e essa frieza também nos personagens. O fato é que gostei, e acho que falta ficção cientifica com cenários do nosso país, e por esse motivo já tenho outro projeto de ficção científica numa linha parecida para um futuro não tão distante.

9 - Poderia nos contar sobre seus próximos trabalhos em andamento (tanto na literatura quanto no cinema)?
R - Na literatura está para sair uma trama policial com toques ufológicos, que envolve um serial killer e traz dois personagens que criei há décadas e tenho um carinho especial, o místico Senhor Psíquico e o policial David Byrne. Também tem o Almanaque Trilogia do Terror, em parceria com o ilustrador Robson Strobel, e tem um livro que traz vampirismo e licantropia para o universo urbano (Ainda não posso falar muito sobre essa obra), Já no Cinema vou retomar as gravações de dois curta metragens. O primeiro se chama “Reversão” um curta de zumbis, e o segundo é um humor negro chamado “Quadrilha das Bonecas”, bem como a retomada da V edição do Festival POE de Cinema Fantástico.

10 - E, para finalizar, que mensagem você deixaria para os leitores e fãs?
R - Todo Escritor tem um sonho, não é ser rico, embora todo mundo goste de grana rs, mas todo Escritor quer mesmo é ser lido, e é uma felicidade com cada novo leitor que a gente ganha. Nós existimos para contar histórias, e não seriamos nada se não tivesse vocês. Descobri com o tempo que não adianta se chatear com pessoas que não valorizam a literatura nacional de terror, aprendi que é preciso encontrar seu público alvo, seu nicho, e não é pequeno, as pessoas amam terror, só precisam descobrir que há terror de qualidade sim, em terras tupiniquins. Cada vez que um de vocês abre as páginas de um livro, todo o universo e atmosfera daquela história se renova, mesmo que nós escritores, já não estejamos aqui, nesse plano físico, e isso é gratificante.

Comentários via Facebook

30 Revelaram sentimentos:

  1. Oi Fábio!
    Mais uma vez uma entrevista completa! Parabéns!
    adorei conhecer mais do Danilo.

    ResponderExcluir
  2. Fábio!
    Sensacional entrevista, está se especializando, hein?
    Achei fascinante toda dinâmica do autor, ele parece mesmo ligado em 440volts...kkk
    Li sua resenha do livro e gostei muito porque amo bruzaria e toda ficção afim e adoro terror também.
    Successo para o autor e se ele quiser parceria, estou por aqui...kkk
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rudy

      Muito obrigado ^^. Quem dera kkkkk
      Sim, verdade kkkkk Opa, se gosta dessas coisas então com certeza vai gostar do livro =D.
      kkkkk Olha ai, chama ela Danilo.
      Bjs

      Excluir
  3. Aplausos, Fábio!!!!Que alegria ver que isso das entrevistas com autores nossos está fluindo tão bem e nos presenteando assim, com autores incríveis e que na sua humildade, são perfeitos!!!
    Eu acabei lendo a resenha do livro dele há alguns dias, mas ainda não tive oportunidade de ler todo(farei isso em breve) e essa chance de conhecer um pouco mais do autor encheu o coração de alegria.
    Eu amo o terror escrito e fiquei em choque ao ler que ele viu O Exorcista antes dos 07 anos(eu tô com 46 e não vi até hoje pois meu medo é maior) eu li o livro quando tinha uns 13 anos e acabei ficando cismada e isso só dura até hoje..rs
    Adorei isso e parabéns mais uma vez e que mais "Danilos" sejam assim, simples em seus dons e com personalidade!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Angela =D

      kkkk Obrigado. Ainda bem que por enquanto está indo tudo muito bem =D. kkkkk Olha ai, hora de assistir então kkkk mas admito que até hoje eu só li o livro também, tenho que assistir. A proxima entrevista já está vindo. Aguarde kkk.

      Bjs

      Excluir
  4. Que legal a história dele com o cinema e a literatura, ainda mais que começou a escrever desde pequenininho, deve ter o dom mesmo! Acho muito interessante quando os escritores exploram novos caminhos e migram para outras áreas, como o cinema, também. Uau, ele tem muuitos favoritos haha o que faz sentido, pois ele tem que ter bastante referências. Amei a mensagem final.


    Beijos,
    Amanda Almeida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Amanda

      Sim, bem legal essa jornada. Eu acho que se eu fosse autor e diretor, eu ia sempre querer dirigir um filme dos meus próprios livros kkkk. Verdade, muita referencia, mas também, não da pra ter um favorito só kkkkk

      Bjs

      Excluir
  5. Particularmente, foi minha primeira leitura do genero e o Danilo conseguiu me deixar com medo, mas ainda sim presa na história. Acredito que daria uma otima adaptação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bia.

      Bom saber que gostou, mesmo sendo a primeira do gênero. Espero que com isso você possa dar mais chances para outros livros assim, acredite, tem muito livro de terror muito bom e com mensagens ótimas. =D. Também acho que seria uma ótima adaptação.

      Excluir
  6. ola Fabio
    outra excelente entrevista Parabens! é tão gratificante saber mais dos autores nacionais ,quem são suas referencias ,seus planos . parece ser uma pessoa muito dedicada e disposto sempre a trazer o melhor para os leitores ,alem de possuir algo essencial que é o talento
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Eliane

      Obrigado *-*. Verdade, sempre bom saber de onde vem a inspiração dos autores =D.
      Sim, ele é bem atencioso com o trabalho. Coisa que falta em alguns autores nacionais.
      Bjs

      Excluir
  7. Olá! ♡ Mais uma entrevista maravilhosa! Parabéns, Fábio! ♡
    Minha vontade de ler Suprema só aumentou, gostei bastante da mensagem que o livro trouxe sobre sermos nós quem decidimos se seremos pessoas boas ou más, estou curiosa para ver como o Danilo trabalhou isso no livro.
    Gostei do estilo de escrita dele, gosto de tramas com muita ação, com um ritmo mais rápido.
    Agora fiquei curiosa para saber mais sobre esse livro que vai falar de vampirismo e licantropia, espero que seja lançado em breve rsrs ♡
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Raissa

      Obrigado *-*.
      Espero que tenha a oportunidade de ler assim que possível =D. Essa é bem assim, bem rápido os acontecimentos e tem muitas partes com ação =D. Também estou bem curioso para ver esses lançamentos kkkk.

      Bjs

      Excluir
  8. Oiii ❤ Adorei a entrevista, foi tão legal saber mais sobre o autor!
    Gosto tanto quando o autor se preocupa em fazer pesquisas para criar uma obra com embasamento e bem estruturada.
    Acho ótimo que a escrita do Danilo seja tão fluída, que ele foque em criar uma trama rápida, gosto de tramas assim.
    Achei linda a mensagem que o autor deixou para os leitores no fim da entrevista.
    Ps: Estou adorando acompanhar as entrevistas ❤
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rayane.

      Obrigado *-*.
      Sim, é sempre bom saber um pouco mais sobre os autores. Eu também gosto dessas pesquisas, é uma das coisas principais para o livro e que muito autor deixa passar. Essa é bem rápida. Outro que tem uma escrita assim é o Marcus Barcelos. Sim, verdade =D.

      Obrigado *-*
      Bjs

      Excluir
  9. Oi, Fabio
    Eu não conhecia o autor, mas adorei a entrevista, parabéns, vocês arrasaram!
    Eu tenho medo de terror, mas fiquei com muita vontade de ler o autor! Kkkkkk
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ana

      Muito obrigado. Tem resenha de Suprema aui no Blog, da uma olhadinha =D.
      kkkkk eu te entendo, mas ele tem um livro de ficção científica, experimenta =D
      bjs

      Excluir
  10. Parabéns pela entrevista, gostei bastante, principalmente das respostas do entrevistado, achei bem completo.
    Nunca li um livro de terror, mas pretendo mudar isso em breve haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fabiolla

      Obrigado =D. Sim, foi uma entrevista bem completa, gostei bastante. Aaahh, tem muitos livros muito bons. Espero que goste =D.

      Excluir
  11. Olá! Eita que essas entrevistas são uma tentação e tanto para finalmente me arriscar no gênero (risos)! Acho que não é mais segredo para ninguém que eu não curto muito uma leitura assustadora, mas ler um pouco mais desses talentos que a gente tem aqui, sem dúvida, vem me fazendo repensar essa atitude! E deu para perceber que o autor tem muita bagagem para trazer histórias incríveis e assustadoras, gosto muito do tema bruxaria, por isso, vou dar uma pesquisada mais profunda nesses livros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Elizete

      kkkk tomara que eu tenha te convencido então. Tem muito livro bom de terror, não necessariamente com monstros e fantasmas e que da pra arriscar. Aqui tem resenha de Suprema, acho que dar pra arriscar =D.

      Excluir
  12. Olá!
    Ain, adorei a entrevista. Deu para conhecer bem mais o autor. Fiquei bastante curiosa para ler algo dele, já vou até procura. Haha

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lily

      Obrigado ^^. Aqui tem uma resenha de Suprema, da uma olhada kkkk

      Excluir
  13. Oi, Fábio
    Parabéns pela entrevista! Obrigada por conhecer mais um autor nacional.
    Pude perceber que ele é uma pessoa elétrica não consegue ficar parada e faz várias coisas ao mesmo tempo.
    Evito esse tipo de filme e leitura, mas estou ficando com curiosidade para começar a ler.
    Sucesso para Danielo!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luana

      Obrigado =D. Sim kkk, ligado na tomada esse. Olha, tem muita leitura boa de terror, recomendo arriscar alguma kkkk.

      Bjs

      Excluir
  14. Nunca ouvi falar de tal autor, tão pouco conheço os filmes dele.
    Entrevista cineastas ou autores já consagrados e de preferencia negros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá

      Então fico feliz que com a entrevista você possa ter conhecido um pouco mais =D
      Manda umas dicas ai de cineastas consagrados que vou entrar em contato ^^

      Excluir
  15. Legal essa entrevista, não conhecia o autor, mas curti bastante. Terror não é meu gênero preferido, mas para quem gosta, é uma ótima opção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ana Paula

      Obrigado =D. Ele tem um livro de ficção científica também se quiser arriscar =D.

      Excluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.

Instagram

© Revelando Sentimentos | Resenhas de livros – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in