Lilitu Escarlate

Mesmo cantando músicas que estão longe do popular brasileiro, Pandora é uma cantora de muito sucesso no país. Mas em um dos seus shows, uma briga generalizada acaba gerando debates sobre o envolvimento da cantora com entidades demoníacas, além da letra de suas músicas que parece adorar esses seres.

Mas com o tempo uma pandemia denominada “febre de Isis” acaba sendo considerada como o fator da briga. Essa doença tem características bem peculiares. Enquanto os homens acabam virando ferozes e se transformando em bestas parecidas com Lobisomens, as mulheres, apesar de manter parte da sua sanidade, acabam desenvolvendo o gosto por sangue, deixando-as bem parecidas com vampiras.

Com isso, Pandora acaba se isolando em uma mansão localizada em uma ilha deserta, apenas com algumas poucas pessoas próximas. O que ninguém contou para ela é que antigamente algumas situações estranhas acabaram resultando na morte de freiras e noviças que moravam no local. O caso foi abafado, mas talvez a causa para tais acidentes ainda esteja presente.

Essa é basicamente a premissa de Lilitu Escarlate, o novo livro do Danilo Morales, autor que sabe muito bem escrever livros de horror que envolvem o oculto, e entidades malignas, mostrando para o leitor que todo mundo pode conter um pouco de maldade ou algum tipo de pecado dentro de si, não importando o quão boa essa pessoa seja. Isso leva os personagens principais a sempre terem algum traço de personalidade conflitante com o que ele é. Nesse caso, Pandora e o padre Bruno são os dois destaques do livro. A primeira é uma cantora que aparenta ter dissociação de identidade, enquanto o outro é um padre narcisista. Os dois têm papéis importantes não só para o decorrer do livro quanto para uma provável continuação.

E por falar em continuação, Lilitu Escarlate já é de certa forma um segundo volume. Apesar de ser uma leitura que pode ser feita de modo independente, ela também conta com referências de Suprema (outro livro do autor). Independente da ordem que o leitor decida ler, eu recomendo apenas que leia os dois em vez de um só, já que a partir de um provável terceiro volume será necessário ter conhecimento de fatos que ocorrem nos dois livros.

E falando sobre os dois, apesar de ter gostado de Lilitu Escarlate, acredito que tenha gostado mais de Suprema, pois foi uma obra que me envolveu mais, me meixou mais conectado tanto com os personagens quanto pelo horror que acontece. Repito, não entenda errado, já que Lilitu é um bom livro, apenas não foi tão marcante quanto o anterior.

Um fator que vale destaque é a escrita do Danilo. Ela é direta, não perde tempo com enrolações, focando mais nos personagens e nos atos que os moldam do que em detalhes de ambiente a sua volta. Isso faz com que a leitura seja extremamente rápida e, juntando com o fato de ter menos de 200 páginas, o leitor vai acabar rapidinho.

Eu recomendo a leitura, tanto dessa obra quanto da anterior. As duas se complementam de forma orgânica e, como dito antes, podem ser lidas de forma independente. Aliás, não posso terminar a resenha sem destacar a arte da capa. Todas as duas têm uma capa belíssima.

Título: Lilitu Escarlate
Autor: Danilo Morales
Editora: Novo Século
Páginas: 192
Ano: 2023
Adquira: aqui

5 comentários:

  1. Namoro os dois livros do autor tem tanto tempo e já havia entendido que eles tinham sim, uma certa conexão e acho isso maravilhoso de ser dito!
    Suprema dividiu as opiniões e isso quando acontece, me deixa feliz rs sinal que o autor provocou sentimentos diversos!
    Espero ler ambos!!!!
    beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  2. Oi, Fábio! Não conheço os livros do autor e fiquei com a impressão muito positiva de suas histórias. Esse horror que envolve o oculto e entidades malignas me agrada bastante. E eu fiquei super interessada em conferir essa construção dos personagens, a forma como foi trabalhada suas personalidades.

    ResponderExcluir
  3. Fábio!
    Gosto muito desse estilo de fantasia, embora ainda não tenha lido nada do autor.
    Fiquei intrigada com essa dissociação de Pandora e entender como tudo acontece.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  4. Uma premissa deveras interessante.
    Mais interessante ainda é essa conexão entre os dois livros.....
    Pandora é uma personagem instigante

    ResponderExcluir
  5. Olá Fábio
    Não curto esse tipo de leitura,passo longe de temas que mexe com o oculto,entidades malignas . Mas deve ser um livro que vá agradar quem aprecie esse tipo de leitura.

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.