05 outubro 2019

Resenha: O Exorcista

Outubro é o mês do Terror e com isso, traremos várias postagens desse gênero para vocês. Fiquem ligados, pois teremos postagens especiais todas as quartas e sábados!
Há alguns dias, conheceram o livro Vozes do Joelma, trazido pelo nosso querido colega Fabio. E, hoje, é a minha vez de trazer uma resenha muito linda para contribuir a esse mês trevoso.

Nada melhor para falar de terror do que possessões demoníacas, certo?

O Exorcista foi a minha primeira experiência com livros de terror. Desde nova, sempre gostei de assistir aos filmes, mas demorei a dar uma oportunidade a esse gênero na literatura. Eu temia ser muito assustador, e confesso que de fato é. Por várias vezes me peguei tão vidrada na história que, se passasse uma mosca ao meu lado, eu dava um pulo. Hahahahaha. E hoje posso dizer com muita convicção que valeu muito a pena, pois esse livro foi incrível. Inclusive, a meu ver, muito melhor que o filme. 


Aqui, temos a mundialmente conhecida história de Regan, criança de doze anos que sofre uma possessão demoníaca. Tudo começa com uma inocente brincadeira com um velho tabuleiro Ouija encontrado no porão de casa. Então, crianças, NUNCA, JAMAIS mexam com um tabuleiro desses, ok? Isso vale para os adultos também! Rsrsrs.

Eu sei de mim que jamais passarei perto dessa tábua desenhada! Enfim, voltando à trama. Regan comete um erro ao brincar com o perigo e então fenômenos muito suspeitos vão acontecendo com ela e a casa onde mora, deixando sua mãe, uma atriz até então completamente descrente, extremamente preocupada. 

Durante a narrativa dos acontecimentos na casa de Regan vamos conhecendo aos poucos a história do Padre Karras, que foi o meu personagem favorito nessa história. Ele é psiquiatra e teve sua fé abalada, por isso estava afastado das atividades da Igreja, mas, quando ele se depara com esse caso, sabe que não pode simplesmente virar as costas. Já é algo muito maior do que ele. É a vida de uma criança que depende dele. 

Enquanto Regan vai dando indícios de possessão, Karras vai reunindo provas para apresentar à Igreja e conseguir autorização para realizar o exorcismo, pois esse assunto é muito sério na Igreja Católica. Muitas vezes, a possessão é confundida com algum distúrbio psicológico e, por isso eles cercam ao máximo para garantir que de fato estamos lidando com um demônio e não uma peça pregada pela mente humana. 

Alguns dos fatores analisados que indicam a possessão são: uso de línguas estrangeiras jamais conhecidas pela pessoa e uso de força anormal. No caso, como a Regan, uma criança de 12 anos, conheceria línguas jamais vivenciadas por ela? Uma força incompatível ao corpo dela também foi analisada. Reunindo tudo isso e alguns outros indícios, Karras consegue autorização para o exorcismo, porém, apenas acompanhado de um padre mais experiente. 


E é aí que o Padre Merlin entra na história. Sabem aquela capa original do filme onde um homem de chapéu aparece na porta de uma casa e uma luz sai da janela? Pois é... Essa chegada triunfal de Merlin e a forma como o demônio o recebe na casa é um marco nesse livro. 

Gente! Que livro foda! Que escrita do caralho! A riqueza de detalhes é tão incrível que você sente como se estivesse ali, frente a frente com o demônio, sentindo tudo que os personagens sentem. Você mergulha na história de uma forma que não consegue largar até acabar. Sem contar na quantidade de reflexões que ela nos traz! Principalmente sobre fé. Esse livro mexeu muito comigo e me tocou de uma forma inexplicável. 

Para entenderem o que eu estou dizendo, encerro minha resenha com esse quote que resume muito bem a mensagem do livro. 
Mas se todo o mal do mundo faz a senhora pensar que pode existir um Diabo, como explica todo o bem do mundo?

Sobre a edição: Eu acho essa capa linda, embora aquela original do filme seja ainda mais bonita para se ter na estante. A diagramação é simples e muito confortável, páginas amareladas e espaçamento do tamanho correto. Muito lindo!

Deixando o trailer do clássico filme para aguçar a curiosidade de vocês e incentivar essa leitura!


 
Título: O Exorcista
Autor: William Peter Blatty
Editora: Harper Collins
Páginas: 333
Ano: 2015

11 comentários

  1. Oi Fernanda!
    Eu devo dizer que esse filme me aterrorizou por anos e quando eu assisti não conseguia dormir de jeito nenhum. rs
    Dai um dia eu vi o livro eu precisei comprar, as até hoje nada de ler por ter medo ainda. Deus me free só de ler sua resenha já tô com medo, imagina se eu pegar isso para ler ainda mais eu que leio tanto a noite??? Pior ainda é ele sendo melhor que o filme né auisoahusi
    Haja coragem.

    Silviane, blog Memento Mori • Participe do Top Comentarista de Outubro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!!
      Menina... Hahahah
      Crie coragem, pois é muito bom!!
      É só ler durante o dia e tudo certo! Rsrsrs

      Excluir
  2. Se eu te disser que nunca consegui ver este filme, você acredita?? Eu acabei lendo o livro quando era muito nova, numa versão antiga, velhinha e cheirando a mofo que tinha na Biblioteca da escola onde estudava.
    Sei lá, fiquei remoendo as cenas na cabeça por muito tempo e tive meio que pânico..por isso, nunca consegui e olha que tentei várias vezes, ver o longa.
    Confesso que mesmo com uma edição maravilhosa desta que você mostrou acima, meu coração deu uma acelerada. Sei lá, acho que não conseguiria ler novamente.
    Esta obra me marcou demais e não de uma forma positiva!!!
    beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Angela!!
      Eita... Aí se te marcou de forma ruim, realmente é melhor deixar de lado... Sempre digo que a leitura tem que nos fazer bem.
      Mas pelo menos valeu a experiência ne? Rsrsrs

      Beijos!

      Excluir
  3. Fernanda!
    Acredito que esse foi um dos primeiros livros de terror que li, porque andava estudando os ritos da igreja católica e achei realmente aterrador e me fez questionar ainda mais algumas dúvidas que tinha...
    Já assisti todas as versões cinematrográficas que traz ainda mais angústia porque podemos ver as cenas que só imaginávamos.
    Tem de ter estômago para ler (e assistir).
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rudy!
      Pois é... Achei super importante as reflexões que ele nos traz, por isso gostei tanto. E é verdade, precisa mesmo ter estômago! rsrrs

      Beijos!

      Excluir
  4. Olá!
    Então, esse foi o primeiro filme que eu assisti e que realmente tive medo. Não sou tão fácil senti medo de filme de terror, mas esse me deixou. Não fazia a minima ideia que tinha o livro, fiquei agora interessada em saber como seria a historia através das paginas.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lily!

      Pois é... É um baita livrão!!
      Leia quando se sentir confortável para isso, pois realmente é bem intenso.

      Beijos!

      Excluir
  5. Jade Passos09/10/2019 11:07

    Sou uma pessoa medrosa, então para assistir esse filme foi preciso muita coragem, não sei se tenho o suficiente para ler o livro.
    Apesar disso gosto de livros com muitos detalhes e que fazem você entrar na história, um dia talvez de uma chance a ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jade!

      É... Se você tem medo, é melhor estar pronta para isso. Pois não é um livro leve. Mas recomendo muito a leitura!

      Beijos!

      Excluir
  6. Oi!
    Eu sou muito traumatizada pela garota possuída, tanto que nunca cheguei a ver o filme por completo. Tudo por conta daqueles jogos e vídeos na internet em que aparecia a bixinha, me fazendo ter um ataque do coração kkkkk
    Ao meu ver, livros de terror são "mais fáceis" de ler do que ver os filmes. Os filmes contam com trilhas sonoras preparadas especialmente para parar o coração por alguns segundos.
    Hoje, eu teria mais coragem para ver o filme, e o livro? Quero já!

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.