Resenha: Fragmentados


Olá amores e amoras!

O autor Neal Shusterman nos mostra em Fragmentados que a criatividade do ser humano não tem limite, assim como a sua maldade e o egoísmo. Imaginem só uma sociedade em que a lei maior é a “Lei da Vida”, daí você pensa, “nossa, que bom! Uma sociedade distópica que valoriza a vida”, só que não meus irmãos. A Lei da Vida surgiu após uma guerra estourar entre os que defendiam a vida eos que defendiam o aborto e quando a guerra se estendeu a um nível insuportavelmente destrutivo eis que alguém surge com a solução que, PASMEM, foi aceita por ambos os lados.

A partir dali ninguém mais abortaria durante a gestação. Os pais ganharam o poder de decidir abortar os filhos quando eles estiverem na idade entre treze e dezoito anos. Confuso? Eu explico. Se nesse meio tempo os pais decidem que não querem mais os filhos eles os enviam para um processo de fragmentação (do dicionário: divisão; ação de fragmentar, de quebrar, de reduzir a fragmentos, a pequenos pedaços) e nesse processo o filho será dividido em várias partes e essas partes poderão ser vendidas, comercializadas por Campos de Colheita e vendidas para quem puder pagar mais. Assim, a pessoa fragmentada continuaria viva ao se tornar parte de outra pessoa. A Lei da Vida também permitiu que filhos indesejados possam ser abandonados pelas mães após o nascimento desde que essas não fossem pegas no ato e quem encontrar a criança torna-se responsável por ela, és eternamente responsável por aquilo que encontras. Sim, parece mesmo uma piada.


Resenha: Tronos e Ossos - Jornada no Gelo



Olá meu povo, como estão? Faz tempo que eu não lia um livro de fantasia, apesar de ser o meu gênero favorito, mas ao voltar a lê-lo não poderia ter feito melhor. Tronos e Ossos é uma aventura leve, divertida e com bons elementos da boa e velha fantasia.

Nessa história contamos com dois protagonistas, o primeiro trata-se de Karn, um garoto fissurado em jogar Tronos e Ossos, um jogo de estratégia que lembra o xadrez. E o segundo é Thianna, uma meio gigante de gelo que tem como passatempo esportes violentos, muito diferentes dos praticados por Karn. Os dois não poderiam ser mais diferentes e ainda assim tão semelhantes.


Resenha: Mitologia Nórdica





Você sabe de onde vem a poesia ruim? Ou até mesmo os nomes da semana (o do calendário americano)? Não? Então talvez Mitologia Nórdica seja o que você esteja procurando.

Mitologia Nórdica é meu primeiro livro do autor Neill Gaiman, sempre escuto falar muito bem das obras dele. Já assisti Coraline (dirigido por Henry Selick) e é um dos meus filmes favoritos, assim como tenho contato com as leituras nos quadrinhos dele em obras como Sandman e Batman: O que aconteceu ao Cavaleiro das Trevas?


Resenha: Corte de Névoa e Fúria


Esta resenha não tem spoilers do livro anterior. Entretanto, caso você ainda não tenha lido o primeiro livro ou quer conhecer um pouco mais sobre a série, recomendo que você leia, primeiramente a resenha de Corte de Espinhos e Rosas.

Feyre é, agora, a Quebradora da Maldição, salvadora dos feéricos, conhecida pela maioria como tal. Entretanto, os pesadelos e lembranças sobre tudo que ocorreu ainda atormentam essa protagonista, mesmo que se tenha passado três meses desde os acontecimentos em Sob a Montanha. Quebrada: essa é a palavra que a resume completamente. Além de estar definhando aos poucos, tudo parece está fora dos eixos: seu relacionamento com Tamlin, quando ela nem ao menos sabe o que quer para o seu futuro imortal, a proteção excessiva do Grão-Senhor de Primaveril para com ela, além dos segredos daquela corte.


Resenha: O Ceifador


Imagine uma sociedade utópica onde todos os problemas foram solucionados, não existe mais corrupção, fome, desemprego e, acreditem se quiser, nem mesmo a morte... Bom, ela até existe, mas caso você seja “morto” seu corpo será levado para um centro de vivificação para que possa ser revivido.

Aí você deve pensar: “Poxa, mas se ninguém morre a população deve crescer de uma forma que logo, logo não vai ter mais espaço nem recursos para todo mundo.” Quase, pois é aí que entra os ceifadores. Eles são os únicos seres capazes de matar alguém em definitivo, a chamada “coleta”. Os ceifadores são vistos como os seres supremos do mundo, são temidos e bajulados pelas pessoas comuns devido ao fato de que a escolha dos ceifadores para coletar alguém é feita de forma aleatória, além de eles poderem conceder imunidade as pessoas, evitando assim que elas sejam coletadas.


Promoção: 3 anos do Estante Quadrada


Olá pessoal, tudo bem com vocês? Espero que sim.

No mês de julho o canal no YouTube Estante Quadrada completa 3 anos de existência e para comemorar durante esse mês junto de vários outros blogs e vlogs vai sortear diversos kits com livros incríveis para os seguidores e o Revelando Sentimentos se uniu a essa festa!


Resenha: Quarteto Smythe-Smith


Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Quando a editora Arqueiro lançou o box do Quarteto Smythe-Smith em edição limitada eu pirei e muito e tratei logo de garantir o meu, mas foi somente este mês que consegui ler todos os livros que nos apresentam os dramas casamenteiros das musicistas do quarteto infame que conhecemos nos livros dos Bridgertons.

Resolvi falar as minhas impressões sobre o quarteto em uma única resenha e sem entrar muito em detalhes mas acho que os resumi bem. Vamos lá!

Resenha: Claros sinais de loucura


Olá ser humaninhos,

Sara Nelson é uma garota diferente: aos 12 anos seu quarto ainda é rosa (cor que ela não gosta), ela ainda usa roupas infantis, não tem a orelha furada, ela conversa com uma planta chamada Planta, nas horas vagas escreve para Atticus Finch (o advogado de O sol é para todos), possui um pai alcoólatra, já mudou de cidade cerca de quatro vezes, adora espionar a vida de seus vizinhos de cima de seu toco de árvore e procura constantemente sinais que indiquem que ela esteja ficando louca (como a sua mãe, que vive em um hospital psiquiátrico).


Quotes: Trilogia Branca de Neve


Olá leitores, tudo bem com vocês?

Decidi compartilhar com vocês alguns dos quotes dos livros da Salla Simukka que mais gostei e que me fizeram refletir. Espero que gostem.

Resenha: O signo dos quatro


Olá gente linda,

toda vez que nenhum dos meus livros parece interessante e a vontade de ler está fraca (a tal da ressaca literária), basta eu pegar um volume das maravilhosas aventuras de Sherlock Holmes que é alegria na certa. 

Conan Doyle possui uma escrita detalhada a diferenciada, que conduz o leitor em um caso cheio de desdobramentos, ou o afasta de vez da narrativa. Resumindo: Conan Doyle, ame-o ou deixe-o (ou você ama, ou detesta). Eu sou dessas pessoas que ama, então obviamente a resenha aqui será bastante positiva.

Resenha: Mentiras como o amor


Olá amores, tudo bem com vocês?

Eu estou com medo de não conseguir transmitir em palavras quão incrível e quão chocante esse livro é. Primeiro, não posso falar o porquê de eu ter ficado tão atônita e com o estômago revirado, se eu dissesse estaria dando spoiler da única coisa que não pode ser revelada sem estragar a descoberta que aos poucos vai deixando  nós, leitores, estarrecidos. De início nos perguntamos “será que é possível?”, daí pensamos “não, não pode ser”... Até que nos deparamos com a verdade e ficamos alguns minutos sem fôlego e quando voltamos ao normal corremos para o Google porque precisamos pesquisar para comprovar se aquilo é mesmo real e se verdadeiramente acontece fora das páginas de um livro. E sim, acontece. Sim, é real. Choquei!


Resultado do Top Comentarista

Olá, leitores. Hoje trouxe o resultado do Top Comentarista para vocês.

Segue abaixo o nome do vencedor:


Resenha: Alucinadamente feliz


Olá meus amigos,
A autora Jenny Lawson coleciona uma série de distúrbios mentais: transtorno de ansiedade (TDA), artrite reumatoide, depressão, transtorno do sono, transtorno de arrancar cabelo, transtorno de se machucar (todos esses transtornos têm nomes muito complicados, mas eu resolvi facilitar e escrever o que eles realmente são). Devido a esse leque de doenças, Jenny leva uma vida mais caseira e tem um cotidiano diferente.


Resenha: Branco como a neve



Olá pessoal!

Hoje vim falar do segundo livro da trilogia Branca de Neve, vocês podem ler sobre o primeiro livro, VERMELHO COMO O SANGUE neste link aqui e podem ler essa resenha sem medo, pois não possui spoiler do primeiro livro. E, só para lembrar, apesar de possuir referências tanto na história quanto no título, a trilogia não é uma releitura do conto dos irmãos Grimm, ao que parece, a autora é apenas uma fã dos contos de fadas.

Enquanto que no primeiro livro Lumikki caiu de paraquedas no meio de uma confusão envolvendo euros manchados de sangue e se tornou alvo de bandidos de uma grande organização criminosa, em Branco como a neve ela é pega de surpresa quando, meses após as confusões envolvendo a máfia russa, ela decide viajar para Praga e lá acaba sendo a única pessoa capaz de ligar um homicídio disfarçado de acidente a um possível assassinato.


Resenha: A Garota-Corvo


A garota-corvo é um livro que vai surpreender o leitor por seu suspense sueco fora do comum. Não é uma obra que estamos acostumados a nos deparar, tampouco com finais que nos deixa boquiabertos. Prepare-se para aguçar os sentidos de diversas formas.

Depois da série Millenium de Stieg Larsson, assim como as obras de Jo Nesbo e ainda os escritos de Kristina Ohlsson, eis que surge a mais recente obra seguindo a tradição sueca, cujo conteúdo é composto por uma trama complexa, com tema pesado, personagens bem criados e um enredo bem descrito.

Resenha: Em águas sombrias


Em águas sombrias é o segundo livro da autora Paula Hawkins. Sua obra de estréia, A garota no trem, fez o maior sucesso e ganhou 20 milhões de cópias. Preciso iniciar a resenha dizendo que não farei comparações, até porque não li o primeiro livro da autora e tampouco gosto de ficar comparando, já que nem sempre um sucesso desenfreado é sinônimo de qualidade ilimitada. 

O local escolhido é Beckford e nessa cidade inglesa, cercada por um rio, algo estranho está acontecendo com certa frequência: mulheres são encontradas afogadas. Nel, mãe de Lena, é a nossa personagem principal. Ela decide escrever um livro sobre esse pequeno lugar, sobre essas mulheres, até que algo surpreendente acontece: ela é encontrada morta.

Resenha: Um menino em um milhão


Olá amigos,
Recentemente recebi um livro lindo da Arqueiro, juntamente com um conto muito fofo. Um menino em um milhão e Uma em um milhão, respectivamente. Um menino em um milhão é um livro sensível e muito bem humorado.

O livro conta a história de Ona Vitkus, uma senhorita de 104 anos (sim! ela se auto denomina senhorita, então não vamos mudar isso, okay?), que está precisando de um pouco de emoção em sua vida. Mas ela na verdade não sabe disso. Ela descobre isso quando aquele menino de olhos assustados e que conta tudo nos dedos, aparece na sua casa oferecendo ajuda doméstica em nome dos escoteiros.

Top Comentarista de Julho


Olá, leitores. Hoje vai ao ar o Top Comentarista do mês de Julho. Como estamos no mês das férias, vou prosseguir com o estilo do Top de Junho.

O sortudo levará para casa um livro que tanto deseja. Pode ser qualquer um, desde que seja literário. Não importa qual editora, vocês escolhem o livro e a gente premiará o primeiro colocado.