O efeito Graham

E estamos de volta ao universo da Briar! Quem aqui sentiu saudade dos jogadores de hóquei mais queridos do universo literário?

Elle Kennedy voltou com a segunda geração da série “Amores Improváveis” trazendo em seu primeiro livro a história de Gigi, a filha de Garret Graham, o protagonista mais marcante da série original.

Em O efeito Graham, vamos conhecer melhor a princesinha da maior lenda do hóquei e ver o peso de carregar o sobrenome Graham. Gigi também é apaixonada por hóquei e seguiu os passos do pai, porém tenta a todo custo mostrar o seu valor e luta pelas suas próprias conquistas, e não por ser filha de quem é.

Quando os times masculinos universitários de Briar e Eastwood, que até então eram rivais no mundo do hóquei, se fundem, se tornando um só, os ânimos ficam exaltados por ali.

Ao assistir ao treino de estreia dessa nova dinâmica, Gigi se depara com Luke Ryder, um jogador exemplar vindo de Eastwood com quem já teve uma desavença no passado. Os dois se evitam a todo custo, até surgir uma proposta de parceria entre eles.

Ryder quer muito crescer no hóquei e seguir a carreira profissional, tentando a todo custo tirar a mancha que uma briga com um antigo colega de time deixou em seu currículo. Quando surge a oportunidade de assessorar Garret Graham em um projeto de treinamento de hóquei, Luke vê uma chance brilhante. Mas a visão que a estrela do hóquei tem do jogador infelizmente o coloca em desvantagem.

Ryder quer muito a oportunidade e, para limpar a sua barra, nada melhor do que contar com a ajuda de Gigi, filha do rei. Porém, a garota não está nem um pouco a fim de cooperar com o jogador. Pois por mais que ele seja um baita gostoso, ele já lhe disse coisas que a magoou.

Quando Ryder assiste a um jogo de Gigi e nota falhas em sua técnica no gelo, ele oferece um acordo de paz. Se ela o ajudar a limpar sua barra com seu pai, em troca ele usará toda a sua experiência no esporte para ajudá-la a aperfeiçoar. E assim, eles têm um acordo.

E é na proximidade desses dois que a química sobe a níveis absurdos e mais um acordo entre eles surge. Um bem mais quente, por sinal, em que um pudesse aproveitar do corpo do outro sempre que quisesse sexo. Sem cobranças, sem sentimentos, sem dor de cabeça, apenas sexo. Mas será mesmo que isso funciona?

Eu não me lembro da última vez que li um livro com uma química tão gostosa. Quando esses dois finalmente se pegaram, o livro subiu a temperatura de tal maneira que se riscasse um fósforo na minha mesinha de cabeceira, poderia explodir o meu quarto, rsrsrs.

Foi uma delícia acompanhar esse casal, as provocações deles e o quanto se respeitavam acima de tudo. Ryder tem um passado um tanto traumático e se fechou para o mundo, mas Gigi com seu jeito doce e compreensivo foi desconstruindo a muralha de gelo que ele colocou ao redor de seu coração.

E quando ele se permite amar...
Nossa, é lindo.
É para valer.

Lindo livro, deliciosa a leitura, eu não queria parar.

Fui surpreendida muito positivamente, porque confesso que estava com receio de não gostar. Afinal, são muitos livros que a autora criou para o mesmo universo e fiquei com medo de ser cansativo. Mas aqui isso não aconteceu.

Minha única ressalva é que a história ficou um pouco extensa demais e alguns acontecimentos do livro ao meu ver foram desnecessários e só estendeu mesmo o tamanho da obra, mas ainda foi uma leitura muito gostosa e que me prendeu muito.

Eu recomendo demais!

Título: O efeito Graham (exemplar cedido pela editora)
Autora: Elle Kennedy
Editora: Paralela
Páginas: 410
Ano: 2024 
Adquira: aqui

2 comentários:

  1. Tenho, mas não li, O Legado, livro em que vemos como o casal Hannah e Garret recebe a notícia de que Gigi está vindo....
    Confesso que Efeito Graham passou batido por mim...... não me interessei em saber a sinopse.
    Mas agora que tô sabendo que é a segunda geração do povo de Amores Improváveis, talvez, após ver quem será o protagonista do próximo livro, eu coloque na wishlist

    ResponderExcluir
  2. Oi, Fernanda! Apesar de não ser o tipo de livro que me atrai tanto, achei bem legal saber que a história traz um pouco desse universo do hóquei. Não conheço a série original, mas acredito que os fãs tenham curtido esse trabalho com a segunda geração. E essa química explosiva, hein rs!

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.