Resenha: Alma Mecânica

Por Luana Gobbo •
09 novembro 2020

Ambientado no nosso conterrâneo Rio de Janeiro, “Alma Mecânica” é uma obra nacional com elementos steampunk, contada em primeira pessoa pelas palavras da personagem Ava Delfin, - um autômato. Ava não é o único autômato de seu tempo, mas somente ela é capaz de sentir. Esse fato fez de seu criador, o mecânico Joca Delfin, um revolucionário, mas as consequências desse feito refletem em sua família por gerações, uma vez que viraram alvos de perseguições - inclusive pela Igreja. 

“A história de um homem que havia criado um monstro de metal, capaz de sentir e desafiar o homem.” 
Várias foram as sensações que tive durante essa leitura, e uma delas foi uma junção de obras na minha mente, como o anime “Violet Evergarden”, o livro “Frankeinstein” ou o filme “Edward Mãos de Tesoura”. Isso tudo porque a Ava é uma máquina, como ela mesma diz, e foi criada por um mecânico por qual tem um enorme afeto, assim como por todos seus sucessores. Fiquei imaginando um livro onde Edward mãos de tesoura conta a sua história. Mais ou menos assim é a sensação de ler “Alma Mecânica”. 
“- Você é única. Ninguém conseguiu fazer o que Delfin fez. Muitos tentaram. Você é a fantasia trazida para a realidade. Você é o monstro de Frankeinstein feito de metal.” 

Me surpreendi com tamanha fluidez do texto e com a delicadeza nas palavras da Ava ao contar sua história, que por todo esse tempo viveu às sombras da sociedade - humanamente complicada. A sua visão de mundo e de existência é única, e por isso Ava se vê num conflito interno por não possuir uma alma como os humanos, por achar que isso faz de sua vida sem propósito. E a busca por uma alma mortal torna-se o foco de sua existência agora, além de manter Thiago – sucessor de seu criador – seguro das infinitas perseguições à sua família por gerações. 

No caminho, Ava conhece alguém que também não tem uma alma mortal, e esse personagem – que não vou citar o que ele é, vão ter que ler pra saber (risos) – foi um dos que mais gostei de conhecer, e olha que gosto de muitos personagens daqui. Inclusive vale ressaltar que a autora trabalhou extremamente bem em cada um deles, todos tem voz na história, e esta, mesmo sendo em primeira pessoa - o que nos limita a apenas o ponto de vista da Ava -, é tão bem ambientada que a sensação é de estar lendo uma obra em terceira pessoa. 
“Os humanos têm a tendência de se entregar ao desespero com muita facilidade. Deve ser por causa da fragilidade da vida.” 

Particularmente falando, sou muito apaixonada por histórias steampunk, e a autora manda super bem na escrita do ‘gênero’. Mesmo sentindo falta de mais do ‘vapor’, propriamente dito, ela entrega um livro que, além de lido, deve que ser sentido: na mesma delicadeza que a Ava entrega-o através de suas palavras. Prepare os post-its ou marca-texto, pois há muitas quotes lindíssimas que serão impossíveis não marcar. 

O livro está disponível em edição física ou digital na Amazon e Kindle Unlimited. Divirtam-se com essa excelente leitura, a quem se interessar pela premissa. 

Título: Alma Mecânica (edição cedida pela autora)
Autora: Caroline Defanti
Editora: Flyve
Páginas: 334
Ano: 2020
Compre: aqui
Avaliação: 4,5 estrelas

Comentários via Facebook

10 Revelaram sentimentos:

  1. Gostei da capa do ebook já, mas o que estava embaixo nao era o livro n né...lindo de qualquer forma, conversou com a vibe steampunk. Gostei muito das comparaçoes que fez na sua mente dos anime, filme e livro, me deixou mais curiosa!! Gostei dessa dica!!!

    ResponderExcluir
  2. Ainda não conhecia o livro,mas fiquei lendo a resenha e imaginando esse cenário de Edward e também de filmes como Eu, Robô e outros tantos.
    Um cenário não muito distante da nossa realidade. Não ando conseguindo acompanhar tanta tecnologia não rs
    Nossa literatura nacional merece respeito. Olha aí o nível dessa obra e com toda certeza do mundo, já vai pra listinha de mais desejados!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  3. Luana!
    Gosto muito dessa ficção estilo steampunk e tendo uma máquina como narradora, mas tão cheia de conhecimentos e experiências, é importante porque a priori ela não teria sentimentos, mas me parece que tem muito entendimento.
    Bom ver mais um autor naional trazer uma ficção bem escrita onde todos tem voz, embora seja narrado em primeira pessoa.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  4. Oi, Luana
    Adorei a capa, é linda.
    Nesse enredo aborda muitos temas, entre eles máquinas.
    Parece ser uma leitura fascinante que envolve o leitor com muitos sentimentos.
    Quero poder ler, beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luana! Hahaha. Sim sim, tem tudo isso! Espero que consiga ler e que goste ;)

      Excluir
  5. Tenho curiosidade em conhecer mais esse universo Steampunk.
    Alma Mecânica me pareceu uma excelente oportunidade, ainda mais que é uma obra nacional

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai ser ótimo se familiarizar com o gênero por ele <3

      Excluir
  6. Bem diferente do que costumo ler, interessante para eu conhecer mais desse tipo de livro e sair da minha zona de conforto. Adorei que ele é nacional!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. embora o livro tenha recebido uma nota muito boa por voce ,eu não fiquei com vontade de ler .o enredo não me atraiu .mas que bom que voce curtiu .

    ResponderExcluir
  8. Olá! Taí um gênero que eu sou louca para conhecer, mas nunca encontro a oportunidade e acho que finalmente vou poder mudar isso (amém)! Só pela resenha já deu para perceber que eu vou gostar bastante da leitura e principalmente dos personagens!!!

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.

Instagram

© Revelando Sentimentos | Resenhas de livros – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in