Resenha: O homem da forca

Por Fabio Pedreira •
20 outubro 2021

Natalie Waite tem dezessete anos e só pensa em sair da casa dos pais. Seu sonho é conseguir a tão sonhada liberdade e o local onde ela acreditava que iria realizar seu desejo era a faculdade. Mas as coisas começam a acontecer de uma forma muito diferente do que Natalie esperava. Apesar de conseguir sair de casa, a garota começa a perceber que, na faculdade, as pessoas estão muito mais preocupadas com si mesmas do que conhecer quem está ao seu redor. Com isso, pensamentos vão surgindo na mente da jovem, que misturado com certos acontecimentos antes de sair de casa, pouco a pouco, vão deixando Natalie mais e mais depressiva.

Conversando no Instagram, me disseram que Assombração na casa da Colina - da mesma autora - era um livro que falava muito sobre depressão, mas acredito que, se tem uma obra, onde isso realmente ocorre é em O homem da forca.

A depressão é, na minha opinião, apenas o fator principal desse livro, mas ele também vai tratar de estupro, relacionamentos tóxicos, alcoolismo, adultério e outras coisas mais. Então, para os leitores sensíveis, fica aí o aviso prévio de gatilhos.

Vendo tudo isso, talvez alguém pense que é um livro muito pesado. Mas eu vou te dizer... depende do ponto de vista. Analisando os temas, realmente, é um livro denso, mas O homem da forca cai no mesmo problema - na minha opinião - da Assombração na casa da Colina, que é a escrita da Shirley Jackson.


Se alguém aqui já leu Uma casa no fundo de um lago - do autor de Caixa de pássaros - sabe como aquele livro é extremamente metafórico. Todo mundo que ler vai interpretar de uma forma completamente diferente. Só que, amando ou odiando o livro, é certo que a história é algo tranquilo de ler.

Com a Shirley Jackson não. A autora usa de diálogos sem sentidos e divagações extremamente longas para que o autor não saiba se aquilo ali tem algum propósito ou é parte da mente louca de algum personagem.

Nesse livro, os diálogos estavam até mais coerentes do que os da casa da colina, mas no fim da narrativa, ele passou a ser novamente uma mistura de conversas sem sentido que poucos vão conseguir analisar de forma coerente. E você fica sem saber "era fruto da imaginação, foi real, aquilo significava algo?".

A ideia é boa, mas na minha opinião (e tenho certeza que muitos críticos cheios de barbas brancas vão me cancelar) a execução não é das melhores. Pode ser pelo período que foi escrito? Pode, mas também pode ser que não.

O lado bom é que achei esse livro mais fácil de identificar suas metáforas do que o da Assombração na casa da Colina, porém, em contrapartida, achei ele muito mais tedioso.

Recomendo esse livro? Não pra todo mundo. Recomendaria tentar o da Assombração na casa da Colina primeiro. No caso desse, deixaria para quem está mais acostumado com uma leitura mais densa, clássicos reflexivos e curiosos de plantão.

Título: O homem da forca (exemplar cedido pela editora)
Autora: Shirley Jackson
Editora: Alfaguara
Páginas: 220
Ano: 2021 (Ano original 1951)
Compre: aqui

Comentários via Facebook

7 Revelaram sentimentos:

  1. Eu estava associando a um filme de terror que vi há séculos e não tem nada a ver rs
    Eu ainda não conheço as letras da autora, mas como citei na resenha de ontem, Uma Casa no fundo do lago me deixou repleta de questionamentos, tanto que fui buscar respostas na internet.
    A Assombração eu ainda não li,tenho esse misto de medo e vou dançar. Mas sei que preciso conhecer primeiro,para depois opinar rs
    Anda filosófico hein Fábio??E o time 2?? Abandonado rs
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  2. Pelas suas resenhas vejo que a escrita da Shirley Jackson provavelmente não me cativaria.
    Até acho legal esse suspense no ar tipo: isso aconteceu mesmo? Foi realmente dessa forma?
    Mas parece que nos livros dela isso é bem confuso.

    Danielle Medeiros de Souza
    danibsb030501@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá! De inicio eu bem achei que seria uma leitura bem pesada, mas pelo jeito não é bem assim, se bem que o que não temos de “mais pesado”, temos de “mais confuso”, a outra resenha já tinha me deixado em dúvida, essa em especial, praticamente me transformou em uma libriana (risos), por um lado fiquei curiosa com a escrita da autora e com a história em si, ainda mais abordando temas tão fortes, mas por outro, toda essas metáforas acabaram por me desestimular um pouco, enfim, como dizem por aí “só sei que nada sei”, quem sabe num futuro acabe rolando a leitura, por enquanto, só vai ficar na lista mesmo.

    ResponderExcluir
  4. Shirley Jackson se tornou minha nova queridinha.
    Homem da Forca é um super desejado.
    A escrita da autora é assim mesmo

    ResponderExcluir
  5. Essa autora é uma que quero muito ler... eu até achei muito interessante a premissa a protagonista.

    ResponderExcluir
  6. Caramba que tema difícil ne? É por isso que realmente não é um livro para todos. Achei interessante o ambiente que ele é retratado, a mudança na vida, das nossas escolhas, algumas desilusões. Mesmo que tedioso, acredito que traga alguma reflexão interessante.

    ResponderExcluir
  7. Ola
    Confesso que fiquei interessada na estória quando comecei a ler a resenha é ver a situação pela qual a personagem passava mas depois vi que é um tipo de narrativa que não me atrai ..
    Bjs

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.

Instagram

© Revelando Sentimentos – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in