Resenha: A promessa


Quem me acompanha nas redes sociais sabe que estou sofrendo de um mal: ressaca literária. Desde O livro dos Baltimore, nenhum livro tem conseguido prender a minha atenção por completo. E digo isso porque já li outros e ficou aquela coisa morna, só terminei rápido (e ainda considero demorado) pelo fato de os livros serem pequenos, ou seja, coisa de dois dias em cada um (o que poderia ser feito em duas horas cada). Sim, O livro dos Baltimore mexeu com as minhas emoções e com a minha estrutura. Pensava que não fosse sair dessa ressaca que parecia eterna, e então comecei A promessa.

Na verdade, iniciei a leitura ainda com efeitos do livro do Dicker. Demorei em torno de 7 dias para ler 100 páginas, o que consigo fazer em apenas 1 dia. Porém, quando cheguei na página 150 eu simplesmente deslanchei na leitura e finalizei em 2 dias. O livro não começa nada devagar, toda essa minha lerdeza foi decorrente do Joël Dicker que não soube me ensinar a me conformar com o desfecho de uma história.


Em A promessa nós temos o queridinho Myron Bolitar, o que há algum tempo eu não me simpatizava tanto quando li À toda prova. Porém, no decorrer dos livros com esse personagem acabei criando gosto pelo protagonista, principalmente em O medo mais profundo. Agora estamos juntos, novamente, e Bolitar tem uma grande missão a cumprir: uma promessa.

É difícil tentar entender as circunstâncias de forma oposta ao que nos é mostrado. A mídia revela o rosto de Katie Rochester como desaparecida. Os pais estão aflitos e imploram por qualquer informação. Mas as coisas não são tão simples quanto parecem, afinal, a polícia não está convicta de que ela tenha sido sequestrada e sim de que fugiu, já que antes de desaparecer ela sacou uma certa quantia de um caixa eletrônico.

Essa mesma garota, Katie, foi encontrada pela Dra. Edna Skylar na estação de trem. O que a doutora não imaginaria é que a jovem pediria algo para ela tão importante e assustador: “Por favor, a senhora não pode dizer a ninguém que me viu”. E o que a Dra. Skylar poderia fazer nesse caso? Katie parecia bem, parecia saudável e estava de mãos dadas com um rapaz que aparentava ter 30 anos. Sem que ela pudesse responder, a garota desapareceu.


Tempos depois é a vez de Aimme Biel desaparecer, uma das adolescentes que fez uma promessa com Bolitar. Desesperada, ela liga de madrugada para o nosso protagonista e pede uma carona. Sabendo do combinado, ele não pensa duas vezes e decide ajudá-la. No entanto, há algo errado naquele caminho solicitado por Aimee. O lugar é escuro, deserto e, conforme declara, é o endereço de uma amiga. Mas Bolitar não é besta e sabe que há algo errado nisso, porém, para honrar sua palavra, ele não pode fazer perguntas. Então é a vez de ajudar e ficar calado.

Quanto você está disposto a ajudar alguém? E se a vida dessa pessoa dependesse da sua palavra? Como seria possível salvar alguém que não consegue se ajudar? São questionamentos que fazemos durante a leitura e, principalmente, percebemos o arrependimento de Bolitar ao tomar aquela decisão. Afinal, foi a última vez que Aimee foi vista. Atormentado pela culpa, ele decide investigar onde está a garota e quem são as pessoas que podem fazer o mal a ela. Contudo, é preciso tomar cuidado, um passo adiante pode significar riscos de ter a sua própria vida ceifada. Existem pessoas vigiando Bolitar e, qualquer deslize, ele pode pagar caro por isso.


Precisa-se deixar claro que nos dois casos existem ligações para que pensemos que um está interligado ao outro, ou ao menos que a coincidência é grande demais. Afinal, as duas garotas simplesmente desaparecem e retiram dinheiro da conta exatamente no mesmo caixa eletrônico. A gente se pergunta, por diversas vezes, se foi apenas uma fuga ou se elas foram sequestradas. Qual a verdade, afinal? Além desse mistério no desaparecimento das duas garotas, existem outros elementos apresentados ao leitor.

É difícil não tirarmos algum tipo de lição dos livros de Coben. Nesse não seria diferente, não poderia sê-lo. A gente aprende a importância das pessoas e do sentimento que temos por elas; aprendemos que uma mágoa não é o que devemos absorver das pessoas, afinal, ficamos com isso em nós, nos corroendo e nos prejudicando; aprendemos que um sentimento passado pode vir à tona, basta estar perto da pessoa, mas esse sentimento pode ser diferente do que era, pode significar apenas que aprendemos e amadurecemos – que não queremos mais aquela dor para nós, aquele sentimento desenfreado e nem sempre recíproco. A gente aprende que precisamos sempre aprender, que não basta olhar nos olhos das pessoas, elas são capazes de mentir, persuadir e nos enganar com coisas ínfimas (e até das grandes – como no caso do livro). Aprendemos que precisamos estar sempre atentos, tanto às coisas que nos falam e ao silêncio; atento a um sorriso e ao olhar sereno. Aprendemos que nossa vida é uma eterna aprendizagem e tudo depende de como encaramos as coisas ao nosso redor. O que você escolheu para si hoje: aprender ou cuidar das coisas que os outros estão aprendendo?

Cada um tem a opção de plantar o que quer. Podemos plantar muito trabalho; muito estudo; muito dinheiro; muitas horas à toa, vendo filmes, séries, novelas e acompanhando pessoas nas redes sociais; podemos plantar muitas coisas, mas a justiça é feita e somos obrigados a colher tudo o que plantamos. Então, o que você quer colher amanhã? Reflita e plante hoje, agora, o que você deseja colher amanhã. Pois é impossível plantarmos melancia e colhermos feijão. Prometa isso para si, seja o melhor para si, outra pessoa não pode ser por você.


Quotes:
“– Acho que a gente tem que fazer uma escolha quando as coisas doem – disse Erik. – Podemos sentar no banco ou podemos tentar jogar com dor.” (p. 59)

“– Posso falar, Al?
– Como se alguém pudesse impedir! Como se um canhão ou um tanque do Exército... como se alguma coisa pudesse impedir você.” (p. 73)

“– [...] Ele não se importa em brigar. Não sente medo. Nunca sente vergonha. Está disposto a perder ou sofrer para fazer a outra pessoa sentir dor e sofrer mais ainda. Esse é o tipo de homem que ele é.” (p. 226)

Outras fotos:






Título: A promessa (exemplar cedido pela editora)
Autor: Harlan Coben
Editora: Arqueiro
Páginas: 352
Ano: 2017

22 Revelaram sentimentos:

  1. Gosto muito de ler os livros desse autor e acho que só falta esse para fechar a série.
    Adoro esse personagem. Myron me faz dar boas risadas e ficar apreensiva com as ideias heroicas e quase estupidas que ele tem tentando salvar os outros. Ê homem! Me faz roer as unhas quando começo a ler alguma história dele e a coisa começa a ficar cada vez mais complicada. Mas também acho legal o quanto cada livro da série faz a gente pensar em algumas coisas. É legal essa aprendizagem, as coisas que a gente acaba tirando pelas consequências que vê na história, não é verdade?
    Esse parece estar com todo esse clima: muito mistério, aquela curiosidade, as coisas que só vão se complicando mais e também um lado pra fazer pensar.
    Acho que é uma boa dica pra quem está com uma ressaca literária, porque os livros dele sempre tem um momento que deslancha uma adrenalina louca e a gente não quer parar. Mesmo que tenha demorado um pouco pra ler esse valeu a pena, não é?
    Boa sorte agora com as próximas leituras e que essa ressaca tenha passado! ^^

    ResponderExcluir
  2. Amo Harlan Coben e esse livro já está na minha lista! Parabéns pelas fotos, ficaram ótimas! =)

    http://entremundosliterarios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Nunca fiquei tão apegada assim num livro a ponto de não me concentrar nas leitura seguintes eu normalmente supero bem fácil ahahhah
    Gostei muito da resenha do livro, acho incrível hsitórias interligadas e fiquei curiosa para ler.

    ResponderExcluir
  4. Natália!
    Ganhei esse livro e chegou essa semana, já estou bem curiosa para fazer a leitura, porque além de gostar do autor, gosto muito de um bom livro policial e esse ainda vem com aprendizado para a vida, o que o torna ainda melhor.
    Mesmo sem ter os outros livros da sério, vou ler esse...
    Desejo uma semana abençoada!
    “A simplicidade é o último degrau da sabedoria.” (Khalil Gibran)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  5. Oi Natalia! Uma amiga e colaboradora do blog ama os livros do Harlan Coben, tanto que tenho bastante curiosidade em ler e conhecer esse protagonista e suas histórias. Adorei a sua resenha e amei as fotos!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Parece ser uma historia bem instigante, até agora só li um livro do autor e gostei, mas não foi com o Bolitar preciso conhecê-lo rs. Fiquei curiosa com esses dois desaparecimentos bem estranhos, querendo saber mais e qual a ligação deles, deve ser uma leitura bem ágil para sabermos logo o desfecho. Realmente temos que tomar cuidado com o que plantamos.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Natália!
    Eu amei sua resenha, mas confesso que não me interessei pela trama de A Promessa e nem fiquei curiosa para saber mais sobre o desaparecimento de Katie e Aimee, e se eles estão interligados...
    Mas espero que esse livro tenha ajudado na sua ressaca literária.
    Ps: lindas fotos!

    ResponderExcluir
  8. nice blog you have ;)

    if you like to follow for follow , just let me know :)

    New post - Sporty 70s OOTD

    Check out my ♥Instagram ,Blog╚ovin and
    Google✚

    Stay Gold

    ResponderExcluir
  9. Oi Natalia, sua linda, tudo bem?
    Achei linda a mensagem que o livro traz como aprendizado. Realmente, quando nós guardamos a mágoa, somos nós apenas que sofremos, temos que nos desprender desses sentimentos ruins, pro mais difícil que seja. Estou super curiosa para desvendar os dois crimes e descobrir se eles realmente têm ligação. Não vejo a hora de ler!!! Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Gosto de autores que acabam nos ensinado algo atravez de seus livros. Nunca li nada do autor, mas depois de ler a resenha fiquei muito curiosa para ler.

    Visitem meu blog!
    garotaeraumavez.blogspot.com.br
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  11. Adoro esses livros que nos fazem pensar sobre a vida e as situações, que nos trazem algum tipo de lição entre linhas. Adorei a indicação, pois não conhecia esse ainda :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  12. Olá, Naty!
    Tudo bem?
    Gosto muito dos livros do Harlan Coben, e sinto falta de lê-los com frequência. Não sabia que esse em especial fazia parte da série que tanto adoro "Myron Bolitar". Pelas observações que citou, já imagino o quanto o suspense é envolvendo. Eu adoro o modo com esse autor interliga casos que a principio não parecem ter ligação alguma.

    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi, Natalia. Eu não conheço muito da história porque não li nenhum livro do autor com estes personagens, porém tenho muita curiosidade em descobrir os mistérios por detrás da escrita dele. Vou anotar aqui o nome para poder dar uma conferida mais tarde, amei as fotos e a resenha e concordo, ressaca literária é o maior saco!
    Beijo, Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  14. Oi! Nunca li nada do autor, mas já li vários elogios. Quem sabe um dia paro e conheço a escrita dele. Bjos <3

    http://clickliterarioblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Oi Naty.
    Também estou numa ressaca literária horrível.
    Achei bem interessante a premissa desse livro, li um livro do Harlan a muito tempo atrás e adorei, amei que os livros tem ligação um com o outro, adoro quando tem esse senário de investigação e tudo mais, estou louca para ler.
    Bjs.
    P.S As fotos ficaram lindas.

    ResponderExcluir
  16. Oi, Naty
    Sempre tem uma lição deixada por Coben em seus livros, né?
    Amei a resenha, pois amo os livros do autor. Suas reflexões sobre as lições que o livro passa ficaram lindas até.

    ResponderExcluir
  17. Adorei as fotos! Menina, tu gosta do Coben, hein? hahaha eu só li Cilada até hoje e (desculpa) não curti muito :/ ele foi novamente selecionado para a leitura desse mês do clube que participo, mas nem lembro o nome. Pretendo ler outro livro dele, claro, mas não sei quando
    Gostei dessa reflexão acerca do que plantamos e colhemos, de salvar quem não salva a si mesmo e afins

    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Sabias palavras Natalia! Amo os livros do Harlan Coben tanto pelo suspense como também pelas reflexões e ensinamentos que as histórias trazem. Ainda não inicie a leitura da série do Myron, mas esta na meta desse ano, preciso ler logo pois estou morrendo de saudades dos suspenses e mistérios escritos com maestria por esse grande autor. Os livros dele são ótimas dicas para sair de uma ressaca literária, já que é impossível largar o livro até chegar à última página.
    Que bela coleção, parabéns!
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Oi Naty, tudo bem?
    Nunca li nada desse autor, mas já venho acompanhando a algum tempo as opiniões sobre esse livro. Sua resenha está impecável. Só aumentou minha vontade de ler.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  20. Nunca li nada do autor!
    Mas vejo esse livro em todos os lugares!
    Agora estou com mais vontade de ler!
    Adoro tipos de história assim!

    ResponderExcluir
  21. Olá, Natalia.
    Se tem um autor que tira a gente da ressaca é o Harlan. Eu adoro os livros dele, além do suspense sem igual, é como você disse, sempre tem alguma lição nas histórias. Eu não consegui ler esse livro ainda, mas assim que der eu vou ler já que amo os livros do Harlan, principalmente os do Myron.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  22. Oi, Naty!!
    Adorei a resenha. Mas infelizmente ainda não li nada Harlan Coben. Sempre gostei de livros de suspense e essa série parece ser bem minha praia. E que fotos mas lindas são essas!! Amei todas!!
    Beijoss

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.