Quando só nos resta fugir

Eu sempre desejei que pudesse receber o devido amor e atenção que qualquer pessoa normal merecia e necessitava. Foi quando decidi desistir dessa ideia "boba" - que eu também poderia receber esse tão desejado amor - partindo para bem longe das pessoas que seriam capazes de me proporcionar isso, mas nunca fizeram.

Dias atrás
- Estou mandando que você ajoelhe. Ande! - falava ele, enquanto aquele cinto de couro nobre era batido violentamente na nádega direita, acompanhada de uma lágrima pesada e dura que tocava o tapete de persa do meu quarto.
Um movimento brusco foi realizado e as gotas dos meus olhos começavam a encharcar o tapete que mamãe tinha tanto zelo, juntamente com as gotas de sangue que percorriam meu corpo desfigurado.
Mais uma cintada, forte, violenta e deprimente. Mais uma penetração, um movimento de fúria, desejo, obsessão. Mais uma lágrima quente, espremida dos meus olhos e queimando minha face desconsolada.
- Vira! Eu mandei você virar agora! - repetia ele, puxando meu cabelo para que ficasse de frente ao seu corpo. Agora era a minha vez. A pior, pior de todas.
Com os olhos fechados, prendi a respiração e comecei a realizar os movimentos que ele queria. Com lágrimas, com soluços quase imperceptíveis e com desgosto. Ódio. Rancor. Nojo!
Terminado a "ação" do dia ele foi trabalhar e me deixou em casa sem ninguém para vigiar-me.
Arrumei as malas desesperadamente e saí da ilha onde nasci e vi a vida da forma mais amarga que alguém pudesse ver.
Tinha que manter relações com meu próprio pai e fazer os serviços domésticos que minha mãe obrigava a realizar. Todos! E ainda, no final da tarde, tinha que pescar e trazer sempre quatro peixes para o jantar.
Dura vida. Não aguentava mais isso!
Peguei as malas e notei que havia um navio parado no porto, em frente a minha casa. Fui correndo e entreguei as poucas notas que me restavam.
- Sabe que não pode entrar aqui sem seus pais, né? Você é menor de idade, meu rapaz.
- Deixe eu ir com vocês, eu preciso ir ao hospital. Estou muito mal.
Por ver meu estado físico, o rapaz me deixou entrar de graça e mostrou onde seria meu lugar de repouso.

Agora o navio está me levando para longe, bem longe das minhas mortes diárias. Longe do meu desgosto. Longe de um lugar que não tem amor, apenas uma espécie de tortura.

1° Lugar na edição visual BLQ
Não é real, mas me emocionei enquanto criava essa história.


25 Revelaram sentimentos:

  1. Que o tempo e este navio leve para longe as dores, os sentimentos ruins..saudades..e tragam alegrias, momentos bons..bom neh Naty, vamos deixar o passado com lembranças ruins e viver o hoje a alegria!
    Um beijo minha amiga e um lindo lindo fim de semana pra vc!
    Ju

    ResponderExcluir
  2. Naty...
    o que será do mundo...
    onde as pessoas só querem...
    mas...ninguém se dá nem um pouquinho...
    abro os meus braços...
    ancoro o barco...
    e vivo...
    Beijos
    Leca

    ResponderExcluir
  3. não só você, Naty, eu acho que todos que tiveram a chance de ler essa preciosidade ficaram com os olhos marejados. você é iluminada!
    lindo demais!

    beijão!

    ResponderExcluir
  4. Que história forte! Me arrepiei...
    Você escreve muito bem... e com tanto sentimento... parece até real!

    ;*

    ResponderExcluir
  5. Naty,

    suas histórias são lindas! Ainda mais assim, quando o personagem consegue se libertar.

    Beijo,
    Nara

    ResponderExcluir
  6. cara, só de pensar que existem "pais" que fazem isso com os filhos e filhas me sinto enojada. Uma criatura como essa nem merece ser chamado de pai.Texto muito bem feito.

    ResponderExcluir
  7. oi tudo bem ? adorei seu blog achei interativo e muito interessante to seguindo. Olha tenho um blog

    http://kah-catarina.blogspot.com

    quero saber se você esta interessado (a) em parceria? entra la comenta e nos segue..

    também estou abrindo vagas para moderadores (as) , se tiver , vai la barra lateral e clica em ser moderadora, ai é so preencher o formulário, bjim

    aguardo resposta!

    qualquer dúvida meu e-mail é catarina_familia@hotmail.com

    ResponderExcluir
  8. É tão bom quando nós mesmos nos emocionamos com o que nós escrevemos não?

    Ótimo texto. Obrigado por passar lá no meu canto.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  9. Saudades de ti,menina dos olhos de Deus!Tudo bem?Estava precisando ouvir isso!Tenso..Belo texto!
    Abraços e bjão.

    ResponderExcluir
  10. Fugir nunca resolveu um amor, paz.
    Beijo Lisette

    ResponderExcluir
  11. oi, naty. primeiro de tudo, muito obrigada pelas visitas em meu blog. adoro ver teu nome nos cometário, e saber que consegue arranjar tempo para o escafandro :)

    quanto ao texto, não me emocionei como voce. na verdade, as palavras me dão uma contração no peito e sinto agonia, cada vez mais enquanto passo os olhos pelas linhas.
    o que me deixa pior ainda é saber que esse tipo de coisa acontece numa realidade próxima;

    beijo, feliz dia dos pais e boa semana :)

    ResponderExcluir
  12. Foi perfeito, brincando comigo, hein? Te confesso minha doce menina que se fosse seu melhor amigo nesta Terra, te contaria tantas coisas que me contenho para não revelar no Paranóico e encerro em um caderninho de arame e papel, viu! Beijos,

    Charlie B.

    Ps. Será que um dia pode escrever sobre mim? rs, tá isso foi insano, beijo.

    ResponderExcluir
  13. Olha, vou te contar um segredo: essa coisa de ' o devido amor e atenção que qualquer pessoa normal merecia e necessitava' não existe! Gente 'normal' é gente medíocre - e gente medíocre não ama nem recebe amor! Amor de verdade é pra gente forte, DE PEITO, sem medo de amar, ser amado e se deixar viver o amor.
    Tô seguindo, guria, muito bom seu blog!
    beeijo

    ResponderExcluir
  14. Sempre é bom passar aqui é ler suas blas histórias.

    Abraços e uma ótima semana

    ResponderExcluir
  15. Fiquei sem palavras com o que me disse!

    Eh, eu não passei por algo parecido mas o que ouvi da boca do meu pai tbm não foi nada bom!

    Espero que já tenha o perdoado pq viver com essa mágoa não deve ser nada bom!

    Um abraço Naty

    ResponderExcluir
  16. Mais uma vez, não consigo dizer outra coisa senão as coisas que sempre falo sobre você. Encheu meus olhos de lágrimas.

    ResponderExcluir
  17. Nossa, que história chocante. Fiquei com cara de ._. Adoro essas tuas historinhas, viu. =) bj bj

    ResponderExcluir
  18. ;___;

    Arrepiei de novo.. que triste..

    ResponderExcluir
  19. Naty, que texto triste... que a personagem tenha encontrado a felicidade. Assim como todos nós a merecemos.

    =*

    ResponderExcluir
  20. Caraca, flor!
    Que real! Parece que eu estava ali, vendo a cena.
    Parabéns ! Apesar de forte, você desenvolveu muito bem.

    Obrigada pelo carinho, flor . Se eu for pedi-lo em casamento, te aviso hehe
    Beijo grande ♥

    ResponderExcluir
  21. É de arrepiar mesmo.
    Maravilhoso, adoro ler as histórias daqui.

    beijos ;*

    ResponderExcluir
  22. Seus textos são ótimos, e esse não é diferente. Ao ler, sinto uma emoção real, e adoro quando sinto isso. Prova o quanto estou adorando aquele texto, trecho, frase... o que for. Parabéns... está intenso, forte, e muito bem elaborado!
    Até mais! :*

    ResponderExcluir
  23. Olá Naty, passando pra deixar um beijo; mas é claro que li o texto, e apesar de você admitir que não é real, digo-lhe que está de acordo com tantas realidades por aí, eu mesma presenciei uma vivida por uma colega minha, e, além de tudo, o pai dela ainda a obrigava vender doce no trem, e a mãe não acreditava nela e nem nas irmãs.Todas saíram de casa muito jovens e Deus sabe como foram viver. Meu coração doía por conta daquilo e, não havia como hj, disque denúncia, os pais eram autoridades. Beijos minha linda e tudo de bom pra você!

    ResponderExcluir
  24. Ei Natalia, eu te avisei sobre o selinho que dei para seu blog? Ai meu Deus...hihihihi

    O selo (2º SELINHO) está na coluna da direita do meu blog. Busca lá, querida.
    beijo e um queijo.

    BLOG NaNnA BeZeRrA

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.