Resenha: Paris é para sempre

Por Giovanna Prates •
19 julho 2021
"Como é que um judeu se comporta ou se parece?"
Cuidado, este livro contém gatilhos.

O livro é narrado em uma linha de tempo dupla, que se desenvolve entre o tempo da invasão da França pela Alemanha Nazista em Paris de 1940, onde Charlotte trabalha em uma livraria enfrentando muitas dificuldades para sobreviver e alimentar sua filha Vivi, alternando com Nova York na década de 1950, onde a personagem já está em melhores condições devido a vitória dos aliados e a retirada dos alemães durante a Segunda Guerra Mundial.

Devo dizer que essa alternância de linha do tempo funcionou muito bem e não tive problemas em seguir a história. Foi extremamente fluída e intensa. Além do mais, achei literalmente incrível essa forma de demostrar o "antes" e o "depois", que trouxe ao leitor a capacidade de observar e de se colocar no lugar dos personagens, sentindo todas as mudanças, marcas e consequências que a guerra deixou em todos, além do fato de trazer sentido e compreesão diante das escolhas e personalidades que cada personagem demonstrou.

"O mundo não é preto e branco. É uma paisagem cinzenta e cheia de sombras."
Em Nova York, Charlotte está agora morando na América, ela foi patrocinada por Horace e Hannah Field. Horace é dono de uma editora, e Charlotte trabalha para sua empresa lendo manuscritos de livros. E devido a isso, podemos encontrar várias refêrencias culturais em suas conversas, citações de livros existentes e pensamentos. É uma simplicidade que eu, particularmente, amo em livros. Livros que citam livros sempre me fascinam e me faz dar pontos extras para a leitura. Fora que eu acabo marcando todos os livros mencionados para eventualmente ler e compreender o que se passava na mente do personagem quando abordou tal citação. Bagagem cultural extra.

Todos os quatro personagens principais da história têm seus mistérios, Charlotte, Julian, Horace e Hannah. Com os nervos em frangalhos, todos eles guardam seus segredos, principalmente Charlotte, em relação as coisas que teve que fazer durante a guerra para sobreviver. Mesmo anos depois, ela ainda não se sente segura e ainda se preocupa constantemente com a saúde de sua filha.

"Quem salva uma vida salva o mundo."
Paris é para sempre é uma história sobre a Segunda Guerra Mundial. Um história sobre escolhas, amor, traumas, resiliência, sacrifícios, maternidade e sobrevivência! Eu simplesmente amei o livro, e sua história tem um ótimo ritmo, nunca é entediante e deixa você totalmente envolvido até o fim. Se você gosta de ler ficção histórica ou qualquer livro relacionado à guerra, é a melhor pedida e tenho certeza de que irá amar tanto quanto eu.

Título: Paris é para sempre (exemplar cedido pela editora)
Autora: Ellen Feldman
Editora: Vestígio
Páginas: 240
Ano: 2021
Compre: aqui

Comentários via Facebook

8 Revelaram sentimentos:

  1. Segunda Guerra e todas as dores e sim, uma pontinha de salvação.
    Eu estou terminando Os Fornos de Hitler e mesmo sendo um livro curto, ainda não consegui terminar pelo tanto de vezes que precisei parar para chorar e respirar.
    Eu amo esse sofrer e aprender.
    Por isso, Paris já está na listinha de desejados desde que li sobre ele a primeira vez!!!
    Espero de coração ler o quanto antes!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  2. Olá Giovana
    Primeira resenha que leio desse livro é já fiquei com muita vontade de ler esse livro
    Gosto desse gênero É um dos meus preferidos .
    Quero muito conhecer a estória de Charlote e tem também essa parte em que livros são citados na obra e assim a gente vai pegando mais dicas e aumentando nossa lista de livros desejados!!haja tempo rsrs

    ResponderExcluir
  3. Ja estava bem interessada em ler esse livro e com suas observações, giovanna, curti bastante ainda mais. Gosto desses livros nessa vibe, e o pano de fundo também como segunda guerra me interessa muito.
    Curiosa pra ler e espero gostar também do livro!

    ResponderExcluir
  4. Tenho me aventurado mais nos livros com temática de Guerra, nos últimos tempos.
    Esse parece ser uma boa dica.
    Também amo livros que citam livros.

    ResponderExcluir
  5. Várias características desse livro me deixaram com vontade de ler, principalmente por ser na Segunda Guerra Mundial e também uma dupla linha do tempo, eu gosto muito quando isso acontece. Que bom que você gostou tanto, traz mais uma certeza. Já vi outras resenhas trazendo também vários pontos positivos.

    ResponderExcluir
  6. Giovanna!
    Nossa! O livro é feitinho para mim.
    Amo ficção histórica, ainda mais ambientada em época de guerra.
    Gosto também do artifício de passado e presente.
    Vou querer ler.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. Amo livros que envolve parte da história, muda qualquer livro. Eu gostei do que foi apresentado, li poucos livros como ficção histórica, é uma ótima oportunidade para algo diferente.

    ResponderExcluir
  8. Olá! Eu amo esse tipo de história e a maneira única que ela tem de nos transportar para uma época, às vezes, distante, às vezes, não tão distantes, mas que faz parte da nossa história. Já deu para perceber que essa vai ser mais uma leitura intensa, mas também muito proveitosa. Também amo quando encontro citações de outros livros nas histórias e sempre corro para colocar na minha listinha.

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.

Instagram

© Revelando Sentimentos – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in